Google+ Badge

sábado, 19 de dezembro de 2009

“O NATAL E A JUSTIÇA CÓSMICA”










Em termos astronômicos sabemos que o dia 25 de dezembro assinala o solstício do inverno no hemisfério norte. Sabemos também que Jesus foi concebido no ventre de uma virgem, Maria, em 25 de março, dia em que o arcanjo Gabriel, “no sexto mês, foi enviado por Deus a uma cidade da Galiléia chamada Nazaré” , segundo registros bíblicos. A palavra Deus, nesse caso, vem do termo hebraico Iahweh-Elohim, e Gabriel tem sido reiteradas vezes considerado um alienígena ou uma divindade. A concepção então se deu no equinócio da primavera e, nove meses depois, no solstício do inverno, nascia Cristo. A chave deste código está, precisamente, ma expressão “no sexto mês” , empregada pelo evangelista Lucas. A humanidade, desde seus tempos primitivos, sempre conheceu alguns Mitos que. Em linguagem comum são narrativas fabulosas que podem ser aceitas como exposição cifrada ou simbólica de uma teoria. No segundo caso temos o Mito Solar quando o logos se manifesta no mundo fenomenal e encarna num homem chamado AVATAR, cada vez que as grandes transformações cósmicas, chamadas “Eras”, que afetam desde o movimento dos sóis até a conduta dos homens, fazem necessária a presença de um “Instrutor” ou um “Transformador” que oriente o caminho ou a senda dos homens. Assim vamos falar da presença de um “Instrutor” ou “Transformador” através dos tempos. Uma condição essencial no Mito Solar é a de que o Avatar seja concebido por uma virgem. Jesus foi concebido por Virgem Maria “por obra e graça do Espírito Santo”Porém este fato, como já sabemos, não passa de uma repetição do acontecido com Krishna, muito, muito tempo antes, concebido pela virgem Devaki, que lhe da a luz no estábulo de Nandem, entre os pastores(Krishna, como Jesus deveria morrer para expiar os pecados de sua raça). Igualmente Horus nasce da virgem Ísis pela vontade do Deus Thot; Osires nasce da virgem Neith. Igualmente são tidos como nascidos de virgens Zoroastro, Quetzacoatl, Apolônio e outros. O mito básico da Maçonaria ortodoxa é a lenda de Hiram Abif, simples versão do Mito Solar e uma verdadeira história simbólica da evolução da consciência do Homem. Eis aqui a razão dos trabalhos dos “Filhos da Viúva” Somente quando brilhar o Sol da Verdade não mais serão necessários nem mitos nem lendas.

Se examinarmos com atenção e espírito livre as Sagradas Escrituras, perceberemos claramente nos livros que compõe o Pentateuco – a Tora hebraica – que os escritos estão sempre permeados da exigência de derramamento de sangue em sacrifícios. Ele é feito, inclusive, por determinação da transcendente e misteriosa entidade cósmica que desempenha, fenomenológica e teologicamente, a função de Deus. Tal misteriosa exigência, que parece ser feita para satisfazer uma espécie de justiça cósmica, é provisoriamente apaziguada como e derramamento de sangue de animais irracionais, segundo o Antigo Testamento. Mas só encontra sua definitiva satisfação com o sacrifício de uma vitima mais desenvolvida, o ser humano. Entende-se isso pelo fato do ser humano ter um grau ontológico superior de composição metafísica da personalidade, animalidade. E racionalidade. Ele é constituído de matéria e espírito. Por outro lado, a transgressão pecaminosa e a desobediência cósmica não são atos perpetrados por animais brutos ou irracionais, mas sim por seres racionais, como o homem, dotado de livre arbítrio. Por isso, somente o sacrifício apazigua a citada justiça cósmica. E precisamente dentro desta perspectiva de analise do Livro de Jô, um dos mais enigmáticos e misteriosos das Escrituras Sagradas, que pensadores como Jung e as israelitas Riwkah Schaerf e Margaret Susmam assumem posições polemicas e chegam a adotar o ponto de vista de judeus cristãos da Palestina, dos primeiros séculos do Cristianismo. Eles interpretavam textos sagrados como contendo representações do primeiro filho de Iahweh. (nosso Deus), que teria sido Satanael. Para eles, Jesus seria o segundo filho e, conseqüentemente, nem primogênito e muito menos unigênito. Esta seria a doutrina dos dois filhos antagônicos de Deus, Satã e Cristo.

