[Rodrigo Veronezi Garcia] Google+ Rodrigo Veronezi Garcia+ Google Google AS TEORIAS DA CONSPIRAÇÃO DE RODRIGO VERONEZI GARCIA : Abril 2008 href="https://plus.google.com/u/0/+RodrigoVeroneziGarciarodrigoenok" rel="publisher">

Google+ Badge

domingo, 11 de maio de 2008

O MISTÉRIO DE ATLÂNTIDA




Atlântida



A história antiga da humanidade em grande parte se constitui um enigma, enigma esse devido à ignorância das pessoas que a escreveram e dataram certos eventos. Podemos perceber isto tendo em vista, por exemplo, o que dizem a respeito da esfinge, pois atualmente estudos provam que ela data de 12.000 a.C. a 10.500 a.C., enquanto que a história que divulgam datam-na de apenas de 4.000 a.C.

Uma outra indagação que deve ser feita diz respeito à distribuição de pirâmides no mundo. Elas são encontradas não somente no Egito, mas também na China e na América Central, mostrando a interligação dessas culturas no passado. O que interliga todas essas civilizações antigas? A única resposta que melhor responde a essas perguntas, e outras a respeito do mundo antigo, é a existência da Atlântida.

A primeira fonte de informação que chegou ao mundo moderno é sem dúvida os escritos de Platão. Foi ele quem primeiro falou da existência de uma ilha então submersa à qual foi dado o nome de Atlântida. Platão tomou conhecimento da Atlântida através de Sólon, que, por sua vez lhe foi referido por pelos sacerdotes egípcios, num dos templos da cidade egípcia de Saís.

Na verdade a Atlântida data de pelo menos 100.000 a.C., então constituindo não uma ilha e sim um imenso continente que se estendia desde a Groelândia até o Norte do Brasil. Sabe-se que os atlantes chegaram a conviver com os lemúrios, que viviam num continente no Oceano Pacifico aproximadamente onde hoje se situa o Continente Australiano. Naquele continente Atlante havia muitos terremotos e vulcões e foi isto a causa de duas das três destruições que acabaram por submergi-lo. A terceira destruição não foi determinada por causas naturais. Na primeira destruição, em torno de 50.000a.C. várias ilhas que ficavam junto do continente atlante afundaram, como também a parte norte do continente que ficava próximo a Groelândia, em decorrência da ação dos vulcões e terremotos. A segunda destruição, motivada pela mudança do eixo da Terra, ocorreu em torno de 28.000 a.C., quando grande parte do continente afundou, restando algumas ilhas, das quais uma que conectava o continente Atlante à América do Norte. E a terceira foi exatamente esta onde floresceu a civilização citada por Platão e que por fim foi extinta, em uma só noite, afundando-se no mar restando apenas as partes mais elevadas que hoje corresponde aos Açores descrita por Platão.



Para se estudar bem a Atlântida deve-se considerar que esse nome diz respeito a três civilizações distintas, pois em cada uma das destruições os que restaram tiveram que recomeçar tudo do início.



Sobre a Atlântida antes da primeira destruição (antes de 50.000 a.C.) pouco se sabe. Diz-se haver sido colonizada pelos lemurios que haviam fugido do continente onde habitavam, também sujeito a cataclismos imensos, quando então se estabeleceram correntes migratórias fugitivas das destruições que ocorriam na Lemúria, algumas delas dirigiram-se para o Sul Atlântida.

Estes primeiros Atlantes julgavam a si pelo caráter e não pelo que tinham e viviam em harmonia com a natureza. Pode-se dizer que 50% de suas vidas era voltada ao espiritual e os outros 50% para o lado prático, vida material. Possuíam grandes poderes mentais o que lhes conferia domínio da mente sobre o corpo. Eles faziam coisas impressionantes com os seus corpos. Assim viveram por muito tempo até que, em decorrência da proximidade do sul da Atlântida com o Continente Africano, várias tribos agressivas africanas dirigiram-se para a Atlântida forçando os Lemurios estabelecidos na Atlântida a se deslocarem cada vez mais para o norte do continente atlante. Com o transcorrer do tempo os genes dos dois grupos foram se misturando.

Em 52.000 a.C. os Atlantes começaram a sofrer com ataques de animais ferozes, o que os fizeram aumentar seus conhecimentos em armas, motivando um avanço tecnológico na Atlântida. Novos métodos de agricultura foram implementados, a educação expandiu, e conseqüentemente bens materiais começaram a assumir um grande valor na vida das pessoas, que começaram a ficar cada vez mais materialistas e conseqüentemente os valores psíquicos e espirituais foram decaindo. Uma das conseqüências foi que a maioria dos atlantes foi perdendo a capacidade de clarividência e suas habilidades intuitivas por falta de treinamento e uso, a ponto de começarem a desacreditar na mencionadas habilidades.

Edgar Cayce afirma que dois grupos diversos tiveram grande poder nessa época, um deles chamados de "Os Filhos de Belial". Estes trabalhavam pelo prazer, tinham grandes posses, mas eram espiritualmente imorais. Um outro grupo chamado de "As Crianças da Lei Um", era constituído por pessoas que invocavam o amor e praticavam a reza e a meditação juntas, esperando promover o conhecimento divino. Eles se chamavam "As Crianças da Lei Um" porque acreditavam em Uma Religião, Um Estado, Uma Casa e Um Deus, ou melhor, que Tudo é Um. Logo após essa divisão da civilização atlante, foi que ocorreu a primeira destruição da Atlântida, ocasião em que grande número de imensos vulcões entraram em erupção. Então uma parte do povo foi para a África onde o clima era muito favorável e possuíam muitos animais que podiam servir como fonte de alimentação. Ali os descendentes dos atlantes viveram bem e se tornaram caçadores. A outra parte direcionou-se para a América do Sul onde se estabeleceu na região onde hoje é a Bacia Amazônica. Biologicamente os atlantes do grupo que foi para a América do Sul começaram a se degenerar por só se alimentarem de carne pensando que com isso iriam obter a força do animal, quando na verdade o que aconteceu foi uma progressiva perda das habilidades psíquicas. Assim viveram os descendentes atlantes até que encontraram um povo chamado Ohlm, remanescentes dos descendentes da Lemúria, que os acolheram e ensinaram-lhes novas técnicas de mineração e agricultura.

As duas partes que fugiram da Atlântida floresceram muito mais do que aquela que permanecera no continente, pois em decorrência da tremenda destruição os remanescentes praticamente passaram a viver como animais vivendo nas montanhas durante 4.000 anos, após o que começaram a estabelecer uma nova civilização.



Atlântida 48.000 a.C. a 28.000 a.C.

