Google+ Badge

segunda-feira, 29 de junho de 2009

MAPAS MAGNÉTICOS


Estudamos a estrutura das linhas de campo magnético de tokamaks, descrita pela dinâmica de mapas hamiltonianos. Utilizando mapas bidimensionais simples, investigamos a interação das linhas de campo com obstáculos no interior da câmara do tokamak, suas propriedades gerais de transporte e a influência de perfis da transformada rotacional não monotónicos. Obstáculos posicionados no interior do vaso correspondem a saídas no espaço de fases do mapa e, sendo a parede da câmara também uma saída, obtemos que as fronteiras das bacias de saída são assintoticamente fractais, apresentando também a propriedade de Wada. Assim, as linhas de campo magnético que atingem um dado obstáculo não se distribuem necessariamente próximas deste, o que pode ter implicações, e. g., para sistemas de medida. Mapas dotados de perfis não monofônicos da transformada rotacional, ditos não twist, modelam tokamaks no regime de reversed shear e apresentam uma barreira invariante resistente, que reflete o melhor confinamento observado em tokamaks neste regime. Verificamos que, mesmo após a quebra da barreira invariante, permanece uma barreira efetiva, através da qual o transporte é difusivo e cerca de duas ordens de grandeza mais lento que o transporte poloidal na região.

sábado, 27 de junho de 2009

SABOTAGEM ISRAELENSE NO EGITO ANTIGO

















Poluições hídricas, atmosféricas e dos alimentos produzidos pela sabotagem israelense.

A partir do Cap.7, V.14, do ÊXODO, começa a descrição bíblica das dez pragas, que por ordens do Senhor, afligiram o Egito, até que o Faraó se convencesse dos desígnios de Deus em relação ao povo judeu e permitisse sua retirada do país, em busca da Terra Prometida.

Essas dez pragas, na ordem de sucessão foram:

1ª- conversão da água do rio em sangue
2ª- invasão das rãs
3ª- nuvens de mosquitos
4ª- nuvens de moscas
5ª- peste dos animais
6ª úlceras e tumores
7ª chuvas de pedras
8ª nuvens de gafanhotos
9ª- trevas
10ª-Morte dos primogênitos

Com exceção das 5ª- e 10ª- pragas que resultaram de contaminação bacteriológica intencional. respectivamente, das pastagens e do fermento de pão, é possível reunir as outras pragas em dois grupos.
a) grupo de poluição atmosférica: com as 6ª, 7ª e 9ª pragas.

b) grupo de poluição hídrica: pertencem a 1ª praga e suas conseqüentes: 2ª, 3ª, 4ª e 8ª.

A primeira praga-conversão da água do rio em sangue - seria o resultado da adição á água do rio Nilo de grande quantidades de argila vermelha, produzindo assim uma suspensão coloidal particularmente estável que, pelas suas propriedades físico - quimicas, determinou um abaixamento do pH e um aumento da turbidez da água.

Portanto as águas ficaram turvas e ácidas, e a simples filtração não melhorou a sua qualidade tornando-se impróprias para o uso como bebida e para a limpeza, alem disso os peixes foram totalmente eliminados pela dificuldade de respiração em pH baixo e pela falta de alimentos por ausência da fotosintese.

A inexistência temporária de peixes permitiu que, nos pantanais as margens do rio, as rãs se desenvolvessem em grande número de modo que o abaixamento rápido das águas obrigou as rãs a migrarem a procura de alimento, invadindo assim as cidades e as casas, conforme consta na descrição bíblica.

O desequilibrio ecológico causado pela 1ª- praga foi, também, a causa das pragas dos mosquitos, das moscas e dos gafanhotos.

Finalmente, as 6ª-, 7ª- e 9ª- pragas do grupo da poluição atmosférica, foram causadas pelo pó das chaminés constituído das cinzas dos combustíveis, impregnadas de restos de alcatrão, que disseminado na atmosfera formaria nuvens espessas e estáveis, as quais eram levadas pelo vento na direção das zonas urbanas egípcias.