O misterioso e praticamente indecifrável Livro da Revelação – o Apocalipse – menciona algo desta tremenda batalha citando até o nome do comandante das milícias de Iahwe, o príncipe arcanjo Miguel, que também é citado nominalmente na epistola de Judas Tadeu. Este, por sua vez já cita um apócrifo atribuído ao patriarca antediluviano Enoque, no qual faz referencia a uma luta travada entre Miguel e Satã – Uma batalha de alienígenas pela posse do cadáver de Moisés. Tudo indica que nessas pelejas houve apenas uma vitória ou algumas vitórias por parte de Miguel e do próprio Iahweh. Há perspectiva, ainda, de uma próximo e terrível confronto entre as duas potencias.


sábado, 12 de dezembro de 2009

O EVANGELHO APÓCRIFO PISTIS SOPHIA (ANJOS CAÍDOS E EXTRATERRESTRES)
















 















Entendemos como sendo extraterrestres negativos os que são inimigos da estrutura hierárquica divina do universo, e conseqüentemente da humanidade, por ser esta um projeto daquilo que chamamos de “Mente Criadora”. Tais civilizações parecem ser orientadas ou até controladas pelas entidades que participam do processo conhecido como a “Grande Rebelião” , descrito na Bíblia e em outras escrituras sagradas. Essa rebelião ocorreu a milhares de anos, provocada por entidades espirituais que pretenderam ser independentes e ter suas próprias criações físicas, e se tornaram seres sem a imagem divina. Segundo estudiosos, eles atuam como um braço físico dos ditos anjos caídos, que voltaram-se contra Deus e provocaram uma grande guerra – um conflito entre o bem e o mal, ou entre o conhecimento de Deus e a ignorância dos rebeldes a seu projeto. Essa visão da realidade cósmica que apresentamos certamente parecera filosoficamente ingênua ou simplória para alguns, mas é bom nos perguntarmos até onde o próprio desenvolvimento de nossa mentalidade foi influenciado por entidades espirituais caídas, justamente para que nos ocultassem a verdade e fazerem-na parecer absurda.

Experimentação Genética – Assim, os extraterrestres são aqueles que atuam contra o desenvolvimento da humanidade, e como parte da guerra dos anjos caídos contra a hierarquia divina, sabotando o projeto de criação e desenvolvimento espiritual do qual fazemos parte, causando inclusive a queda do homem, descrita simbolicamente na Bíblia. Os negativos são aqueles que, justamente por serem criações espiritualmente imperfeitas, buscam restaurar capacidades físicas e psíquicas através da experimentação genética com outras espécies, como a nossa. Essa parece ser a origem das abduções que atentam contra o livre arbítrio humano, constituindo verdadeiros crimes, os quais a ordenação maior do universo não permitira ficarem impunes por muito tempo.



TRANSMIGRAÇÃO DAS ALMAS (TROCA DE ESSÊNCIAS) (metempsicose (do grego meta, que significa mudança)







Troca de essências é o nome dado ao processo através do qual um ser decaído troca com uma entidade espiritual associada a um corpo físico, e já atuante na vida física – astral ou não -, a ascendência sobre este mesmo corpo. O ser inicialmente atuante deixa o corpo físico para o ser decaído(demônio), que passa a atuar a partir de então. Alguns chamam esses seres de entrantes ou walquins. São indivíduos ou inteligências que não respeitam a hierarquia cósmica, de maneira que através de tecnologia conseguem preceder o processo do nascimento e infância, voltando diretamente á terra em corpos adultos. Pode parecer confuso ou inverossímil tal processo, mas ele é aceito em Lojas da Ordem da Centúria Dourada, a mesma ordem da Sociedade Thule dos nazistas.


A substituição pode acontecer em laboratórios subterrâneos. Muitas inteligências optam por entrar em determinado corpo físico. A razão para este fato parece ser que a mente consciente, cujo trabalho é proteger o ser físico, torna-se inconsciente nestas ocasiões e a troca pode ser realizada sem sua interferência.


"As inteligências dedicam-se de forma quase obsessiva ao seu trabalho, serviço ou missão especifica."