Os atlantes que estabeleceram uma nova civilização na Atlântida começaram de forma muito parecida com o inicio da colonização que os Lemurios fizeram na Atlântida. Eles se voltaram a trabalhar com a natureza e nisso passaram milhares de anos, mas com o avanço cientifico e tecnológico também começaram a ficar cada vez mais agressivos, materialistas e decadentes. Os tecnocratas viviam interessados em bens materiais e desrespeitando a religião. A mulher se tornou objeto do prazer; crimes e assassinatos prevaleciam, os sacerdotes e sacerdotisas praticavam o sacrifício humano. Os atlantes se tornaram uma civilização guerreira. Alguns artistas atlantes insatisfeitos fugiram para costa da Espanha e para o sudoeste da França, onde até hoje se vêem algumas de suas artes esculpidas nas cavernas. Em 28.000 a.C. com a mudança do eixo da Terra, os vulcões novamente entraram em grande atividade acabando por acarretar o fim da segunda civilização atlante. Com isso novamente os atlantes fugiram para as Antilhas, Yucatã, e para a América do Sul.



Atlântida 28.000a.C. a 12.500 a.C.

Esta foi a civilização atlante que foi descrita por Platão.

Mais uma vez tudo se repetiu, os que ficaram recomeçaram tudo novamente, recriando as cidades que haviam sido destruídas, mas inicialmente não tentando cometer os mesmos erros da florescente civilização passada. Eles unificaram a ciência com o desenvolvimento espiritual a fim de haver um melhor controle sobre o desenvolvimento social.

Começaram a trabalhar com as Forças da Natureza, tinham conhecimento das hoje chamadas linhas de Hartman e linhas Ley, que cruzam toda a Terra, algo que posteriormente veio a ser muito utilizado pelos celtas que construíram os menires e outras edificações em pedra. Vale salientar que eles acabaram por possuir um alto conhecimento sobre a ciência dos cristais, que usavam para múltiplos fins, mas basicamente como grandes potencializadores energéticos, e fonte de registro de informações, devido a grande potência que o cristal tem de gravar as coisas.

Os Atlantes tinham grande conhecimento da engenharia genética, o que os levou a tentar criar “raças puras”, raças que não possuíssem nenhum defeito. Esse pensamento persistiu até o século XX a ser uma das bases do nazismo.

Os Atlantes detinham grandes conhecimentos sobre as pirâmides, há quem diga que elas foram edificadas a partir desta civilização e que eram usadas como grandes condutores e receptores de energia sideral, o que, entre outros efeitos, fazia com que uma pessoa que se encontrasse dentro delas, especialmente a Grande Pirâmide, entrava em estado alterado de consciência quando então o sentido de espaço-tempo se alterava totalmente.

É certo que os habitantes da Atlântida possuíam um certo desenvolvimento das faculdades psíquicas, entre as quais a telepatia, embora que muito aquém do nível atingido pelos habitantes da primeira civilização.

Construíram aeroplanos, mas nada muito desenvolvido, algo que se assemelharia mais ao que é hoje é conhecido como “asa delta”. Isto tem sido confirmado através de gravuras em certos hieróglifos egípcios e maias.

Também em certa fase do seu desenvolvimento os atlantes foram grandes conhecedores da energia lunar, tanto que faziam experiências muito precisas de conformidade com a fase da Lua. A par disto foram grandes conhecedores da astronomia em geral.

Na verdade os atlantes detiveram grandes poderes, mas como o poder denigre o caráter daquele que não está devidamente preparado para possuí-lo, então a civilização começou a ruir. Eles começaram a separar o desenvolvimento espiritual do desenvolvimento científico. Sabedores da manipulação dos gens eles desenvolveram a engenharia genética especialmente visando criar raças puras. Isto ainda hoje se faz sentir em muitos povos através de sistemas de castas, de raça eleita ou de raça ariana pura. Em busca do aperfeiçoamento racial, como é da natureza humana o querer sempre mais os cientistas atlantes tentaram desenvolver certos sentidos humanos mediante gens de espécies animais detentoras de determinadas capacidades. Tentaram que a raça tivesse a acuidade visual da águia, e assim combinaram gens deste animal com gens humano; aprimorar o olfato através de gens de lobos, e assim por diante. Mas na verdade o que aconteceu foi o pior, aqueles experimentos não deram certo e ao invés de aperfeiçoarem seus sentidos acabaram criando bestas-feras, onde algumas são encontradas na mitologia grega e em outras mitologias e lendas. Ainda no campo da engenharia genética criaram algumas doenças que ainda hoje assolam a humanidade.

A moral começou a ruir rapidamente e o materialismo começou a crescer. Começaram a guerrear. Entre estas foi citada uma que houve com a Grécia, da qual esta foi vitoriosa. Enganam-se os que pensam que a Grécia vem de 2 000 a.C. Ela é muito mais velha do que o Egito e isto foi afirmado a Sólon pelo sacerdote de Sais. Muitos atlantes partiram para onde hoje é a Grécia e com o uso a tecnologia que detinham se fizeram passar por deuses dando origem assim a mitologia grega, ou seja, constituindo-se nos deuses do Olimpio.

Por último os atlantes começaram a fazer experimentos com displicência de forma totalmente irresponsável com cristais e como conseqüência acabaram canalizando uma força cósmica, que denominaram de "Vril", sob as quais não tiveram condições de controla-la, resultando disso a destruição final da Atlântida, que submergiu em uma noite. Para acreditar que um continente tenha submergido em uma noite não é muito fácil, mas temos que ver que a tecnologia deles eram muito mais avançadas do que a nossa, e que o poder do cristal é muito maior do que imaginamos, pois se formos vê os cristais estão em tudo com o avanço tecnológico, um computador é formado basicamente de cristais e o laser é feito a parti de cristais. Mas antes da catástrofe final os Sábios e Sacerdotes atlantes, juntamente com muitos seguidores, cientes do que adviria daquela ciência desenfreada e conseqüentemente que os dias daquela civilização estavam contados, partiram de lá, foram para vários pontos do mundo, mas principalmente para três regiões distintas: O nordeste da África onde deram origem a civilização egípcia; para América Central, onde deram origem a Civilização Maia; e para o noroeste da Europa, onde bem mais tarde na Bretanha deram origem à Civilização Celta.

A corrente que deu origem a civilização egípcia inicialmente teve muito cuidado com a transmissão dos ensinamentos científicos a fim de evitar que a ciência fora de controle pudesse vir a reeditar a catástrofe anterior. Para o exercício desse controle eles criaram as “Escolas de Mistérios”, onde os ensinamentos eram velados, somente sendo transmitidos às pessoas que primeiramente passassem por rigorosos testes de fidelidade.

Os atlantes levaram com eles grandes conhecimentos sobre construção de pirâmides, e sobre a utilização prática de cristais, assim como conhecimentos elevados de outros ramos científicos, como matemática, geometria, etc. Pesquisas recentes datam a Esfinge de Gizé sendo de no mínimo 10.000 a.C. e não 4.000a.C. como a egiptologia clássica afirma. Edgar Cayce afirmou que embaixo da esfinge existe uma sala na qual estão guardados documentos sobre a Atlântida, atualmente já encontraram uma porta que leva para uma sala que fica abaixo da esfinge, mas ainda não entraram nela. A Ordem Hermética afirma a existência não de uma sala, mas sim de doze.