SABOTAGEM NO EGITO ANTIGO

Poluições hídricas, atmosféricas e dos alimentos produzidos pela sabotagem israelense.
A partir do Cap.7, V.14, do ÊXODO, começa a descrição bíblica das dez pragas, que por ordens do Senhor, afligiram o Egito, até que o Faraó se convencesse dos desígnios de Deus em relação ao povo judeu e permitisse sua retirada do país, em busca da Terra Prometida.
Essas dez pragas, na ordem de sucessão foram:
1ª- conversão da água do rio em sangue
2ª- invasão das rãs
3ª- nuvens de mosquitos
4ª- nuvens de moscas
5ª- peste dos animais
6ª úlceras e tumores
7ª chuvas de pedras
8ª nuvens de gafanhotos
9ª- trevas
10ª-Morte dos primogênitos
Com exceção das 5ª- e 10ª- pragas que resultaram de contaminação bacteriológica intencional. respectivamente, das pastagens e do fermento de pão, é possível reunir as outras pragas em dois grupos.
a) grupo de poluição atmosférica: com as 6ª, 7ª e 9ª pragas.
b) grupo de poluição hídrica: pertencem a 1ª praga e suas conseqüentes: 2ª, 3ª, 4ª e 8ª.
A primeira praga-conversão da água do rio em sangue - seria o resultado da adição á água do rio Nilo de grande quantidades de argila vermelha, produzindo assim uma suspensão coloidal particularmente estável que, pelas suas propriedades físico - quimicas, determinou um abaixamento do pH e um aumento da turbidez da água.
Portanto as águas ficaram turvas e ácidas, e a simples filtração não melhorou a sua qualidade tornando-se impróprias para o uso como bebida e para a limpeza, alem disso os peixes foram totalmente eliminados pela dificuldade de respiração em pH baixo e pela falta de alimentos por ausência da fotosintese.
A inexistência temporária de peixes permitiu que, nos pantanais as margens do rio, as rãs se desenvolvessem em grande número de modo que o abaixamento rápido das águas obrigou as rãs a migrarem a procura de alimento, invadindo assim as cidades e as casas, conforme consta na descrição bíblica.
O desequilibrio ecológico causado pela 1ª- praga foi, também, a causa das pragas dos mosquitos, das moscas e dos gafanhotos.
Finalmente, as 6ª-, 7ª- e 9ª- pragas do grupo da poluição atmosférica, foram causadas pelo pó das chaminés constituído das cinzas dos combustíveis, impregnadas de restos de alcatrão, que disseminado na atmosfera formaria nuvens espessas e estáveis, as quais eram levadas pelo vento na direção das zonas urbanas egípcias.

quarta-feira, 24 de junho de 2009

A Indústria do Holocausto




A Indústria do Holocausto
TÍTULO DO LIVRO: A INDÚSTRIA DO HOLOCAUSTO
AUTOR: NORMAN G. FINKELSTEIN
EDITORA: RECORD

O LIVRO
Publicada no ano 2000 nos Estados Unidos e na Europa, e agora lançada no Brasil, a obra continua desencadeando polêmica em todo mundo. Escrita por um professor judeu americano da Universidade de Nova York, filho de judeus egressos do Gueto de Varsóvia e sobreviventes do campo de concentração de Maidanek e Auschwitz, o livro é uma denuncia da exploração política, ideológica e financeira do Holocausto pelas grandes organizações judaicas internacionais.
Para Norman G. Finkelstein, "...as atrocidades nazistas transformaram-se num mito americano que serve aos interesses da elite judaica, sendo que nesse sentido, o holocausto transformou-se em Holocausto (com h maiúsculo), ou seja, numa indústria que exibe como vítimas o grupo étnico mais bem sucedido dos Estados Unidos e apresenta como indefeso um país como Israel, uma das maiores potências militares do mundo, que oprime os não judeus em seu território e em áreas de influência". Nesse seu último livro, Norman Finkelstein mostra que o extermínio de judeus durante a Segunda Guerra foi transformado em "uma representação ideológica que defende interesses de classe e sustenta políticas".
Em A Indústria do Holocausto, Finkelstein, de 47 anos, ainda recorda sua infância, durante a qual não se discutia o holocausto, para mostrar que o interesse pelo assunto coincidiu com a guerra dos Seis Dias, quando os Estados Unidos perceberam que seria interessante ter um parceiro forte no Oriente Médio. E, para os grupos judaicos americanos e a direita então no poder em Israel, a melhor forma de angariar simpatia era vender a idéia de que a hostilidade árabe poderia levar a uma reedição da solução final.
O número de sobreviventes nos campos de concentração é exagerado segundo o autor, para chantagear bancos suíços, indústrias alemãs e países do Leste Europeu em busca de indenizações financeiras. A luta feroz por indenizações teria como efeito colateral insuflar o anti-semitismo na Europa. Israelenses e judeus americanos são hoje a grande força de opressão, perseguindo palestinos e negros americanos.
Finkeltein não nega e existência do holocausto como fato histórico, denunciando porém o Holocausto, como uma submissão dos fatos a uma interpretação interessada, no caso a política de autoconservação do Estado de Israel apoiada pelos Estados Unidos.
Segundo palavras do professor francês Jacques Rancière a intenção do autor é mostrar que "...o Holocausto se transforma assim, numa cobertura para Israel perpetuar a espoliação dos palestinos, enquanto os Estados Unidos podem esquecer os massacres e as injustiças que marcaram sua história."

O AUTOR
Norman G. Finkelstein nasceu no Broklyn, Nova York, em 1953. Autor da tese de doutorado "The Theory of Zionism", defendida no Departamento de Política da Universidade de Princeton, atualmente é professor da Universidade de Nova York, onde leciona Teoria Política.
Colaborador do London Review Books, entre suas obras estão: Image and Reality of the Israel-Palestine Conflict, The Rise and Fall of Palestine e A Nation on Trial The Goldhagen Thesis and Historical Truth, indicado como livro do ano pelo New York Times Book Review.

terça-feira, 23 de junho de 2009

É POSSIVEL APAGAR AS MEMORIAS HUMANAS?



É POSSIVEL APAGAR AS MEMORIAS HUMANAS?