 Metempsicose – Os orientais chamam esse processo de metempsicose (do grego meta, que significa mudança, e psyke, alma) acreditando que ocorre a troca de espírito geralmente em corpos adulto, desde que sob o conhecimento e consentimento de quem esta de posse do mesmo, em nível subconsciência. Este seria um processo semelhante ao que aconteceu com o hipotético tibetano Lobsang Rampa, um inglês que de um dia para o outro mudou completamente de comportamento. E ainda assim existem dois tipos de processos. Um é aquele que o espírito ou inteligência pretendente ao corpo esta desencarnado, o que torna o processo mais fácil, já o outro acontece quando os dois estão encarnados, mas um já tem o corpo velho e desgastado ne não pode morrer naturalmente para não cair na malha cármica. Nesse caso, é analisada toda a programação cármica da sua vida, quando são observados vários fatores, tais como idade, família, carmas pendentes, saúde, conduta e vícios e, principalmente sua integridade celular(não pode ser transplantado). Desde que concorde ou não esse individuo e preparado em nível subconsciente e, estando pronto, será arranjada uma forma de perder a consciência durante alguns minutos para que seja feita a troca. Todo esse processo seria impossível sem a ajuda de outras inteligências, tanto no plano astral quanto no físico. Antes disso, o corpo que será abandonado tem também que estar em prefeito equilíbrio, não podendo ter sofrido nenhum tipo de enxerto celular durante a vida. Deve também ser levado para algum local isolado e assistido por quem conhece o processo que, uma vez concluído, encerra toda a atividade celular cessada e seus fluidos etéreos são esvaídos. Ai então o corpo físico deve ser consumido integralmente pela natureza. Não nos resta qualquer dúvida de que muitos destes seres ou inteligências que tomam corpos humanos sejam entidades espirituais caídas ou extraterrestres que necessitando manifestar-se para quaisquer missões em nosso planeta ou plano físico espiritual, procuram “veículos” para tal tarefa – no caso o corpo humano. E para isso necessitam de pessoas influentes em nossa sociedade para poderem se utilizar de instalações hospitalares, além de recrutarem muitas vezes membros da própria Ordem da Centúria Dourada para ocuparem seus corpos com ou sem o consentimento dos mesmos, valendo-se de sua tecnologia para burlar a malha cármica.


Os textos existentes que abordam tal assunto, mais diretamente, são realmente raros, provavelmente ainda não o conheces, e aqueles, que já o abordaram, com o nome de transmigração, provavelmente desconhecem a verdade oculta, portanto, espero dar a este texto, uma melhor compreensão de tal tema ao vosso conhecimento.

O termo entrante, é o nome usado para determinar seres de origem espiritual, que não utilizam os meios Divinos (Lei Cósmica=Lei da Encarnação), para se estabelecerem e utilizarem um corpo de origem física encarnado em nosso meio. (transmigração)

Para entendermos melhor o aqui exposto, é fundamental que compreendas, que os seres espirituais encarnados e desencarnados deste planeta que ainda estão expostos a Lei do Esquecimento, estão bem no meio de uma batalha espiritual que dura a alguns milhares de anos tempo Terra. Esta batalha é travada por seres de Luz, muito desenvolvidos e avançados, de um lado os que defendem a Lei Cósmica ou a Lei de Deus, de outro lado os seres que defendem o Individualismo, a não necessidade de se suprir diretamente da energia da Célula Mater e por conseqüência a não volta da Unidade ao Todo.




A MAÇONARIA DA CENTÚRIA DOURADA

Como exemplo, mais recente do uso de entrantes por grupo organizados, temos, a Loja Maçônica da Centúria Dourada, a FOCG, loja ocultista de práticas mágicas negativas (magia negra), são 99 membros, onde o de número 100 é um demônio, produzido na forma de egregora. Existem, atualmente espalhadas pelo mundo, 99 destas lojas, onde encontramos ligações estreita com a organização dos Illuminati, no dia 23 de junho, em intervalos de cinco anos, um dos membros é escolhido através de sorteio, para abandonar seu corpo físico em prol de um entrante, ou simplesmente, é eliminado, da vida física, através do uso de técnicas mágicas ocultistas, sendo seu lugar ocupado imediatamente por iniciados da ordem, que estavam a espera de uma vaga.