A corrente que deu origem a civilização maia, foi muito parecida com a corrente que deu origem a civilização egípcia. Quando os atlantes que migraram para a Península de Yucatã antes do afundamento final do continente, eles encontraram lá povos que tinham culturas parecidas com a deles, o que não é de admirar, pois na verdade lá foi um dos pontos para onde já haviam migrado atlantes fugitivos da segunda destruição.

Também os integrantes da corrente que se direcionou para o Noroeste da Europa, e que deu origem mais tarde aos celtas, tiveram muito cuidado com a transmissão do conhecimento em geral. Em vez de optarem para o ensino controlado pelas “Escolas de Mistérios” como acontecera no Egito, eles optaram por crescer o mínimo possível tecnologicamente, mas dando ênfase especialmente os conhecimentos sobre as Forças da Natureza, sobre as energias telúricas, sobres os princípios que regem o desenvolvimento da produtividade da terra. Conheciam bem a ciência dos cristais, e da magia, mas devido ao medo de fazerem mau uso dessas ciências eles somente utilizavam-nos, mas no sentido do desenvolvimento da agricultura, da produtividade dos animais de criação, etc.

Atualmente as pessoas vêem a Atlântida como uma lenda fascinante, como algo que mesmo datando de longa data ainda assim continua prendendo tanto a atenção das pessoas. Indaga-se do porquê de tanto fascínio? Acontece que ao se analisar a história antiga da humanidade vê-se que há uma lacuna, um hiato, que falta uma peça que complete toda essa história. Muitos estudiosos tentam esconder a verdade com medo de ter que reescrever toda a história antiga, rever conceitos oficialmente aceitos. Mas eles não explicam como foram construídas as pirâmides, como existiram inúmeros artefatos e achados arqueológicos encontrados na Ásia, África e América e inter-relacionados. O como foram construídos as pirâmides e outros monumentos até hoje é um enigma. Os menires encontrados na Europa, as obras megalíticas existentes em vários pontos da terra, os desenhos e figuras representativas de aparelhos e até mesmo de técnicas avançadas de várias ciências, os autores oficiais não dão qualquer explicação plausível.

Os historiadores não acreditam que um continente possa haver afundado em uma noite, mas eles esquecem que aquela civilização foi muito mais avançada que a nossa. Foram encontradas, na década de 60, ruínas de uma civilização no fundo do mar perto dos Açores, onde foram encontrados vestígios de colunas gregas e até mesmo um barco fenício. Atualmente foram encontradas ruínas de uma civilização que também afundou perto da China.

As pessoas têm que se conscientizar de que em todas as civilizações em que a moral ruiu, ela começou a se extinguir, e atualmente vemos isso na nossa civilização, e o que é pior, na nossa civilização ela tem abrangência mundial, logo se ela rui, vai decair todo o mundo. Então o mais importante nessa história da Atlântida não é o acreditar que ela existiu e sim aprender a lição para nós não enveredemos pelo mesmo caminho, repetindo o que lá aconteceu.

O ENIGMA DOS MUNDOS SUBTERRÂNEOS











O enigma dos mundos subterrâneos constitui parte de um segredo muito bem guardado e tudo aquilo que se sabe sobre o assunto, não passa de apenas uma leve ponta, do extenso véu que encobre a sua indevassável realidade transcendente.

ESTIGMATIZADOS - Como interessado pelo tema e buscador das verdades que foram ocultadas sob o véu inocente da lenda, tenho procurado discernir sobre seus inúmeros disfarces, adotados pelos sábios do passado, para que alguns de seus aspectos pudessem circular livremente sobre a face da Terra. Quando aceitamos conscientemente a possibilidade de existirem mundos no interior de nosso planeta, não o devemos fazer tomados por uma decisão apaixonada e inconseqüente, mas sim, suportada por algo de ordem interior. Algo bem mais forte, que não pode ser transferido nem comprovado, diante do pragmatismo do mundo que construímos como ideal de vida. Vivemos iludidos perante nossos arcaicos métodos de existência e um deplorável engano secular que não nos permite perceber outros aspectos da vida na Terra, senão os já estigmatizados como “verdadeiros”. Precisamos nos libertar destas amarras transitórias e aceitar outras possibilidades. Lembremo-nos de que se ousamos lançar naves no espaço à procura de vida inteligente fora da Terra, devemo-nos questionar sobre o que poderíamos encontrar. Estaremos preparados? Eis a grande questão… Precisamos saber que a visão exterior das coisas, a qual atrai o visionário ávido pelas posses temporárias de nosso mundo e do espaço, não é a mesma que parte da consciência daquele que faz com que esta percepção passe também pelo seu interior.

Neste novo trabalho sobre os mistérios milenares dos mundos subterrâneos, preferimos desenvolver uma abordagem menos contestadora e mais voltada para os princípios da consciência, ou seja, ao mesmo tempo em que inspira um caráter de pesquisa no mundo exterior, também projeta algo de caráter interior, secreto, íntimo, espiritual. Contaremos neste trabalho, evidentemente, com a ajuda imprescindível de “verdadeiros pilares” do conhecimento humano, como Helena Blavatsky, Saint-Yves, São Paulo, Djwhal Khul, René Guénon, O.B.R.Diamor, E. Bulwer Lytton, Polo Noel Atan e Udo Oscar Luckner, por terem estes burilado suas vidas junto aos mananciais mais sublimes das águas intocáveis do saber oculto. Ousamos também comentar a consistente “aventura” de Dino Kraspedon, rejeitado por muitos, além dos autores de “ficção” como Edgar Allan Poe e Júlio Verne, pois sabemos que suas “histórias” não foram forjadas nos meros laboratórios da imaginação, simplesmente para divertir os homens apressados e cansados deste final de ciclo.
O enigma dos mundos subterrâneos constitui parte de um segredo muito bem guardado e tudo aquilo que se sabe sobre o assunto, não passa de apenas uma leve ponta, do extenso véu que encobre a sua indevassável realidade transcendente.
BLAVATSKY - Queremos iniciar esta nova pesquisa citando a grande Mestra do ocultismo ocidental, Helena Petrovna Blavatsky, que muitos pretendem transformar numa charlatã, talvez por falta de firme sustentação de suas próprias idéias ou por inépcia, acabando estes incautos transgressores do verdadeiro conhecimento baseando suas falsas premissas em elementos absolutamente fragilizados pelo materialismo ou mesmo revestidos por princípios fortemente preconceituosos. Em geral, podemos dizer, o fazem por incapacidade de compreender os meandros que envolveram a vida e a obra de uma pessoa como a insigne ocultista, ou simplesmente por impulsos movidos pela inveja.

Para o fim que almejamos, iremos citar ostensivamente excertos de diversos autores que tratam deste assunto nebuloso e ainda mantido sob o rigor da censura oficial, além da não menos severa censura interior, que mantém sob impedimento certas revelações das mentes cristalizadas da maioria dos homens da Terra.

Em sua magnífica “enciclopédia” do ocultismo, A Doutrina Secreta, faz a Digna Instrutora HPB menção de outros mundos que existem além na crosta terrestre, abordando o mistério das muitas grutas desconhecidas que rasgam o subsolo de nosso planeta. Não somente fala dos Filhos de Deus e da Ilha Sagrada, mas afirma que esta última, ainda pode ser encontrada sobre a Terra. Diz textualmente: “a ‘ilha’, segundo a crença, existe ainda hoje, como um oásis rodeado pela terrível solidão do grande Deserto de Gobi, cujas areias não há memória humana de que tenham sido pisadas”.