Quando as primeiras Bombas Nucleares Explodiram, em Hiroxima e Nagazaque
Não se sabia ao certo os efeitos da Explosão e Radiação

Mas um fenômeno em especial chamou atenção e foi estuda sem muita divulgação

São os efeitos dos Fótons, isso mesmo o clarão que se da quando ocorre a detonação do Artefato Nuclear(Bomba Atômica)

Tal efeito do clarão, causou nos sobreviventes a perda da memória, em alguns completamente com amnésia e outros mais distante parcialmente

Tais efeitos foram estudados e acharam que seria de utilidade Militar

Tal equipamento foi desenvolvido no pós guerra e em 1.975 estava totalmente desenvolvido a máquina de apagar memória

Tal arma correspondia a um equipamento pesado e grande cerca de 2 metros de altura que fazia uso do Césio, para emitir um rápido e clarão cuja sem dúvida RadioAtivo e não menos prejudicial e apagando a memória em uma dose controlada

Assim conseguindo conter pessoas reunidas em eventos cuja tinham interesse que essas pessoas não divulgassem alguma coisa ou mesmo varias testemunhas de algum acontecimento

Na Década de 80, foi desenvolvido um Missel que era lançado sobre um cidade cuja abria um pára-quedas em sua outra extremidade inferior sobre uma cidade ou Bairro era emitida a radiação Luminoso prejudicando todas as pessoas expostas, perde de memória perturbações visuais e o câncer devido a intensidade do Feixe

Na década de 90 é desenvolvida algo que inclusive deu origem a ficção do MIB uma pequena arma com uma pequena cápsula de Césio capaz de dosar a intensidade entre Meses e anos, bem portátil um pouco maior que um isqueiro

É algo fantástico e faz parecer mesmo coisa de ficção, mas essa arma existe e é usado para conter multidões e reuniões, aonde haver pessoas reunidas que presenciaram algo de estranho até mesmo OVNIs e ETs, até sendo usado em festas, Shows, Igrejas em um equipamento parecendo de Iluminação em forma Globular e colorida

Toda esse tecnologia foi e é desenvolvida pelos Estados Unidos, fins Militares e é comercializado.

A INVASÃO DE NOSSO PLANETA


29 de Dezembro de 1987

John Lear (JL) , um capitão de grande Companhia Aérea dos EUA, já voou com mais de 160 aeronaves diferentes, sobre mais de 50 países. Ele possui 17 recordes mundiais em velocidade com um Lear Jet, e é o único piloto comercial a possuir o certificado de piloto cedido pela Administração Federal de Aviação. JL já voou pelo mundo em missões para a CIA e outras agências do governamentais, foi o designer do Lear Jet. JL começou a interessar-se pelo fenômeno UFO, 13 meses após falar com o Pessoal da USAF. Foi testemunha do pouso de uma nave em Bentwaters AFB, próxima a Londres, Inglaterra, e três pequenos ALF's (Alien Life Forms) andaram até o comandante da base:

Nota p/ a imprensa:

O Governo dos EUA continua a usar o seu pessoal treinado e profissional a suprimir a informação que se segue. A sua cooperação ao longo desses 40 anos passados excedeu suas mais selvagens expectativas e nós dizemos a você:

"O Sol não gira em torno da Terra"

"O governo dos EUA vêm tendo negociações com pequeninos extraterrestres cinzas por algo em torno de 20 anos"

A primeira verdade fez com que Giordano Bruno fosse queimado em 1600 d.C. por propor que isso era a realidade. A segunda verdade vêm causando a morte das pessoas do estado e da publicidade que tentam contar o que sabem.

Mas a primeira verdade foi contada. A igreja foi bem sucedida em suprimir essa informação por mais de 200 anos.

Agora, aproximadamente a 400 anos depois que a primeira verdade foi contada, nós nos deparamos com mais um fato chocante. A "horrible truth" (verdade horrível) é mais horrível do que o governo jamais imaginou.

Em sua intenção em defender a democracia, o seu governo vendeu você aos alienígenas. E aqui está como isso aconteceu. Mas antes de começar. Eu gostaria de oferecer uma palavra em defesa aos que nos venderam. Eles tinham as melhores das intenções.

A Alemanha havia recuperado um "disco voador" em 1936. General James H. Doolittle foi mandado à Suíça para investigar um OVNI caído próximo à Spitzbergen.

A "verdade horrível" é conhecida por um número bem limitado de pessoas: Eles eram pequenas e feias criaturas com braços em posição de reza e avançados em bilhões de anos à nossa tecnologia. Do grupo original, primeiro a aprender a "verdade horrível", muitos cometeram suicídio, o mais elevado era o General James V. Forrestal, que pulou para a morte de uma janela do décimo sexto andar de um hospital. Os registros médicos do General Forrestal estão selados até hoje.

O Presidente Truman colocou uma tampa sobre o segredo e apertou os parafusos para que o público geral pensasse que os discos voadores eram uma brincadeira. Ele tinha uma grande surpresa para eles.

Em 1947, Presidente Truman estabeleceu um grupo com os 12 mais altos militares e cientistas. Eles foram conhecidos como MJ-12. O grupo ainda existe hoje, mas os seus membros originais não são mais os mesmos. O último do grupo a morrer foi Gordon Gray, secretário formado do exército, em 1984. Quando um membro estava para deixar o grupo, eles apontavam um novo membro para preencher a posição. Há bastante especulação de que o grupo conhecido como MJ-12 tenha expandido para muitos mais membros.