A ORDEM NEGRA

As SS, denominadas também "A Ordem Negra", não eram de forma alguma um regimento da polícia, mas uma verdadeira ordem religiosa com uma estrutura hierárquica. Quem poderia pois pensar que esse brutal partido nazista era uma ordem sagrada? Tal afirmação pode parecer ridícula, fora de época, mas essa não é a primeira vez na história que uma ordem sagrada é responsável por atos de atrocidades sem nome. Os jesuítas e também os dominicanos que dirigiam a Inquisição na Idade Média, são exemplos gritantes. A Ordem Negra era a manifestação concreta das concepções esotéricas e ocultas da Sociedade Thule. No interior das SS se encontrava outra sociedade secreta, a elite, o círculo o mais íntimo das SS, a SS "Sol Negro". Nosso sol giraria em volta do sol negro, quer dizer, de um grande sol central, o sol primordial, que é representado pela cruz com os braços isósceles. Essa cruz foi desenhada sobre os aviões e os carros do terceiro Reich. Os templários, os rosa-cruzes e muitas outras antigas lojas a empregavam ainda nessa mesma ótica [79].
A Sociedade Thule e aqueles que iriam tornar-se, mais tarde, os SS "Sol Negro" trabalharam em estreita colaboração não somente com a colônia tibetana em Berlim, mas também com uma ordem de magia negra tibetana. Hitler estava em contato permanente com um monge tibetano com luvas verdes que era designado como o "guardião da chave" e que teria sabido onde se encontrava a entrada de Agarthi (a Ariana) [80].
Em 25 de abril de 1945, Os russos descobriram os cadáveres de seis tibetanos dispostos em círculo num subterrâneo berlinense, e no centro se encontrava aquele homem das luvas verdes. Diz-se que foi um suicídio coletivo. Em 2 de maio de 1945, após a entrada dos russos em Berlim, encontraram mais de 1.000 homens mortos que eram, sem a menor dúvida, originários das regiões do Himalaia e haviam combatido com os alemães. Que diabo faziam pois os tibetanos afastados, milhares de quilômetros de sua terra, com uniformes alemães? [81]


Numerosos jovens foram formados pelo "Sol Negro" durante o terceiro Reich; eles eram consagrados no castelo forte de Wewelsburg e enviados ao Tibet para lá continuar a sobreviver e preparar-se para afrontar o grande combate final deste fim de século.
Pelos relatos de Franz Bardon, Adolf Hitler era também membro de uma loja FOGC (ordem franco-maçônica da centúria de ouro), conhecida, de fato, como a 99.ª loja. No que concerne às 99.ª lojas, existem noventa e nove lojas disseminadas pelo mundo e cada uma é composta de 99 membros. Cada loja está sob a dominação de um demônio, e cada membro tem um próprio "demônio" só para ele. O demônio ajuda a pessoa a adquirir dinheiro e poder, mas, em troca, a alma dessa pessoa é obrigada a servir esse demônio após sua morte. E também, cada ano, um membro é sacrificado ao demônio da loja, em virtude do que um novo membro é admitido. Os membros das 99.ª lojas são também dirigentes muito influentes na economia e nas finanças e estão mais presentes hoje do que nunca. As lojas FOGC, quer dizer, as 99.ª lojas, são, pelo meu conhecimento, o pior dos perigos; ao lado delas, o satanismo ao qual se refere a "igreja de Satã" de Anton La Vey, de quem se fala na mídia, é bem inofensivo!


Franz Bardon confirmou que Hitler e a ordem Thule foram um Instrumento entre as mãos de um grupo de magos negros tibetanos.
Somente aquele que sabe isso está apto para compreender a frase de Hitler na ocasião de seu discurso em 30 de janeiro de 1945: “Não é a "Ásia Central" que sairá vitoriosa dessa guerra, mas a Europa e, à frente desta, a nação que, já há 1.500 anos, se revelou como o poder predominante capaz de representar a Europa contra o Oriente e que a representará também no futuro: falo do nosso grande Reich alemão, a nação alemã!”. (Discurso e proclamação de Hitler de 1932 a 1945 s- de Max Domarus).