No seu livro Ísis sem Véu, a autora fala também desta “ilha” mágica dos deuses:

“Diz a tradição, e explicam os registros do Grande Livro, que muito antes da época de Ad-am e de sua curiosa mulher He-va, onde atualmente só se encontram lagos secos e desolados desertos nus, havia um vasto mar interior, que se estendia sobre a Ásia central, ao norte da soberana cordilheira do Himalaia, e de seu prolongamento ocidental. Uma ilha, que por sua inigualável beleza não tinha rival no mundo, era habitada pelos últimos remanescentes da raça que precede a nossa. Essa raça podia viver com igual facilidade na água, no ar ou no fogo, pois possuía um controle ilimitado sobre os elementos. Eram os ‘Filhos de Deus’; não aqueles que viram as filhas dos homens, mas os verdadeiros Elohim, embora na Cabala oriental eles tenham um outro nome. Foram eles que ensinaram aos homens os segredos mais maravilhosos da Natureza, e lhes revelaram a ‘palavra’ inefável e atualmente perdida. Essa palavra, QUE NÃO É UMA PALAVRA, percorreu o globo, e ressoou ainda como um remoto eco no coração de alguns homens privilegiados. Os hierofantes de todos os Colégios Sacerdotais estavam a par da existência dessa ilha, mas a ‘palavra’ era conhecida apenas pelos Yava-Aleim, ou mestres principais de todos os colégios; que a passavam ao seu sucessor apenas no instante da morte. Havia vários de tais colégios e os antigos autores clássicos fazem menção a eles”.

E ainda:

“Não havia nenhuma comunicação por mar com a bela ilha, mas passagens subterrâneas conhecidas apenas pelos chefes comunicavam-se com ela em todas as direções”.

“Quem poderá dizer que a Atlântida perdida – que é também mencionada no Livro Secreto, mas sob um outro nome pronunciado na língua sagrada – não existia naqueles dias?”.

A palavra perdida é um grande mistério que somente pode ser conhecido em seu inteiro significado pelos Iniciados, os quais, sempre mantiveram o mais absoluto segredo sobre este assunto. Pensamos que ela poderia estar relacionada ao mistério das regiões sagradas dos deuses no interior da Terra, sobejamente conhecidas pelos grandes filósofos, santos, iogues, etc., homens livres, cujas mentes jamais se submeteriam aos aspectos da vida puramente materiais. HPB escreve sobre esta possibilidade:

“A grandiosa poesia dos quatro Vedas; o Livro de Hermes; o Livro dos números caldeu; o Códex nazareno; a Cabala dos Tanaïm; a Sepher Yetzirah; o Livro da Sabedoria de Shlômôh (Salomão); o tratado secreto sobre Mukta e Baddha, atribuído pelos cabalistas budistas a Kapila, o fundador do sistema Sânkhyâ; os Brâhmanas, o Bstan-hgyur dos tibetanos; todos esses livros têm a mesma base. Variando apenas as alegorias, eles ensinam a mesma doutrina secreta que, uma vez completamente expurgada, provará ser a ÚLTIMA THULE da verdadeira filosofia, e revelará o que é essa PALAVRA PERDIDA”.

Sobre os túneis misteriosos que já foram encontrados sob o solo da Índia, HPB faz o seguinte relato:

“Conta a tradição – e a Arqueologia aceita a veracidade da lenda – que atualmente há mais de uma cidade florescente na Índia, construída sobre várias outras, constituindo assim uma verdadeira cidade subterrânea com seis ou sete pisos. Delhi é uma delas, Allahabad é outra. Vêem-se exemplos semelhantes na Europa, como Florença, que está edificada sobre diversas cidades mortas, etruscas e outras. Destarte, por que razão Ellora, Elefanta, Karli e Ajunta não podiam ter sido construídas por cima de labirintos e passagens subterrâneas, como se afirma? Claro que não nos referimos às grutas que todos os europeus conhecem de visu ou por ouvir dizer, apesar de sua grande antigüidade, que a Arqueologia moderna também confessa; mas ao fato, conhecido pelos brâmanes iniciados da Índia e especialmente pelos Iogues, de não existir no país um só templo-gruta que não tenha corredores subterrâneos, dispostos em todas as direções, e de possuírem tais grutas e corredores subterrâneos inumeráveis, por sua vez, os seus subterrâneos e corredores”.

Ela menciona também as passagens que existem sob o solo das Américas e sobre as bibliotecas e arquivos antigos que se acham encerrados em locais secretos nestas regiões indevassáveis:

“As ruínas que cobrem as duas Américas, e que se encontram em muitas ilhas das Índias Ocidentais, são todas atribuídas aos atlantes submersos. Assim como os hierofantes do mundo antigo, o qual, ao tempo da Atlântida, estava unido ao novo por terra, os mágicos da nação atualmente submersa dispunham de uma rede de passagens subterrâneas que corriam em todas as direções”.

E ainda:

“Os membros de várias escolas esotéricas, cujo centro está situado além dos Himalaias e de que se podem encontrar ramificações na China, no Japão, no Tibete e até mesmo na Síria, como também na América do Sul, afirmam que têm em seu poder a soma total das obras sagradas e filosóficas, manuscritas ou impressas, enfim, todas as obras que têm sido escritas, nas diversas línguas ou caracteres, desde os hieróglifos ideográficos até o alfabeto de Cadmo e o Devanagari”.

Curiosamente, já que estamos citando aspectos inusitados da vida em nosso globo, desconhecidos para uma grande maioria das pessoas, HPB em seu livro “Al Pais de las Montañas Azules” fala sobre um paradisíaco lugar descoberto por exploradores da Índia, chamado de Montanhas Azuis, que estão coroados pelos soberbos cumes de Nilguiri e Mukkartebet. Trata-se de uma terra incógnita e um mundo encantado, habitado por cinco estranhas tribos de raças distintas, onde coisas estranhas acontecem. Ela fala dos misteriosos “toddes”, uma das tribos que moram nestas lendárias e harmoniosas paragens das enigmáticas e pouco conhecidas Montanhas Azuis. Falando sobre as estranhas práticas destes povos a autora diz que “se nossa orgulhosa ciência, carente de sabedoria, se nega a admitir sua realidade, isto se deve unicamente a que não é capaz de compreendê-las e classificá-las”. Disse HPB que tudo o que um amigo lhe contara a respeito deles, este havia observado “in loco”, pois vivera durante muito tempo no meio destes estranhos povos, e que seus relatos fantásticos poderiam não somente impressionar a qualquer um que deles tomassem conhecimento, como também encher muitos volumes, caso fossem escritos.