Tiveram vários casos de queda de discos voadores na década de 40, um em O Caso Roswell, Novo México; um em Aztec, Novo México, e um próximo a Laredo, Texas, a cerca de 30 milhas a dentro da fronteira mexicana.

Considere, se você pode, a posição do governo dos EUA agora. Eles conseguiram atingir a posição de nação mais poderosa do mundo, produziram a bomba atômica, um feito estupendo, a URSS demorou mais 4 anos para desenvolver a dela, se somente com a ajuda dos traidores da democracia. Eles construíram um avião a jato capaz de romper a barreira do som. Eles construíram aviões com alcance intercontinental, capazes de carregar ogivas atômicas. Agora imagine como essas pessoas devem ter ficado em pânico, da mesma forma como ficou o público quando Orson Wells transmitiu via rádio: "A Guerra dos Mundos" em 1938. Imagine o choque desses lideres quando viram os corpos dessas criaturas franzinas, com grandes olhos, pele semelhante à de lagartos e unhas/garras encobertas de tecido que funcionavam como dedos. Imagine o pavor quando determinaram o quando esses "discos voadores" eram poderosos, e quando descobriram que nenhum componente deles tinha similar na Terra, e que eles voavam sem precisar de turbinas ou partes móveis; imaginando isso é a única forma de você compreender porque o governo utilizou-se de toda essa artimanha para esconder esses fatos, utilizando até mesmo de "força mortal".

Essa encobertação tão bem sucedida que até em 1985 quando um cientista sênior do Laboratório de Propulsão à Jato em Pasadena, Califórnia, Dr. Al Hibbs, pode ver um vídeotape com um enorme "disco voador" e escreveu o seguinte: "Eu não possuo assumir nada ao fenômeno UFO sem antes obter maior informação".

Em julho de 1952, o pânico tomou conta do governo, quando um esquadrão de OVNIS voaram sobre Washington D.C., e sobrevoaram a Casa Branca, o Capitólio e o Pentágono. Eles usaram de toda a imaginação e intimidação disponíveis pararemover essas lembranças da memória do público.

Diversos avistamentos ocorreram durante a Guerra da Coréia e muitos OVNIS foram recuperados pela força aérea. Muitos estão guardados na Base da Força Aérea Wright-Patterson, os discos são guardados nas bases aéreas mais próximas do local da queda.

Um "disco voador" é enorme e enorme também são os problemas lógicos para o seu transporte, para transportar um "disco voador" já houve casos em que o governo comprou fazendas inteiras, derrubou árvores e bloqueou grandes estradas, e utilizaram grandes veículos para muitas vezes transportar naves com centenas de metros de diâmetro.

Em 30 de abril de 1954, a primeira comunicação entre esses ALF's e o governo dos EUA teve lugar na Base da Força Aérea Holloman, em Novo México. Três "discos" pousaram e prepararam a área para uma troca entre os alienígenas e oficiais da inteligência dos EUA.

Durante o período de 1969-1971, MJ-12 representando o governo dos EUA fez um acordo com as criaturas, chamadas EBE's (extraterrestrial biological entities, nome dado por Detley Bronk, membro original do MJ-12 e sexto presidente da Universidade Johns Hopkins). O "acordo" tratava-se na troca de tecnologia que eles forneceriam para nos, e nós deveríamos "ignorar" as abduções e esconder os fatos. Os EBE's asseguraram ao MJ-12 que as abduções eram meramente para monitorar o desenvolvimento das civilizações.

Em fato, os propósitos das abduções eram:

(1) A inserção de uma esfera de 3 mm através da cavidade nasal, no cérebro do abduzido, esse dispositivo é usado para monitoração biológica, localização, e controle do abduzido.
(2) Implementação da "Posthypnotic Suggestion" para liberar uma determinada reação durante um tempo específico, a atuação dessa costuma ocorrer nos próximos 2 ou 5 anos.
(3) Exterminação de muitas pessoas, assim eles possuíam fontes de materiais biológicos e substâncias.
(4) Exterminação de indivíduos que representem problemas à continuidade de suas atividades.
(5) Aprimorar os experimentos de engenharia genética.
(6) Fertilização das fêmeas humanas e posterior terminação da gravidez para assegurar a segurança da criança híbrida.

O governo dos EUA não imaginava em quais conseqüências chegariam os termos desse "acordo". Eles acreditavam que as abduções eram essencialmente benignas, eles meramente insistiram que uma lista dos abduzidos deveria ser fornecida ao MJ-12 e ao Conselho de Segurança Nacional.

Os EBE's possuem uma desordem genética em seu sistema digestivo, que é atrofiado e pouco funcional. Muitos especulam que eles foram envolvidos em vários tipos de acidentes ou guerras nucleares. Assim, para se autosustentar, eles usam secreções de enzimas e hormônios obtidos de tecidos que eles removem dos humanos e animais. (Nota: Vacas e homens são geneticamente similares. Se o evento de uma catástrofe nacional ocorresse, o sangue das vacas poderia ser usado pelos humanos.)

