Google+ Badge

quinta-feira, 26 de março de 2015

A IMPRENSA MAIS CÍNICA DO MUNDO E AS SUAS CONTAS NA SUÍÇA E NAS ILHAS VIRGENS BRITÂNICAS







Em 2010 e 2014, o PSDB recebeu, segundo o TSE, R$ 81,5 mi de empreiteiras envolvidas na Operação Lava Jato. Só no ano passado, foram R$ 53,73 mil. Outros partidos também receberam recursos dessas empresas. Por que insistem em criminalizar apenas as doações ao PT? eu vou responder com a verdade doa a quem doer!!!! eles insistem em criminalizar o PT porque FHC e cia são amigos intimos dos Barões da Mídia do Brasil ou melhor das seis familias que controlam toda a informação... se o nosso presidente fosse Aécio Neves, Serra ou FHC a imprensa usaria o manual e jamais organizaria e promoveria protestos nas ruas que fossem contra um governo aliado e alinhado com os interesses deles e digo mais... como esta bem descrito no Livro A PRIVATARIA TUCANA tem muitos Jornalistas que se beneficiaram com as privatizações e que receberam dinheiro em contas ilegais na Suiça e nas Ilhas Virgens Britânicas.               



O controle dessa montanha de ouro escapa em parte aos Suíços, pois alguns magnatas do mundo dos negócios são proprietários de vários grandes Bancos. Fora do depósitos legais,existem depósitos secretos.

É lógico – e certo que, por exemplo, políticos do Brasil, Eua, Argentina etc, passando pelos potentados, magnatas e ditadores da África e do Oriente Médio, tenham ou tinham – depositadas na Suíça somas consideráveis. Em caso de reviravoltas políticas, que facilmente podem ocorrer, sabem que podem contar com o depósito de Genebra ou Lausana.

Autoridades judiciárias e monetárias da Suíça estão prestes a informar, oficialmente, à Justiça brasileira os nomes de pelo menos 25 parlamentares que fizeram depósitos milionários de recursos oriundos da corrupção identificada nos processos da Operação Lava Jato. 


Mas esses depósitos foram efetuados em condições especiais. É evidente de fato que um grande magnata do Petróleo, para dar um exemplo – chefe de governo – pode ser deposto em poucas horas. Terá de fugir e mais depressa possível e talvez sem ter tido tempo para se munir de papeis de identidade. Por outro lado, um depósito regular no Banco – embora a Suíça assegure o segredo mais absoluto a respeito do depósito e do depositante – em nome do político X ou do presidente F, pode arriscar-se, no futuro, a sofrer um embargo, um seqüestro de bens por parte de um Governo. Torna-se portanto necessário que este depósito não seja nominativo.

Um potentado do Próximo Oriente, o Emir K, descobriu uma solução ao tornar-se diretor de um dos principais bancos de Genebra. Outros utilizam um curioso sistema. Fazem depositar os seus fundos – vários milhares de milhões – por um procurador.

Durante uma viagem a Suíça, combinam um código com o Banco: o dinheiro só pode ser levantado por quem possua “o mot de passe”ou um código combinado por exemplo: X – 75 – FH – 4885, que é parcialmente guardado em quatro sobrescritos selados.

O primeiro contem o primeiro sinal do código, X; o segundo, 75; o terceiro FH; o ultimo, 4885. Em principio, é o suficiente para afastar qualquer tentativa de fraude, pois o depositário não indica o nome nem a direção.

O único risco, que acontece com freqüência: se o depositário morre, o tesouro fica sem proprietário. Calcula-se que pelos menos cerca de 800 bilhões em suspenso nos bancos que jamais serão reclamados. Este cálculo aproximado é de 1963, imaginem hoje quanto dever ter!!!!
A partir de 1940, os bancos suíços de Berna, de Zurique e de Genebra foram obrigados a quadruplicar a superfície das suas caves. Paralelamente, alguns magnatas e principalmente os grandes industriais do Petróleo do Médio Oriente compravam vivendas em território Suíço e mandaram construir abrigos antiatômicos que estão repletos de lingotes de ouro e fechados a cimento, de tal forma que a Suíça se transformou num imenso cofre-forte ou, se preferirmos, um parque com tesouros enterrados.


Diz-se – mas qualquer controle é naturalmente impossível – que o principal cliente desses bancos é, por meio de intermediários, os Governos dos EUA e da RUSSIA mas com certeza os nossos Barões e empresários aqui do Brasil já estão também concorrendo com eles.









Nenhum comentário:

Postar um comentário

COMENTE AQUI