SAINT-YVES D’ALVEYDRE - Os adeptos e estudiosos do ocultismo sempre estiveram a par dos grandes mistérios da Terra e do espaço e sempre falaram destes, sem tocar diretamente em sua realidade transcendente, por razões óbvias. Jamais ignoraram os grandes enigmas de nosso planeta e os trataram sob denominações próprias, como o caso dos mundos subterrâneos e dos discos voadores ou vimanas atlantes.

Neste momento crucial da vida na Terra, muitos pilares do conhecimento tradicional, orientados por Lei, passaram a falar mais abertamente a respeito destes assuntos, apesar da resistência exercida pelo conhecimento oficial e até mesmo por certas escolas esotéricas.

No seguimento das idéias que estamos desenvolvendo sobre tão espinhoso tema, não poderíamos deixar de citar o insigne marquês de Saint-Yves d’Alveydre, estudioso das filosofias comparadas e das línguas mais antigas da humanidade, autor de várias obras de profundo valor iniciático, dentre elas El Arqueômetro.

Em seu livro La Misión de la India, publicado no início do século XX, fala abertamente dos mundos subterrâneos e cita a misteriosa região de Paradesha e Agartha, para surpresa de muita gente. Assim ele escreveu:

“E quanto a mim, depois de ter preparado os judeus-cristãos com todo o significado social de suas tradições, tomo a própria Paradesha como garantia da verdade de meus anteriores testemunhos e desta”.

“E se vendo que eu estou bem informado de suas mais secretas artes, de suas ciências e de seus mistérios, estes sábios procurarem o meu nome em seus registros e minha estátua em suas cidades subterrâneas, só encontrarão o meu espírito que apareceu aqui há quase dez anos, com a suficiente claridade para que meu retrato possa ser pintado”.

Mais especificamente, fala o inspirado marquês desta cidade misteriosa, alvo de tantas buscas por parte de ardentes pesquisadores e ocultistas, como se ela fosse para ele algo muito confidencial e sagrado, ao mesmo tempo em que amplamente conhecido. Com autoridade ele descreve Agartha, não como alguém que dela ouviu falar, mas que já a incorporara, de há muito, em suas experiências, e de forma que não pudéssemos considerar que tais assertivas se tratassem apenas de frutos de uma hipótese remota ou de fantasias de uma mente doentia. Vejamos:

“Na superfície e nas entranhas da Terra a extensão real de Agartha desafia a opressão e a coação da profanação e da violência”.

“Se falar das Américas, cujo subsolo ignorado pertenceu à mais longínqua antigüidade, tanto quanto a Ásia, cerca de quinhentos milhões de homens mais ou menos, conhecem sua existência e sua extensão.”

Com intimidade fala da organização desta cidade mágica, almejada por todos os adeptos:

“O território sagrado de Agartha é independente, organizado sinarquicamente e composto de uma população que se eleva a uma cifra de quase vinte milhões de almas”.

“Em Agartha não existe nada parecido com os nossos horríveis sistemas judiciais ou penitenciários: não existem prisões”.

“Em suas células subterrâneas a população dos Dwijas se dedica ao estudo de todas as línguas sagradas, e coroa os trabalhos de filosofia mais surpreendentes com os maravilhosos descobrimentos da língua universal da qual vou falar. Esta língua é o Vatan”.

“Nenhum iniciado pode copiar de Agartha os textos originais de seus livros de estudo: estão, como já disse, gravados em pedra em caracteres indecifráveis para o vulgo”.

“Só a memória pode conservar sua imagem; eis que ousou Platão pronunciar esta afirmação paradoxal: ‘a ciência se perdeu o dia em que se publicou um livro’”.

Em relação às “cartas” de Paulo, o próprio Saint-Yves levanta a hipótese de que estas tenham sido trazidas dessas regiões inacessíveis às pessoas comuns. O apóstolo estava cônscio de que não poderia jamais falar abertamente sobre este assunto em suas exortações iniciáticas e procuraria, ao contrário, ocultar através do conteúdo de suas “cartas” os ensinamentos recebidos naquelas regiões. Para o marquês iniciado, os títulos das Epístolas de Paulo não deixam nenhuma dúvida e são prova cabal de tal experiência:

“Finalmente, até nas Epístolas, o título do texto hebreu nos mostra escrito com todas as letras o nome de Agartha: Agartha-al-Galatim, Agartha-al-Ephesim, Agartha-al-Romin; de Agartha aos Gálatas, de Agartha aos Efésios, de Agartha aos Romanos”.

Já que as cartas de Paulo foram citadas, gostaríamos de destacar suas palavras na Epístola aos Hebreus 5, 11 – 12, quando exorta a todos os buscadores a não arrogar por si mesmos a honra de se investirem da dignidade de sumo-sacerdotes do Altíssimo, à maneira de Melk-Tsedek, ou seja, destas regiões desconhecidas:

“Muito teríamos a dizer a este respeito, e nada fácil, de explicar, porque vos tornastes tardos para compreender. Com efeito, enquanto deveríeis já ser mestres, em razão do tempo, tendes ainda necessidade de aprender os primeiros elementos dos oráculos divinos, e vos reduzistes a precisardes de leite e não de alimento sólido”.

Ousamos dizer que o alimento sólido referido por ele trata-se precisamente de um simbolismo que oculta os grandes segredos dos mundos por ele visitados no interior da Terra, que exigiria de seu ouvinte muito mais do que um simples embasamento intelectual. Representa a complexidade de compreender tais coisas quando a mente se acha focalizada apenas nos princípios mais densos e não pode alcançar determinadas sublimidades. Daí a alegoria do leite que é dado às crianças recém-nascidas, ou melhor dizendo, aos espíritos impúberes, que não podem perceber muito mais do que existe além de seu próprio nariz.

DJWHAL KHUL - Aprofundando no estudo destes mistérios milenares, não poderíamos deixar de citar o inigualável Mestre Tibetano Djwhal Khul, que segundo uma declaração dele próprio em 1.934, se tratava apenas de um discípulo de certo grau vivendo em corpo físico, como todos nós, na região do Tibete. Sabemos que tal afirmação oculta, de fato, o grande iniciado e emissário dos mundos subterrâneos que é, confirmação que pode ser feita pela leitura dos livros de Alice A. Bailey, em co-autoria com o mesmo. Disse que o conteúdo de seus livros seriam dados sem nenhuma exigência de aceitação e que não deveriam ser aclamados como escrita inspirada.

Apenas queria passar informações para aqueles adeptos que pretendiam dar passos mais largos no caminho da redenção e do conhecimento. Quem já leu alguma destas obras, pode perceber que tal discípulo não se trata de um nome qualquer na vasta bibliografia ocultista.

Especialmente, no seu livro Tratado sobre Magia Blanca, ele fala abertamente dos mundos subterrâneos e dos grandes mistérios que seriam revelados para a humanidade neste grande momento de transição planetária. Assim escreveu:

“O primeiro posto avançado para a Fraternidade de Shamballa foi o templo original de IBEZ, situado no centro da América do Sul, e um de seus ramos, em um período muito posterior, se encontrava nas antigas instituições maias e na adoração do sol, como fonte de vida nos corações de todos os homens”.

