Google+ Badge

sábado, 3 de janeiro de 2009

OS VIAJANTES DAS PORTAS INDUZIDAS




Em um livro publicado em 1758, Boscovich afirma que o espaço, o tempo e o movimento são descontínuos, compostos por “corpúsculos” (átomos em movimentação!) que podem ser combinados de oito maneiras diferentes. E que “se o mesmo ponto material é unido ao mesmo ponto de espaço em diversos momentos do tempo separados por qualquer intervalo, produzir-se-á uma regressão ao mesmo lugar, sendo possível passar através de portas fechadas e voar através das paredes mais duras sem encontrar quaisquer obstáculos, desde que possa ser imprimida uma velocidade suficiente!!! O que, naquele distante ano, incrível e espantosamente corresponde a uma verdade absoluta, modernamente comprovada através da nossa Física de Vanguarda. É de fato um grande mistério mas o fenômeno é real. Certos sons, ou vibrações de ar, parecem acompanhar a abertura daquilo que os cientistas de vanguarda e pesquisadores já chamam de ”portas induzidas”. Aparentemente, certos lugares parecem ter a propriedade de desencadear tais fenômenos mais especialmente do que outros. Na verdade trata-se de um “efeito túnel” que parece afetar dobras dimensionais e alterar os próprios conceitos e padrões conhecidos do tempo. Os turbilhões e os nevoeiros que freqüentemente acompanham tal fenômeno, brancos ou por vezes esverdeados, parecem ser uma espécie de condensação temporária de energias, as quais teriam alguma relação com as propriedades atômicas da natureza, ou quem sabe do próprio desenrolar da sucessão de eventos nos meandros do tempo e do próprio espaço.

Esses lugares apresentam por características notáveis o fato de conter perturbações no magnetismo e na gravitação, bem como serem pontos propícios às visões, notadamente dos OVNI. Por outro lado, acreditamos que um dos mais intrigantes fenômenos do campo da Parapsicologia esteja intimamente relacionado a esses misteriosos vórtices temporais que surgem de quando em vez, e repentinamente, em lugares esparsos do nosso mundo representando pois uma faceta verdadeiramente sinistra e assustadora. Estamos falando daquilo que se conhece como “combustão espontânea”, ou ainda como é conhecido nos meios parapsicológicos CHE (Combustão Humana Espontânea), quando pessoas são consumidas em questões de segundos por uma espécie de fogo infernal que parece ter vindo do nada e mata! O termo “portas induzidas” é no entanto bem explícito. Alguns pesquisadores julgam se tratar daquilo que está contido no estrito senso da palavra, ou seja, alguém, ou alguma coisa, estaria propositadamente produzindo esses “portais” no nosso mundo, talvez para capturar pessoas! Isso no entanto requereria uma fantástica máquina capaz de alterar estruturas atômicas e inverter o tempo. Coisas somente disponíveis por aqueles que tripulam, ou manipulam, os OVNIS!

REFERÊNCIAS: Trecho do Livro INSÓLITO de Sergio Russo 

Um comentário:

  1. Quando eu tinha 7 ou 8 anos de idade eu saí a caminhar com um primo da mesma idade porque nós dois tivemos a "brilhante" ideia de ir, a pé, até uma cidade vizinha a qual morávamos, distante cerca de 25 km e por estrada de terra batida (como de fato até hoje é). Em determinado ponto da estrada, subitamente, vimos a poucos metros de nós uma paisagem bastante estranha e totalmente diferente daquela que sabíamos existir ali. Em meio a estrada de terra havia uma estranha névoa e em meio a ela havia como que uma "cidade". Embora fosse muito pequeno me lembro muito bem como se apresentava a mim aquela visão: uma praça com um jardim onde haviam algumas palmeiras, uma rua onde haviam alguns edifícios com grandes janelas de vidro e a total ausência de qualquer forma de vida ou de algum veículo. Naquele momento tivemos muito medo e resolvemos voltar para casa sem sequer olhar para trás. Até hoje aquela visão me incomoda muito, me lembro que, repentinamente, a estrada de terra dava lugar a uma estrada asfaltada, sendo que, no limite entre a terra e o asfalto havia um pequeno degrau, uma linha que delimitava muito bem onde terminava uma e começava a outra. Me lembro também do nevoeiro localizado que cobria aquela cidade, embora a manhã fosse ensolarada e fresca. Ressalto, nunca houve uma cidade naquele local, é uma estrada rural onde a paisagem é dominada por pastos, chácaras, sítios e vegetação típica. Muito estranho é que meu primo, que me acompanhava na época, perdeu totalmente a lembrança do fato. Hoje, quando pergunto à ele sobre isso ele diz que não se lembra e que isso nunca aconteceu. As vezes chego a pensar que isso nunca aconteceu, mas o problema é que aconteceu, me atormenta e tenho até vontade de fazer uma regressão hipnótica para ver se existem outras detalhes que não consigo me lembrar.

    ResponderExcluir

COMENTE AQUI