Em que Hitler se tornou, suscitou muitos mitos. Segundo os dizeres de Franz Bardon e Miguel Serranos (ex-embaixador chileno na Áustria), Hitler fugiu para a América do Sul com o auxílio da 99.ª loja. Até dizem que o cadáver encontrado e cuja dentadura foi identificada como sendo falsa pelo dentista de Hitler teria sido colocada lá pela 99.ª loja. Um jornal alemão de grande tiragem publicou em 5 de março de 1979 que foi encontrado o avião particular de Hitler na selva da América do Sul. Joseph Griner, autor de Das Ende des Hitler-Mythos (O fim do mito Hitler), afirma que Hitler decolou com seu avião em 30 de abril de 1945 do aeroporto de Tempelhof em Berlim.

Entendemos como sendo extraterrestres negativos os que são inimigos da estrutura hierárquica divina do universo, e conseqüentemente da humanidade, por ser esta um projeto daquilo que chamamos de “Mente Criadora”. Tais civilizações parecem ser orientadas ou até controladas pelas entidades que participam do processo conhecido como a “Grande Rebelião” , descrito na Bíblia e em outras escrituras sagradas. Essa rebelião ocorreu a milhares de anos, provocada por entidades espirituais que pretenderam ser independentes e ter suas próprias criações físicas, e se tornaram seres sem a imagem divina. Segundo estudiosos, eles atuam como um braço físico dos ditos anjos caídos, que voltaram-se contra Deus e provocaram uma grande guerra – um conflito entre o bem e o mal, ou entre o conhecimento de Deus e a ignorância dos rebeldes a seu projeto. Essa visão da realidade cósmica que apresentamos certamente parecera filosoficamente ingênua ou simplória para alguns, mas é bom nos perguntarmos até onde o próprio desenvolvimento de nossa mentalidade foi influenciado por entidades espirituais caídas, justamente para que nos ocultassem a verdade e fazerem-na parecer absurda.


A manipulação e a sabotagem sistemática contra a humanidade são operadas também e principalmente por uma legião de entidades espirituais caídas, conhecidas como “Arcontes” , conforme são chamadas no Pistis Sophia, um livro gnóstico escrito no inicio do Cristianismo, que transcreve os ensinamentos de Cristo aos apóstolos após a sua ressurreição. Os Arcontes seriam altamente especializados em suas atividades contra a evolução do ser humano, induzindo as pessoas ao erro, à corrupção, ao desamor, à violência, ao materialismo.


- Tudo o que possa de alguma forma desviá-los do propósito para o qual foram criadas, a evolução até a perfeição e o retorno a fonte- o Pai-, para tornaran-se criadores também. Segundo o filosofo James Hurtak, em seu O Livro do Conhecimento: As Chaves de Enoch[Academia para Ciência Futura, 1988], as constelações da Ursa Maior e Ursa Menor, onde esta Alfa Draconis ou Tubam, seriam origens já conhecidas de seres negativos. A associação simbólica do dragão com um grande poder desprovido de compaixão não é uma coincidência, a verdade extraída através do inconsciente coletivo, trazendo a tona informações milenares. Na grande pirâmide de Quéops, no Egito, os dois estreitos corredores ascendentes a partir da câmara do Rei apontam para dois pontos: a do sul para Orion, que seria o local da origem espiritual da humanidade, e o do norte para Alfa Draconis, a Estrela Polar como estava visível naquela época. Isto representaria os dois caminhos antagônicos que a alma poderia seguir, um para a luz, o outro para as trevas. Não é a toa que povos tão diversos ao redor do mundo têm, em sua mitologia, a noção de que somos originários de Orion.

trecho extraido da Revista Ufo Especial 45, matéria do Ufologo paulista Carlos Alberto Milan.
trecho do livro As Sociedades Secretas e seu Poder no Século XX. Jan Van Helsig