“Uma segunda rama se estabeleceu posteriormente, na Ásia, e desta rama os adeptos do Himalaia e do sul da Índia são os representantes, ainda que o trabalho tenha sido transferido materialmente. No futuro far-se-ão descobertas que revelarão a realidade do antigo modelo de trabalho hierárquico; antigos arquivos e monumentos serão revelados, alguns sobre a Terra e muitos em abrigos subterrâneos”.

“À medida que se exploram os mistérios da Ásia Central, nas terras que se estendem desde a Caldéia, a Babilônia, através do Turquestão até a Manchúria, incluindo o deserto de Gobi, espera-se revelar grande parte da história primitiva dos trabalhadores de IBEZ”.

“Podemos observar que a palavra IBEZ é literalmente uma espécie de sigla que vela o verdadeiro nome do Logos Planetário da Terra, do qual, um dos princípios está se manifestando em Sanat Kumara, convertendo assim em uma encarnação direta do Logos Planetário e em uma expressão de sua Divina Consciência. Estas quatro letras são as iniciais dos verdadeiros nomes dos quatro Avataras dos quatro globos de nossa cadeia terrestre, onde encarnaram quatro dos princípios divinos. As letras IBEZ não são as verdadeiras letras em idioma sensar, se é possível usar expressão tão inexata de um idioma ideográfico, pois que é simplesmente uma deformação europeizada”.

Também no livro Iniciação Humana e Solar, Djwhal Khul fala de Shamballa, o ponto sagrado da manifestação planetária, que está localizado na região mais central de nosso planeta físico, a Terra. Segundo ele, “Shamballa é a Cidade dos Deuses, que fica para o Ocidente de algumas nações, ao Oriente de outras, ainda ao Norte ou a Sul de outras. É a Ilha Sagrada no deserto de Gobi. É o lar do misticismo e da Doutrina Secreta”.

HENRIQUE JOSÉ DE SOUZA - No Brasil tivemos a força transformadora do Mestre Henrique José de Souza (JHS), fundador da Sociedade Teosófica Brasileira, atual Sociedade Brasileira de Eubiose, que não deixou de falar claramente sobre os mundos interiores e o mistério dos discos voadores. No seu livro Eubiose a Verdadeira Iniciação fala que o país que Noé se dirigia, segundo a tradição, era um local subterrâneo, cujo nome até mesmo se parecia com o de “barca”, ou seja, Agartha. “Como se vê, ‘arca’ ou ‘barca’ teve um sentido muito mais profundo que a Lei ainda não permitiu totalmente desvendar.”

Falando sobre esta região transcendente de Agartha, reforça a tônica dada por outros insignes adeptos da Boa Lei:

“Este país de Agartha é por muitos denominado Shamballa e as escrituras o descrevem como uma ilha imperecível que nenhum cataclismo pode destruir.”

“Agartha, Arca ou Barca é o lugar para onde o Manu Noé conduziu seu Povo ou Família, e os casais de animais a que se refere a Bíblia, porém com a interpretação errônea de que o termo ‘família’ fosse apenas dos seus parentes”.

“Agartha é o celeiro das civilizações passadas”.

Sobre os discos voadores, JHS o primeiro a declarar publicamente que parte deles vem do interior da Terra. São suas palavras:

“Sim, discos voadores, que tanto preocupam os homens de hoje, a própria televisão, as irradiações de amanhã, que são levadas a efeito sem necessidade de aparelho de rádio, aparecem vindos de Agartha, para depois, os maiores cientistas do mundo as darem como suas”.

GUÉNON - O assunto que estamos desenvolvendo nestes artigos exige um longo lapidar de idéias e certas convicções, para que não venhamos nos deixar levar pelo avassalador movimento ególatra que assola o mundo contemporâneo. Se não alimentarmos firme intenção e uma franca percepção das coisas interiores, certamente que seremos envolvidos pelo engolfar da dúvida e teremos nossos objetivos e princípios fortemente abalados e comprometidos. Estamos assim, no tratamento deste assunto, levando aos interessados o maior número possível de informações que tivemos acesso, para que cada um possa escorar-se e dar maior vazão às suas próprias convicções sobre um tema que ainda é tão controverso.

Queremos citar em apoio, o insigne esoterista francês René Guénon, que por suas relevantes pesquisas e aprofundamento no mundo oculto, deveria ter seu nome grafado dentre aqueles que ofereceram à humanidade uma outra opção, não materialista da vida na Terra. Em seu livro O Rei do Mundo, falando sobre estes mundos excepcionais, e comparando as obras de Ossendovsky e Saint-Yves, escreveu:

“De fato, há um grande número dessas passagens que apresenta, até em alguns pormenores, uma semelhança singular e surpreendente. Em primeiro lugar há o que podia parecer o mais inverossímil no próprio Saint-Yves, queremos dizer, a afirmação da existência de um mundo subterrâneo, estendendo suas ramificações por toda parte, sob os continentes e até sob os oceanos, e pelas quais se estabelecem invisíveis comunicações entre todas as regiões da Terra”.

“Além disto, o Paraíso terrestre representa propriamente o Centro do Mundo: e o que diremos mais adiante, acerca do sentido original da palavra Paraíso, poderá fazê-lo compreender ainda melhor” (pag. 56).

"É de notar-se que a palavra Salém, contrariamente à opinião vulgar, nunca designou na realidade uma cidade, mas que, se atemos pelo nome simbólico da residência de Melk-Tsedek, pode ser considerado como um equivalente do vocábulo Agartha”.

René Guénon diz em seu livro que as tradições que falam dos mundos subterrâneos se acham espalhadas por todo o globo terrestre, em muitas nações e que, paralelamente a estas crenças, surgiu o culto das cavernas, também de natureza velada, que acabaram por traçar estreita relação com uma espécie de lugar secreto, no interior da Terra. Diz Guénon:

“Por outro lado, há realmente, tanto na Ásia Central como na América e talvez ainda em outros lugares, cavernas e subterrâneos onde certos centros iniciáticos têm podido manter-se desde há séculos; mas, fora disso, há, em tudo o que é citado acerca deste assunto, uma parte de simbolismo que não é muito difícil de esclarecer; e podemos pensar mesmo que são razões de ordem simbólica que têm determinado a escolha de lugares subterrâneos para estabelecer esses centros de Iniciação, muito mais que motivos de simples prudência”.

“Acrescentamos que foi a partir das informações fragmentárias que Madame Blavatsky pôde recolher acerca desse assunto sem, aliás, compreender o seu verdadeiro significado, que nasceu nela a idéia da Grande Loja Branca, que poderíamos chamar, não já uma imagem, mas muito simplesmente uma caricatura ou uma paródia imaginária de Agartha”.

Uma declaração do autor sobre as escolas pseudo-iniciáticas que estavam nascendo no Ocidente, com a qual concordamos plenamente, atinge severamente suas estruturas filosóficas. Disse que estas não poderiam ser levadas a sério, porque provavelmente, nenhuma delas estava relacionada ao mistério dos mundos subterrâneos e nem mesmo sabiam de sua existência ou, na pior das hipóteses, não o aceitavam como princípio iniciático. De fato, pensamos que a ausência destes princípios ocultos - mantidos por milênios pelos Grandes Adeptos da Terra - é uma lástima e não poderiam ser jamais olvidados por aqueles que se propõe iniciar-se e fazer do seleto Conselho de Agartha.

