sábado, 7 de junho de 2014

800 ESQUELETOS DE CRIANÇAS ENCONTRADOS E UM CONVENTO DA IGREJA CATÓLICA DA IRLANDA (OS NECROMANTES E A MAGIA NEGRA)





É próprio da magia negra e do culto ao mal apresentar a ordem natural ao contrário e, de uma maneira geral, inverter todas as coisas.









A NECROMANCIA

Desde a mais remota antiguidade, os homens têm tido a curiosidade, ou experimentaram a necessidade, de evocar os mortos no decorrer de cerimônias misteriosas.
Os Sírios e os Hebreus foram grandes necromantes: a Bíblia cita o caso do pitonista de Endor, evocando para Saul a sombra de Samuel. Destas considerações resulta que, apesar das contradições aparentes, os sustentáculos da necromancia eram a alma, o cadáver e a palavra.
Os Hebreus e os Sírios, dizem os cronistas, matavam a criança torcendo-lhe os pescoço, cortavam-lhe a cabeça, salgavam ou embalsamavam essa cabeça e, colocando-a sobre uma lâmina de metal onde estava gravado o nome do espírito ou da divindade que eles queriam evocar, dela extraiam os oráculos.  Os gnósticos negros eu se entregavam as esta práticas abomináveis agiam sem rancor e sem perversidade consciente, unicamente, poderia dizer-se, por espírito cientifico, com o soberano desprendimento de um biologista praticando uma vivissecção. Desde a Idade Média a verdadeira magia negra satânica era praticada a base de sacrifícios rituais, com a finalidade quer de utilizar um sopro de vida da vítima em trabalhos de alquimia quer de proceder a uma transferência de vida do sacrificado para uma estátua, ou estatueta, encarregada seguidamente de fazer profecias.



A GRANDE OBRA DE GILLES DE RAIS


Gilles de Rais, senhor de Machecoul e Tiffrauges, de Monfort e outros lugares, tornou-se o primeiro célebre pela sua bravura e sua fidelidade a Joana d’Arc. Mais tarde em 1435 tornou-se alquimista, rodeou-se de feiticeiros e de magos e empreendeu a busca e realização da grande obra.
Se bem que relativamente culto, não soube destrinçar o símbolo da letra, e julgou que p principio fecundante e gerador da Pedra devia ser captado na própria vida do homem e, melhor ainda, na das crianças. Uma velha feiticeira, a Meffraie, tinha a missão de percorrer os campos da Bretanha e da Vendeia á procura de jovens pastores, mendigos e crianças perdidas, que ela aliciava e levava ao Castelo de Gilles para serem utilizados nos assassínios rituais. .Na torre do castelo de Chantocé (Maine – et – Loire), descobriu-se um tonel cheio de ossadas calcinadas pertencentes, julga-se, aos corpos de umas quarenta crianças.
Michelet conta que o senhor de Rais evocava demônios e oferecia a vida de crianças a eles pedindo-lhes em troca ouro, ciência e poder. A magia negra nunca é praticada impunemente. É sempre castigada pela deterioração mental que inelutavelmente provoca a quem a ela se entrega, ao quais raramente escapam á justiça deste mundo, e muito menos a do Além, justa paga contra a qual não existe qualquer pentaclo.    


800 esqueletos encontrados ao lado de um antigo convento da cidade de Tuam eram de crianças. O convento abrigou jovens mães solteiras — a maioria internada à força pelas famílias —


O parente de uma criança que nasceu na instituição entrou na Justiça para saber o que aconteceu lá. Segundo os registros do convento — que foi demolido para dar lugar a um conjunto habitacional, mas teve o local dos esqueletos preservado — as crianças morreram de desnutrição, doenças e maus-tratos. Todas tinham idade de poucos dias até 8 anos.


Ao investigar os arquivos do convento, no Oeste da Irlanda, a historiadora descobriu que 796 bebês foram enterrados sem caixão ou lápide. Ela descobriu a extensão da vala comum quando pediu os registros de mortes de crianças. Os recém-nascidos teriam sido enterrados de maneira secreta pelas freiras. 


O arcebispo de Dublin, Diarmuid Martin, também se juntou ao coro dos que pedem uma investigação, deixando, no entanto, a porta aberta a outras soluções.


ATENÇÃO MINISTÉRIO PUBLICO FATOS SEMELHANTES E MACACROS COMO ESTE AGORA REVELADO ACONTECERAM AQUI MESMO NO BRASIL E TAMBÉM EM LOCAIS QUE PERTECEM A IGREJA E A HOSPITAIS CATÓLICOS E OS MILITARES DE 1964 PARTICIPARAM E ABAFARAM O CASO  


FONTE:

http://oglobo.globo.com/mundo/quase-800-esqueletos-de-bebes-foram-encontrados-em-convento-da-irlanda-12714560





Os conselheiros coxos

Garcia Beltran, que estudou fenômenos genéticos insólitos, desenvolve da seguinte forma as suas observações referindo-se a certos Papas:

Muitas vezes os Papas tem um braço paralisado ou seus confessores um membro inferior inválido.
Pertenceriam estes últimos à misteriosa linhagem do coxo(Cojo) Santo Inácio de Loiola, que, na sua juventude, fazia criação de tentilhões e lhes furava os olhos para que cantassem melhor?

Santo Inácio é o criador da ordem dos Jesuitas, confessores do Papa;os superpapas, na realidade...
Garcilaso de la Vega dizia: ((A alma que viveu um tempo (corpo-vida) reconhece-se sempre na transmigração ou reencarnação animal ou humana por um sinal: quer seja um sinal no rosto, quer uma mancha no corpo, quer uma enfermidade ou paralisia do mesmo membro."

Será verdade? Existiria uma origem misteriosa da alma?

O Sumo Pontífice Pio XII tinha um braço quase paralisado; Hitler também; Napoleão mantinha sempre seu braço doente ao peito; Guilherme II tinha um braço atrofiado, assim como Estaline.
Seria um acaso? Coincidências exageradas ou genética especial oculta?
Nesta ordem de observações, pode assinalar-se que todos os presidentes dos Estados Unidos são marcados pelo sinal indiano.

Talvez devido a intervenção de uma diastase dirigente.

Os Jesuítas sabem muito a respeito deste mistério e é por esse motivo que todos os confessores dos Papas são escolhidos entre aqueles que coxeiam com o Diabo.

Pondo de parte uma incontestável animosidade contra a religião católica, a teoria de uma genética oculta da alma, proposta por Garcia Beltran, levanta um importante problema.
Essa genética é fundamental na ciência transcendente dos budistas, visto que quando morre o Tashi Lama, do tibete, os sacerdotes procuram cuidadosamente um bebê que tenha nascido no exato momento dessa morte e que apresente cinco sinais biológicos, bastante característicos...

Um desses sinais é uma cor carmesim à volta do coração.

Buda tinha marcas rituais.

O transporte de sinais físicos e a imigração da alma, quer dizer, a reencarnação, não é admitida pela ciência experimental, assim como não é pelas religiões cristãs e muçulmanas isto prova até que ponto aparentemente o ocultismo choca e se opõe as formas convencionais.

Lei universal ou caso de espécie, é evidentemente difícil, senão impossível, apresentar um princípio de prova da realidade da reencarnação que no entanto é um conceito essencial do Budismo. 
              
FONTE DE PESQUISA:

Treco do livro Histoire Inconnue des Hommes
depuis cent mille ans


1963 Robert Laffont Paris          




Nenhum comentário:

Postar um comentário

COMENTE AQUI