As secreções obtidas são então misturadas com peróxido de hidrogênio e aplicado na pele. O corpo então absorve a solução, e também excreta os resíduos pela pele. As mutilações de gado prevaleceram durante o período de 1973 a 1983. As mutilações incluíam a remoção dos testículos, retos descentralizados do cólon, olhos, língua e garganta removida cirurgicamente com extrema precisão, algo que não seria possível de ser feito no campo, em tão pouco tempo. Em muitas dessas mutilações, o sangue havia sido todo drenado. O mesmo acontecia nas mutilações humanas, uma das primeiras foi com o Sargento Jonathan P. Louette, no base de Testes de Alcance de Mísseis de White Sands, em 1956, ele foi encontrado três dias após um Major da Força Aérea ter testemunhado a sua abdução por um objeto em forma de próximo ao local de queda dos mísseis. Sua genitália fora removida, seu reto foi descentralizado em preciso processo cirúrgico de "plugamento" de algo ao seu cólon, olhos foram removidos assim como todo o seu sangue, sem nenhum colapso cardiovascular. Muitas evidência, provam que os processos cirúrgicos são realizados na vítima, animal ou humano, ainda em vida.

As várias partes do corpo são levadas para vários laboratórios subterrâneos, um deles, localiza-se na pequenina cidade de Dulce, Novo México. Essa instalação ocupada pela CIA e Alienígenas, é descrita como sendo enorme.

Após o primeiro acordo, Groom Lake, um dos centros de testes mais secretos da nação, ficou fechado por um período em torno de um ano, entre 1972 e 1974, é uma instalação subterrânea construída para ajudar os EBE's. A tecnologia "barganhada" foi instalada lá, mas só podia ser operada pelos EBE's. O que se diz, é que essa tecnologia adquirida, não pode ser usada contra os EBE's, eles se precaveram.

Durante o período entre 1979 e 1983, algo não planejado pelo MJ-12 acabou acontecendo. Eles ficaram sabendo que mais pessoas estavam sendo abduzidas do que era relatado na lista de abduções, em adição, ficou-se sabendo que em várias nações, estavam desaparecendo crianças, que serviam de fonte de extração de secreções e outras partes requeridas pelos et's.

Em 1979 houve uma disputa entre as espécies pelo controle do Laboratório Dulce. Um grupo de forças especiais do exército foi chamada, na tentativa de libertar o máximo de pessoas em cativeiro na instalação, de acordo com uma fonte, 66 soldados foram mortos e nosso pessoal não foi libertado.

Em 1984, o MJ-12 estava em completo terror pelo erro de terem feito acordos com os EBE's. Eles promoveram sutilmente os filmes "Contatos Imediatos do Terceiro Grau" e "E.T." para dar ao público uma impressão de que os alienígenas são benevolentes e que eles são nossos "amigos do espaço". O MJ-12 "vendeu" os EBE's ao público, e agora eles estavam à face de que era o oposto do que eles "venderam". Em adição, um plano foi formulado em 1968 para fazer o público se precaver da existência dos alienígenas entre nós, vinte anos depois culminou em diversos documentários a serem lançados entre 1985-1987, o que acabou nunca acontecendo. O documentário tentava mostrar a história e intenções dos EBE's. A descoberta da "Grande Decepção" pôs esse plano e sonhos do MJ-12 em completa confusão e pânico.

Numa reunião, parte do pessoal do MJ-12 queria contar tudo ao público, todos os esquemas e trapaças ao público, afim de obter o perdão e ajuda do povo. Mas a grande maioria do MJ-12 achava que não havia cominho para apaziguar as coisas e não seria prático excitar o público com a "Horrible Truth" e o melhor plano é continuar a desenvolver uma arma que pudesse ser usada contra os EBE's, com o disfarce de "SDI", a Strategic Defense Initiative, não tinha nada haver com o sistema de defesa contra possíveis ataques nucleares dos Russos; Dr. Edward Teller, "pai da bomba-H" estava presente nos túneis de testes em Nevada Test Site (Sítio de Testes em Nevada), dirigindo os trabalhadores e associados com palavras de um homem "possesso", a ele fora apresentado aos membros do MJ-12, como o dr. Henry Kissinger, Almirante Bobby Inman, e possivelmente o Almirante Poindexter; e a ele foi contada a "Horrible Truth" fazendo-o associar-se ao MJ-12.

Antes da "Grande Decepção" ser descoberta, um acordo meticuloso havia sido feito para liberar informações ao grande público, diversos documentários e vídeo tapes haviam sido feitos. William Moore, baseado em suas pesquisas, escreveu "O Caso Roswell Incident", um livro publicado em 1980 com detalhes da queda, recuperação e subsequente encobrimento de um UFO com 4 corpos de alienígenas, no Novo México, existe um vídeo tape de dois agentes de imprensa entrevistando um militar associado ao MJ-12, esse militar responde questões relativas ao MJ-12 e a encobertação, a recuperação de vários discos voadores e a existência de um alienígena vivo (um dos 3 alienígenas em vida, nomeados de EBE-1, EBE-2 e EBE-3, estão em uma instalação chamada YY-II em Los Alamos, Novo México. A única outra instalação desse tipo, segura eletromagneticamente, é a Edwards Air Force Base em Mojave, California). Os nomes dos oficiais previamente mencionados por poucos são: Harold Brown, Richard Helms, Gen. Vernon Walters, JPL's Dr. Lew Allen and Dr. Theodore von Karman estes nomes integram a atual pasta de membros do MJ-12, entre outros.