DIAMOR - Já que temos falado das Américas, voltemos nosso pensamento para o continente sul-americano, que guarda, segundo os cânones universais, profundos mistérios relacionados ao Império Oculto dos Deuses no seio da Terra. Existe uma obra incomum, intitulada A Clã Perdida dos Incas, assinada por O.B.R. Diamor, que fala admiravelmente da mais antiga tradição destes povos e de suas “lendas” fantásticas, sob o enfoque do próprio “perdedor”, de acordo com os capítulos escritos pela história conhecida dos homens. Através de um misterioso homem moribundo encontrado na floresta amazônica, o manuscrito que contém esta fantástica história é trazido a lume e o autor envereda-se pela vida incrível do povo Inca, que há cinco séculos desapareceu da face da Terra, levando consigo homens, mulheres, crianças e um imenso legado em ouro e conhecimento.

Longe de serem rudes silvícolas, os integrantes desta raça eram altamente desenvolvidos, especialmente no seu aspecto moral, fato que veio confrontar-se brutalmente com a barbárie dos gananciosos invasores europeus.

Magicamente o livro fala do INTIHSUYO SECRETO, aquela região que ninguém sabe onde fica exatamente, no meio da densa floresta Amazônica. Trata-se de um lugar desconhecido que sugere estar relacionada aos mundos subterrâneos, para onde determinados habitantes deste antigo império teria se recolhido após a invasão. Em sua empolgante narrativa que mistura aventura, realidade e lenda, o autor fala do segredo da floresta encantada, iluminada pelos discos rosados (discos voadores) que se originavam do interior da Terra, quando se abriam certas embocaduras na floresta e o Deus Wiracocha se manifestava.

No transcorrer do apaixonante relato um velho Taita (Pai) da nação Inca conta uma história fantástica, na qual, a verdade toma o sentido da lenda para que assim pudesse perdurar e ser preservada no mundo da excessiva materialidade. Conforme o decano “as lendas são verdades envoltas em véus de poesia, já dizia Huyana Tupac”.

Segundo ele, esta história lendária mantida pela tradição fala dos povos antigos que partiram da Terra na época do seu último e grande cataclismo.

Decorrido um longo período, estes antigos habitantes retornaram com seus discos voadores rosados, assemelhando-se a imensos sóis descendo da abóbada celeste. Era um espetáculo transcendental que os remanescentes dos grandes cataclismos, vivendo em condição primitiva, por terem voltado à barbárie após a terrível hecatombe, não podiam mais compreender. a, tal fato teria ocorrido há cerca de 7.000 anos. A visão daqueles grandes sóis que desciam na Terra e de homens iluminados saindo destas “máquinas” desconhecidas, marcou profundamente as mentes conturbadas daqueles homens, que passaram a gravar nos paredões pétreos, os estranhos objetos e as figuras enigmáticas que podem ser vistos em vários países até os dias de hoje. Estes registros continuam impressionando os pesquisadores e os deixam patéticos, sem poder ao menos sustentar uma explicação convincente. Este povo fantástico que havia partido da Terra há milênios, diz a lenda, não poderia jamais ser reconhecido pelo homem primitivo que sobrevivera às grandes transformações, após o grande conflito. Então, para sua salvaguarda, eles instalaram-se no interior de nosso planeta, em grandes bolsões que ali haviam se formado, preservando um mundo indescritível que ainda permanece sob intenso sigilo. Escreveu O. B. R. Diamor:

“As pequenas fendas e bolsões, em relação ao volume da Mãe Terra, eram mundos vastos, maravilhosos, quase irreais, por sua beleza exótica. Um poder inacessível parece ter destinado o ventre de Pachamama para abrigo desconhecido e ‘habitat’ natural de uma humanidade superior futura”.

“O mundo interior, longe de ter a escuridão dos abismos e o calor dos infernos manipulados à superfície, era iluminado e vitalizado pelas radiações mais íntimas do planeta, tal como em Febea. Sua atmosfera era o néctar da vida, aguçando os sentidos e incentivando as forças mentais”.

“E foi assim que, numa segunda investida, por todos os cantos do mundo onde lhes parecia mais provável, os ‘discos’ desceram. Começava para o homem, um segundo período de evolução”.

Estava iniciando para o homem da Terra uma nova escalada evolutiva e aquele que no passado ousara voar, estava agora engatinhando com dificuldade na trilha do progresso, humano, recomeçando através de uma vida primitiva e limitada. Se quisermos acreditar nesta história, poderemos pelo menos contar com uma idéia razoavelmente lógica para os mistérios que ainda encobrem nosso passado mais recente, quando o homem das cavernas começa, inexplicavelmente, a construir cidades e templos, como ocorreu no caso da antiga Suméria. Ou então fiquemos com aqueles registros misteriosos, verdadeiros documentos que autenticam uma outra história atravessada na garganta, aguardando um momento de lucidez que possa explicá-los de forma mais compreensível.

Voltando a Clã Perdida dos Incas, queremos destacar a forma expressiva com que o autor procurou encerrar sua obra (dizemos nós, de cunho iniciático), misto de lenda e realidade, de alegria e de sofrimento:

“Agora que INTIHSUYO não pode mais ser descoberto, eu, um de seus mitimais secretos (enviados), um agente verdadeiro do progresso e da paz para a humanidade (que por circunstâncias especiais se vê perdido na vastidão deste mundo de florestas), deixo aqui romanceada a primeira parte de nossa história”.

Segundo o autor, existe uma continuação deste incrível relato que ele decidiu ocultar por não ter chegado ainda o tempo - a que nos referimos acima foi publicada na década de 1.950. Segundo diz, esta outra história é ainda mais fantástica, pois fala de homens avançados vivendo em mundos subterrâneos com sua mais sofisticada tecnologia e espiritualidade. Imaginem o que mais poderia ser desvelado? Se nossa mente já vem rejeitando negligentemente uma perspectiva que se tornou lendária, o que dizer então do que mais além possa ser desvelado? Que segredos mais poderiam estar ocultos em regiões desconhecidas de nosso próprio planeta, a despeito de nossa tecnologia e de nosso pretenso saber?

RAY KING - Não pretendemos com este trabalho que desvelam certos aspectos dos mundos subterrâneos, apenas inflamar a curiosidade de mentes apressadas, sempre sobrecarregadas de intelectualidade e conceituações variadas. Queremos que elas possam servir como referência aos novos buscadores que não temem ousar além das fronteiras delimitadoras do conhecimento concreto, que fatalmente tem conduzido o mundo contemporâneo para uma condição de vida profundamente egóica. Continuamos assim, citando autores consagrados e outros menos conhecidos, mas nem por isto menos relevantes no estudo sério deste fenômeno terrestre, que sempre esteve ligado às mais antigas tradições iniciáticas. Godfré Ray King se trata de mais um espiritualista consciente que vamos incluir neste estudo. Fala sobre seus contatos com o Ascensionado Mestre Saint Germain e sobre as visitas que fez, em sua companhia, a determinadas regiões de nosso planeta. No livro Mistérios Desvelados ele fala dos Santuários Subterrâneos, cuja entrada é vedada ao homem não espiritualizado.