A manipulação e a sabotagem sistemática contra a humanidade são operadas também e principalmente por uma legião de entidades espirituais caídas, conhecidas como “Arcontes” , conforme são chamadas no Pistis Sophia, um livro gnóstico escrito no inicio do Cristianismo, que transcreve os ensinamentos de Cristo aos apóstolos após a sua ressurreição. Os Arcontes seriam altamente especializados em suas atividades contra a evolução do ser humano, induzindo as pessoas ao erro, à corrupção, ao desamor, à violência, ao materialismo.
-Se examinarmos com atenção e espírito livre as Sagradas Escrituras, perceberemos claramente nos livros que compõe o Pentateuco – a Tora hebraica – que os escritos estão sempre permeados da exigência de derramamento de sangue em sacrifícios. Ele é feito, inclusive, por determinação da transcendente e misteriosa entidade cósmica que desempenha, fenomenológica e teologicamente, a função de Deus. Tal misteriosa exigência, que parece ser feita para satisfazer uma espécie de justiça cósmica, é provisoriamente apaziguada como e derramamento de sangue de animais irracionais, segundo o Antigo Testamento. Mas só encontra sua definitiva satisfação com o sacrifício de uma vitima mais desenvolvida, o ser humano. Entende-se isso pelo fato do ser humano ter um grau ontológico superior de composição metafísica da personalidade, animalidade. E racionalidade. Ele é constituído de matéria e espírito. Por outro lado, a transgressão pecaminosa e a desobediência cósmica não são atos perpetrados por animais brutos ou irracionais, mas sim por seres racionais, como o homem, dotado de livre arbítrio. Por isso, somente o sacrifício apazigua a citada justiça cósmica. E precisamente dentro desta perspectiva de analise do Livro de Jô, um dos mais enigmáticos e misteriosos das Escrituras Sagradas, que pensadores como Jung e as israelitas Riwkah Schaerf e Margaret Susmam assumem posições polemicas e chegam a adotar o ponto de vista de judeus cristãos da Palestina, dos primeiros séculos do Cristianismo. Eles interpretavam textos sagrados como contendo representações do primeiro filho de Iahweh. (nosso Deus), que teria sido Satanael. Para eles, Jesus seria o segundo filho e, conseqüentemente, nem primogênito e muito menos unigênito. Esta seria a doutrina dos dois filhos antagônicos de Deus, Satã e Cristo.

O misterioso e praticamente indecifrável Livro da Revelação – o Apocalipse – menciona algo desta tremenda batalha citando até o nome do comandante das milícias de Iahwe, o príncipe arcanjo Miguel, que também é citado nominalmente na epistola de Judas Tadeu. Este, por sua vez já cita um apócrifo atribuído ao patriarca antediluviano Enoque, no qual faz referencia a uma luta travada entre Miguel e Satã – Uma batalha de alienígenas pela posse do cadáver de Moisés. Tudo indica que nessas pelejas houve apenas algumas vitórias por parte de Miguel e do próprio Iahweh. Há perspectiva, ainda, de um próximo e terrível confronto entre as duas potências.

Trecho extraido da Revista Ufo Especial 45, matéria do Ufologo paulista Carlos Alberto Milan.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