Esse militar relata o fato de os EBE's afirmarem que eles é que criaram Jesus Cristo. Os EBE's possuem uma espécie de gravador, onde está gravada as principais épocas da história da Terra, esse dispositivo exibe as "filmagens" sob a forma de holograma, por isso torna-se difícil filmálos com métodos convencionais, mas a crucificação de Cristo foi filmada e incluída no filme que deveria ser mostrado ao público. Os EBE's afirmam ter criado Cristo, isso na visão da "Grande Decepção" poderia romper os valores tradicionais e causar reações indeterminadas.

Outro videotape mostra uma "entrevista" com um EBE, como os EBE's comunicam-se telepaticamente, um Coronel da Força Aérea serve como intérprete. Pouco antes da "correção" no material estocado, em 1987, diversos homens da imprensa, incluindo Bill Moore, foram convidados a Washington D.C., para pessoalmente filmar o EBE em um tipo similar de entrevista, e distribuir o filme ao público, aparentemente isso não aconteceu.

Se o governo não nos conta a verdade, é porque uma invasão EBE já está acontecendo, já houveram milhares de abduções, temos diversas bases alienígenas espalhadas pelo mundo, seria isso os preparativos para uma grande movimentação de EBE's? Não imagine essa invasão, com os ET's desembarcando de naves com armas laser, mas sim numa invasão muito bem planejada, que vem sendo executada ao longo de milhares de anos...

segunda-feira, 22 de junho de 2009

ALIENÍGENAS VIVEM EM BASE SUBTERRÂNEA NOS EUA









Na excelente revista francesa "Contact ÓVNI" 27 de ago/set/out/1992, a ufóloga e estudiosa Genevi'eve Vanquelef transcreve um testemunho que consta no livro Underground Aliens Bases. J.Vanquelef de sua parte,primeiramente diz "Um pesquisador preparou um relatório sobre a base subterrânea de Dulce, levando em consideração os testemunhos que ele pode recolher de alguns que colaboraram para a construção de tal base,ou seja, de trabalhadores comuns, militares e cientistas. Apresentar-vos-ei, portanto, essas revelações que classifico com toda a reserva..."

"A base subterrânea de Dulce contêm cavernas naturais e outras artificiais ligadas entre si por túneis. Ela não foi exatamente a primeira que o governo dos EUA mandou construir. Pra ser feita, tal base precisou de perfuradores especiais, movidos a energia nuclear, que desprendiam as rochas das paredes e as reduziam a pasta magma. Algumas técnicas aplicadas internamente foram criadas pelos alienígenas, com a supervisão deles, naturalmente, como por exemplo a existência de elevadores sem porta e nem acessórios que facilitem seus movimentos. Deslocam-se por cabos magnéticos inseridos nas paredes laterais dos poços. Outrossim quase toda a tecnologia aí presente utiliza o magnetismo. A alta segurança de Dulce é reforçada por militares que ostentam uma sigla com a letra grega TAU. A base subterrânea de Dulce esta conectada com a base de Los Alamos, por meio de túneis subterrâneos. Esta base é constituída por 7 níveis subterrâneos conhecidos. Algumas testemunhas, contudo acham que ainda existem outros níveis desconhecidos, a que nenhum humano jamais teve acesso. A maioria dos alienígenas que fizeram acordos com o governo americano reside no quinto, sexto, e sétimo níveis.

Os documentos de Dulce compõem-se de 25 fotos em preto e branco, de uma gravação em videocassete, sem diálogos, de uma serie de documentos que encerram informações técnicas sobre a secreta instalação ocupada conjuntamente por americanos e alienígenas, e que, em nível subterrâneo, se estende por um quilômetro, na zona de Anchuleta Mesa, próximo a Dulce, estado do Novo México, EUA(...)”.
“(...) Graças a outras informações obtidas, cremos que os dados contidos nesses documentos são verdadeiros.
Boa parte dos documentos acima referidos descrevem como lidar como cobre e o molibdênio. Outros discorrem igualmente sobre o magnésio e o potássio, mas a maior parte preocupa-se com as ligas de cobre. Há também muitos termos médicos que simplesmente não dá para compreender. Existe uma folha maior contendo mapas e esquemas estranhos. Ou ainda, papéis, que tratam da luz ultra-violeta e dos raios gama. Outros documentos tratam de cores em geral, do branco e do preto, e de como evitar a detecção destas duas ultimas, valendo-se de tal da utilização de certas cores. Tudo isso foi copiado, filmado e retirado da instalação de Dulce.” 
“Certos documentos revelam aquilo que os alienígenas procuram e como sangue[ retirado das reses] é utilizado. Temos a nítida impressão de que os EBEs [entidades biológicas extraterrestres] absorvem os átomos a fim de se alimentarem. Os alienígenas enfiam suas mãos no sangue vivo, como se elas fossem esponja, para se nutrir. Não querem sangue apenas como alimento, mas buscam o DNA do gado e dos humanos(o ácido desoxirribonucléico, constituinte básico dos genes responsáveis pela hereditariedade) para modificar e adapta-lo a constituição deles. 


