sexta-feira, 30 de setembro de 2016

A IMAGINAÇÃO










A IMAGINAÇÃO 


A faculdade da intuição e a faculdade de criar a sua própria realidade não são absolutamente diferentes, mas coisas diametralmente opostas. A intuição é apenas um espelho. Ela não cria nada, ela apenas reflete. Ela reflete aquilo que é. Ela é pura, silenciosa, água cristalina refletindo as estrelas da e a Lua. Ela não cria nada. Ela é a claridade que no Oriente foi chamada de terceiro olho. Os olhos não criam nada, ele simplesmente informam você o que existe. 

Criar a sua própria realidade é chamado de imaginação - essa é a faculdade de sonhar. Durante a noite você cria muitas coisas nos seus sonhos. E a coisa mais impressionante é que durante toda sua vida você vem sonhando toda noite e sabe a cada manhã que era um sonho não real. Mas quando a noite volta, e você dorme e a sua imaginação começa a abrir as asas, nenhuma duvida lhes ocorre - sem nenhuma duvida você aceita a sua realidade.                           


A SENTIMENTALIDADE 

A quarta camada é a emocionalidade, o sentimentalismo. Esse é um pseudo sentimento, uma tempestade em copo d'água, muita agitação. A mente feminina é muito perita nisso. É como que um vazio: está apernas na superfície. 

O sentimento verdadeiro é envolvimento, compromisso. É ação. Sempre que você sente algo verdadeiro no coração, isso imediatamente o transforma; isso se transforma em ação. Se o seu sentimento apenas permanecer um sentimento e nunca se tornar uma ação, então com certeza é pseudo. Então você esta enganando a si mesmo ou a alguém. 

Nunca se pode ir contra o próprio coração. Se você ainda esta indo contra o próprio coração, então você deve ter um pseudocoração um hipócrita. Assim como a terceira camada é o campo da especialidade masculina, a quarta é o campo da especialidade feminina. 


       

REPRESSÃO 

A quinta camada dos instintos corrompidos, envenenados a repressão. 

Gurdjief era um sufi. Todo o ensinamento dele vinha dos mestres sufis. Ele introduziu métodos no mundo ocidental cada centro e permitir que o centro fuincionasse em sua próprio campo. 

A cabeça deve funcionar no que diz respeito a razão, só isso. Você já observou? As pessoas dizem: Eu penso  que te amo? "Eu penso que te amo? O amor não tem nada haver com pensamento. Com,o você pode pensar que ama? Mas essas pessoas não sabem agir direto no coração tem que passar pela cabeça. Elas não conseguem dizer simplesmente "Eu te amo." 

Quando você fala com o coração; não é preciso idioma. Quando você fala com a cabeça, apenas o idioma pode expressar alguma coisa; não há outra maneira de dizê-lo. 

Observe bem. Deixe a cabeça funcionar como razão, deixe o coração funcionar como sentimento, deixe o sexo funcionar como sexo. Deixe tudo funcionar da sua própria maneira. Não permita que os mecanismos diferentes se misturem uns com os outros, do contrário você terá instintos corrompidos.                                            
             Rajneesh Chandra Mohan Jain (रजनीश चन्द्र मोहन जैन) (Kuchwada, Índia, 11 de Dezembro de 1931 — Pune, Índia, 19 de Janeiro de 1990), foi líder religioso de uma seita de tradições dármicas, mestre na arte da meditação e do despertar da consciência. Apesar de sua formação e docência acadêmica em filosofia, além de ter sido campeão em debates, ele não se considerava um filósofo, mas sim um místico, pois seu principal propósito era o desenvolvimento da consciência, o autoconhecimento, através da meditação. Durante a década de 1970, foi conhecido pelo nome de Bhagwan Shree Rajneesh e, mais tarde, como Osho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

COMENTE AQUI