OS GOVERNANTES SECRETOS DO BRASIL

OS VERDADEIROS GOVERNANTES DO BRASIL
QUEM SÃO ELES. Comando Delta é o nome que se deu (batizado por eles mesmos) às pessoas que verdadeiramente governam este país desde 1500. São grandes e megaempresários nacionais e internacionais de todas as áreas, são funcionários do Executivo, Judiciário e Legislativo, além de organismos internacionais de investigações governamentais, que se unem para ditar as regras de tudo e para todos, principalmente na escolha do presidente da República. Foram eles que decidiram que Sarney tinha de tomar posse, e não Ulysses Guimarães, como mandava a Constituição Federal. Foram eles que decretaram que Collor tinha de sair pela porta dos fundos, investigando e achando a corrupção praticada por eles mesmos, que deram dinheiro para a campanha de Collor e depois denunciaram. Foram eles que decretaram que FHC seria o candidato e não o deixaram apoiar Collor como queria. Agora eles se unem desesperados para fazer o sucessor de FHC. Queriam Aécio como candidato, mas o teimoso Serra atrapalhou e deixou muita gente nervosa. A imprensa noticiou reuniões “secretas” de banqueiros, empresários e empreiteiros com Aécio, Serra e FHC, bem antes do início das disputas.
Agora contam também com especuladores internacionais que ditam normas para nossa economia, com aumentos injustificáveis do dólar e de pressões de acordos antecipados. Se não bastasse, o Comando Delta recebeu como membros os mais novos interessados, que são os empresários internacionais que ganharam as teles de presente de FHC. Esse pessoal do Comando fatura 90 por cento do que se lucra no país e não irá abrir mão de continuar a faturar como querem e bem entendem, em detrimento da sofrida população brasileira. Irão tentar fazer o Presidente da República a qualquer custo. Qualquer! (Francisco Carlos Garisto, presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais) Na defesa dos interesses dos oprimidos, o Ministério Público entra em choque necessariamente com os interesses dos parasitas sociais, dos que controlam o Estado, dos que obtêm rendimentos de estruturas de dominação, de exclusão e de opressão social. Os interesses opressores, não contentes com a exploração dos trabalhadores e dos consumidores, via cartéis etc, locupletam-se com mais de 200 bilhões de reais por ano, no mínimo, em atividades como corrupção, sonegação e a rolagem imoral da dívida pública. Através da sonegação, da corrupção e do mecanismo da rolagem da dívida pública, aqueles que exploram e parasitam o povo controlam o Estado e mantêm a situação de iniqüidade atual. Por isso, o Brasil é o campeão em má distribuição das rendas, tal como é um dos campeões em juros altos, em latifúndios, em grilagem, em corrupção, e mais recentemente em desnacionalização de sua economia, neocolonialismo econômico e cultural explícito etc. (Procurador da República Luiz Francisco Fernandes de Souza)
A ASCENSÃO DE DANTAS. Uma breve cronologia das relações do banqueiro com o poder. MEADOS DOS ANOS 80. Por intermédio de Antonio Carlos Magalhães, o então empresário e ex-aluno de Mário Henrique Simonsen participa de reuniões com economistas do governo José Sarney. É sua porta de entrada no mundo da política. Os contatos se estendem ao mandato de Fernando Collor de Mello. 1994. Funda o Banco Opportunity e aproxima-se de luminares da equipe econômica de Fernando Henrique Cardoso. Pérsio Arida, ex-presidente do Banco Central, iria se tornar sócio do Opportunity. Elena Landau, uma das mentoras do programa de privatização tucana, seria depois sua funcionária. 1998. O Sistema Telebrás é privatizado. Os grampos do BNDES, feitos por ex-agentes do extinto SNI, revelam a atuação de altos funcionários do governo FHC para favorecer o banqueiro. Em uma das conversas, o então presidente do BNDES, Luiz Carlos Mendonça de Barros, afirma ser preciso “fazer os italianos na marra”. Ou seja, forçá-los a uma associação com Dantas, o que de fato aconteceu. 2002. Após um jantar com Dantas no Palácio do Planalto, Fernando Henrique Cardoso ordena a intervenção nos fundos de pensão, que estavam em disputa judicial com o Opportunity por conta dos prejuízos provocados por sua gestão à frente das empresas de telefonia privatizadas.
Funcionários da Kroll são flagrados pela PF no Rio após confundirem o então presidente do BC, Armínio Fraga, com o ex-presidente do BNDES (e do Banco do Brasil) Andrea Calabi, que prestava consultoria à Telecom Italia. Inicia-se a investigação do chamado caso Kroll. 2004. A PF realiza a Operação Chacal, que apreende documentos e os discos rígidos do computador central do Opportunity. Mais tarde, Dantas viraria réu por espionagem ilegal e formação de quadrilha, entre outros crimes. 2005. As empresas controladas pelo banqueiro eram os maiores clientes privados das agências do publicitário Marcos Valério Fernandes de Souza. Marcos Valério atuou para tentar aplacar as divergências entre o Opportunity e parte do governo Lula. 2006. A Veja revela ter recebido de Dantas um dossiê com supostas contas de autoridades no exterior. Entre os citados no dossiê, montado por um ex-funcionário da Kroll, aparecem o presidente Lula e Paulo Lacerda, agora afastado da Abin. Um inquérito policial concluiu que os documentos eram falsos. DD foi indiciado por calúnia. 2007. Começam as articulações para a fusão entre a Brasil Telecom e a Oi. A transação tem o apoio explícito do Palácio do Planalto. O acerto acontece no início de 2008. Dantas sairia da operação com cerca de 1 bilhão de dólares (UM BILHÃO DE DÓLARES; UM BILHÃO DE DÓLARES; UM BILHÃO DE DÓLARES; UM BILHÃO DE DÓLARES). 2008. O banqueiro é preso na Operação Satiagraha. Entre outros crimes, é acusado de tentar subornar um delegado federal com 1 milhão de dólares. Em duas ocasiões, o presidente do Supremo, Gilmar Mendes, concede habeas corpus a DD. Mendes, em parceria com a Veja, esmera-se em denunciar a existência de um “Estado policial” no Brasil. A República mergulha em nova “crise”.