domingo, 21 de junho de 2009

AERONAVE VOANDO EM 1897 NA CALIFORNIA



No decorrer da história, o homem tem usado o vocabulário de sua época para descrever o que se vê nos céus. Como estamos vendo agora discos prateados, o Imperador Constantino viu uma cruz flamejante e Ezequiel viu uma roda. O misterioso e mágico grande espetáculo aéreo americano começou na California. Em 18 de novembro de 1897, no San Francisco Call, lia-se a manchete:
AFIRMAM TEREM VISTO UMA AERONAVE VOANDO
A estranha história de habitantes de Sacramento não acostumados a mentir - Viram um objeto aéreo quando ele passou sobre a cidade a noite - Declaram ter ouvido vozes daqueles que se encontravam a bordo.O fantasma das aeronaves continuou a aparecer no país durante a primavera e o verão daquele ano. Só mês de abril houve informações de visões provenientes de vinte Estados. Enquanto muitas pessoas acreditavam estar vendo aeronaves feitas pelo homem, o Sacramento Bee, na sua edição de 24 de novembro, públicou a curiosa carta de W.A. A carta começou dizendo que havia sido enviada uma nave numa expedição aos mundos mais novos e extensos, a velocidade destas naves pode ser regulada a uma rapidez de mil e seiscentos quilometros por segundo. Ou W.A tinha uma imaginação fertil que ia muito além de sua época ou pode ser que tenha recebido informações diretamente da fonte! Em 19 de abril de 1897, por volta das 10h 30 da noite, Alexander Hamilton, de Yantes Center, Kansas, acordou com um tumulto entre seu gado.Hamilton foi verificar a agitação, e ficou espantado ao ver "uma espaçonave descendo vagarosamente sobre o seu curral, a mais ou menos duzentos metros de sua casa. Na sua declaração sob juramento, públicada no Yates Center Farmer´s Advocate, em 23 de abril de 1897.Hamilton descreveu uma espaçonave, com forma de charuto,noventa metros de comprimento e uma iluminação brilhante e clara por baixo. Os ocupantes - "Seis dos mais estranhos seres que já vi"
Quando a Aeronave alcançou uma altura de noventa metros, parou e ficou suspensa sobre um novilho, a nave levantou o novilho que berrava e voou em direção ao noroeste. O progresso nos Estados Unidos era certamente mais vagaroso em 1897. Modelos de aeronaves, feitos por inventores americanos, estavam ainda na pranchas de desenho ou no Registro de Patentes.
No meio de agosto as aeronaves retornaram a costa oeste. O San Francisco Chronicle, de sexta feira 13 de agosto de 1897, incluía uma informação de Vancouver, intitulada ESTRANHOS VISITANTES NOS CÉUS DO NORTE. A notícia do Chronicle começava:
“O Estranho fenômeno aéreo, em forma de charuto, movimentando seu corpo luminoso em baixa altitude no céu, continua a ser visto em vários pontos da costa continental e na ilha de Vancouver, Colúmbia Britânica. Algumas vezes uma luz brilhante aparece no meio da figura luminosa. Ninguém parece capaz de explicar o fenômeno de maneira satisfatória.”

sábado, 20 de junho de 2009

AS PROVAS DA EXISTENCIA DOS UFOS (FOTOS E PROVAS)







































23 de setembro de 1947
PARA: Comando Geral
Forças Aéreas do Exercito
Washington 25, D.C

ATENÇÃO: General-Brigadeiro George Shulgen.
AC / AS-2

23 de setembro de 1947
PARA: Comando Geral
Forças Aéreas do Exercito
Washington 25, D.C
ATENÇÃO: General-Brigadeiro George Shulgen.
AC / AS-2
1. Como solicitado pela AC / AS-2, apresenta–se abaixo a opinião considerada deste comando a respeito dos assim chamados “discos voadores”, Essa opinião é baseada em dados de relatos de interrogatórios fornecidos pela AC / AS-2 e estudos preliminares pelo pessoal do T-2 e Laboratório de Aeronaves. Divisão de Engenharia T-3. Chegou-se a essa opinião numa conferencia entre o pessoal do Instituto Aéreo de Tecnologia, Informações T-2, Escritório Chefia da Divisão de Engenharia e Laboratório de Aeronaves, Usinas e Propulsores da Divisão de Engenharia T-3.
2. É de opinião que:


3. a) O fenômeno relatado é real e não visionário ou fictício.
4. b) Existem objetos, provavelmente, de formato 

semelhante a um disco,de tamanho perceptível, que parecem ser tão grandes quanto as aeronaves feitas pelo homem.

5. c) Os relatórios de características de operação tais como: extrema velocidade para subir e maneabilidade (principalmente volta completa em torno de seu eixo longitudinal), ação esta que deve ser considerada evasiva quando comunicada por aeronave conhecida e radar, empresta credibilidade para a possibilidade de que alguns objetos são controlados manualmente, automaticamente ou a longa distância.

6. d) A descrição comum da aparência dos objetos é como segue:


7. e) superfície metálica ou refletindo luz.


8. f) Ausência de rastro, com exceção de alguns casos, quando o objeto estava operando sob elevadas condições de desempenho.


9. g) Formato circular ou elíptico, superfície plana na parte de baixo e cúpula em cima. 10. h) Diversos relatórios de favorável preservação de formação de vôos, variando de três a nove objetos.


11. i) Normalmente não há som, com exceção de três exemplos, em que um forte ruído continuo foi notado.
12. j) Níveis normais de velocidade de vôo são calculados acima dos trezentos nós.


13. k) E possível dentro da atual tecnologia dos EUA – previsto que detalhado extenso programa de desenvolvimento seja assumido – construir uma aeronave pilotada, que tenha a descrição geral do objeto subparágrafo “e” acima, que fosse capaz de uma variação aproximada de onze mil duzentos e cinqüenta quilômetros numa velocidade subsônica.
 





PILOTOS SÃO AMEAÇADOS PELA CIA E NÃO PODEM RELATAR OS FATOS  

“(Carta ao Presidente Ronald Reagan): Estimado Senhor Presidente, a CIA[e tudo aquilo que esta por trás dela, como o nome disfarce MJ – 12 ou PI – 40, o NSA, a Sociedade Jason, o CFR, TC, Os Bilderburguers, em suma, o governo clandestino etc. ] lançou ao ridículo sobre a própria constituição dos Estados Unido, decretando que o cidadão americano deve conhecer ou não deve... Por causa disso, nós do JMP, solicitamos a vossa Excelência, na condição de Presidente, emita uma ordem executiva que torne obrigatório a todos, militares, políticos, na ativa ou mesmo aposentados, e que possuam informações sobre óvni, de tornarem públicos seus testemunhos diante de um comitê especial do Congresso, o qual garantir-lhes salvaguarda e imunidade. A CIA insiste em alegar que o acobertamento ou Black-Out é necessário para manter os militares em estado de alerta. A NSA, NASA, CIA, RAND, e associadas da AFOSI informaram-nos que os óvnis tem as mais diversas origens. Cada óvni que aparece, pode-se dizer que representa uma civilização avançada em milhares de anos da nossa. Daí porque todas as operações deles nos parecem não explicáveis. Praticamente não podemos fazer nada para nos proteger deles. A aviação militar terrestre em sua totalidade fica praticamente impotente quando tem que se confrontar com os óvnis. A CIA e o Pentágono sabem muito bem da irrefutável habilidade que os óvnis possuem ao interferir em nossos instrumentos eletrônicos, tanto na terra como no ar, bem como a capacidade deles de desestabilizar instantaneamente todos os sistemas de comando das forças armadas. A CIA se empenhou em tentar compreender cada acontecimento e tentou reproduzir os sistemas de propulsão dos óvnis. Isso apenas significou que inumeráveis vidas de pilotos foram sacrificadas. A Força Aérea ordenou que seus pilotos perseguissem propositalmente os óvnis, com a esperança de derrubar ou capturar um aparelho desses. Mas isso na maioria das vezes só resultou na explosão dos aviões e na morte dos pilotos. Parece que os tripulantes dos óvnis “adivinharam’ todas as ações de nossos aviadores. Analisamos centenas de filmes onde os óvnis aparecem e nenhum deles parecia se teleguiado[ao contrario havia uma inteligência por trás).” “A CIA e forças estranhas, mas muito poderosas impuseram silencio aos pilotos comerciais e de guerra, testemunhas perfeitas das observações ao vivo. Não lhes permitem falar em público, nem mesmo entre eles. Interrogam-nos, ameaçam-nos, intimidam-nos. Molestam militares que viram tais objetos para convence-los a dizerem “sempre aquilo que não viram”!. Obrigam-nos a falar sobre aquilo que deveriam ter visto, mas nunca óvnis e isso vem acompanhado pela ameaça de julgamento, de encarceramento, de transferência para outras bases, ou ainda enviam para hospitais psiquiátricos ou até mesmo para prisões militares. Atualmente, graças aos sistemas de detecção mais sofisticados, os óvnis são percebidos mais freqüentemente sobre nossas bases militares e sobre os silos subterrâneos, de onde saem os mísseis nucleares. Eles vem observar ou espionar os lugares secretos e proibidos e as nossas experiências militares. A RAND disse que a CIA considera que uma catástrofe de grande envergadura como o aparecimento em massa de óvnis sobre a cidade de Washington e da Casa Branca em 1982, não poderá voltar a acontecer. “Um grupo cientifico da NASA concluiu que o acobertamento tinha que acabar porque o público já sabia que os astronautas haviam fotografado óvnis no espaço exterior e que suas naves foram seguidas pelos óvnis. Não obstante, tais astronautas, de tempos m tempos, foram constrangidos a mentir à Grande Imprensa. A CIA insistiu na manutenção do black- out e fez pressão sobre a NASA para que ela continuasse mentindo ao público.