Segundo o autor, na América se encontra um dos mais antigos Centros da Grande Fraternidade Branca, tradicional Retiro dos Mestres Ascensionados, que trabalham para a libertação dos homens e sua espiritualização. Sobre os mundos no interior da Terra, ele escreveu:

“O Santuário Interno é de ouro, com desenhos em púrpura e branco. A cadeira em que a sacerdotisa oficiava era também de ouro. Aí era focalizado e mantido o Poder Espiritual que se irradiava para o império e para seu povo. Com esta explanação, como prelúdio, entraremos agora no Templo Subterrâneo, onde foi preservada uma sala, entre as ruínas de uma grande e passada glória”.

Relata que em uma montanha a sudoeste de Tucson, Arizona, estando em companhia do Mestre, penetrou pelo interior da terra através de um túnel, chegando a uma região paradisíaca:

“Continuamos pelo túnel adentro por mais de uma hora e chegamos finalmente a uma porta maciça de metal, que se abriu vagarosamente ao ser tocada pelo meu guia. Este se afastou para o lado e esperou-me passar. Avancei em meio à brilhante luz solar, quase sem respirar, deleitado com a lindeza da cena que se estendia diante de mim: à nossa frente desdobrava-se um vale de insustentável beleza, com cerca de quarenta hectares de extensão”.

PATERSON - Outro que não poderíamos deixar de citar é o eminente pesquisador Timothy Paterson, sobrinho do Cel. Fawcett. É de nacionalidade inglesa, arqueólogo, explorador e esoterista, ex-oficial da infantaria do exército da Rainha da Inglaterra e já esteve por algumas vezes no Brasil. Em 1.980, Paterson publicou um livro na Itália, onde estava residindo, intitulado O Templo de IBEZ (publicado no Brasil em 1.983), onde procurou explicar a origem de IBEZ (já mencionada anteriormente), enigma de caráter universal que oculta o mistério do Rei do Mundo. Também tratou da expedição do Cel. Fawcett (seu tio) sob o enfoque iniciático e de seu desaparecimento na Serra do Roncador, além de tratar especialmente daquela região misteriosa no estado de Mato Grosso. Assim ele escreveu:

“A atual cidade de IBEZ no Roncador, da qual o Monastério Teúrgico do Roncador é um prolongamento externo, é presidida pelo Logos Solar dos Mestres Teúrgicos, chefiada por sua vez pelo ‘Quinto Senhor’”.

“Na cidade subterrânea de IBEZ as pessoas se movem ainda entre a terceira e a quarta dimensões, onde ainda os ‘deuses caminham entre os homens’, como acontecia sobre a Terra antes de sua Queda, quando, como afirma o Mestre Tibetano (por instruções recebidas dos Mestres de Shamballa), os adeptos de IBEZ começaram a retirar-se dos templos (isto é, debaixo da terra), para tornar os mistérios mais inacessíveis e evitar abusos e distorções”.

“Na cidade subterrânea de IBEZ no Roncador está conservado o resplandecente Homem de Ouro, que não é outro senão o El Dorado que os conquistadores espanhóis procuram em vão durante anos”.

“A cidade inteira de IBEZ é iluminada por esta mesma luz azulada, gerada pelo que Bulwer Lytton chama de Vril, o chamado ‘elemento universal’, como por outra parte são sobre a terra aquelas torres de pedra e outras construções vistas pelos índios, que através de suas portas e janelas brilha uma luz que ‘jamais se apaga’”.

UDO OSCAR LUCKNER - Sob este aspecto, seria interessante incluir novos comentários sobre a passagem de Udo Oscar Luckner pelo Brasil, até chegar a estas regiões e sua penetração nos mundos subterrâneos. Sua trajetória da Guanabara (RJ) ao Roncador foi permeada de muitos mistérios, coragem e determinação. Passou pela Pedra da Gávea, no Rio de Janeiro, onde encontrou as primeiras indicações para chegar à cidade subterrânea de Ubiricy. Dirigindo-se para São Tomé das Letras, em Minas Gerais, procurou decifrar o grande enigma do Senhor Arzan, grafado nas “letras” da gruta dos símbolos no centro da cidade. Dali, Luckner seguiu viagem para o norte de Minas, quase na divisa do estado de Goiás, onde deveria decifrar o mais desafiador dos mistérios, preservado em enigmáticas petrogravuras.

Após, dirigiu-se para a Pedra Desnuda, no estado de Goiás, onde estava gravada uma mensagem de nossa época. Daí, ele dirigiu-se à Cordilheira dos Andes, onde conheceu seu Mestre que, muito tempo depois, viria a conduzi-lo aos mundos subterrâneos da região inexplorada do Roncador. Assim ele mesmo escreveu sobre esta espantosa experiência:

“Iniciamos nossa caminhada, atravessamos o salão, entramos por uma das portas de arcada pálida e descemos dezessete degraus até junto a uma porta bronzeada. Meu cicerone explicou que não era de cobre, mas de uma liga de metais que a tornava imperecível”.

“Chegamos a uma plataforma. Eis o que vi: UMA CIDADE! Observei que era construída em círculos e que de seu centro partiam as ruas comerciais, iguais a rodas raiadas. Havia avenidas circulares externas, ornamentadas com plantas”.

Uma das cidades visitadas por Udo Oscar e que ele deu especial destaque, chamou-a de LETHA, situando-a nas entranhas da Montanha do Roncador. Segundo ele esta cidade possui templos esplendorosos, de construções artísticas finamente planejadas e executadas. Em seus domínios está localizado o Palácio de Ouro, residência do Quinto Senhor, Aquele que virá para reinar neste Novo Ciclo. Apesar da sua inacessibilidade, LETHA pode ser visitada por homens da face da Terra e é certo, que muitos ali já estiveram, a convite de seus habitantes. Sobre esta magnífica cidade destacamos alguns excertos de seus escritos:

“LETHA é uma cidade fabulosamente cheia de riquezas, de alegria, vitalidade e harmonia. Milhões de visitantes do mundo intraterreno e extraterreno enchem suas casas e praças espaçosas”.

“Quando sou chamado a LETHA, nunca perco os passeios pelas ruas da cidade, observando as figuras exóticas vestidas com roupagens longas de seda farfalhante, quando estão saindo dos templos, após as cerimônias noturnas”.

“LETHA parece uma cidade de contos de fadas, cheia de vitalidade, ensinamentos e pureza”.

LYTTON - Queremos também voltar a citar o insigne escritor ocultista E. Bulwer Lytton, uma vez que em sua obra A Raça Futura ele teria falado também sobre outras regiões que existem no subsolo de nosso planeta:

“Nada me causaria maior perplexidade, ao tentar reconciliar minha razão com a existência de regiões abaixo da superfície da Terra e habitáveis por seres que, embora dessemelhantes dos cá de cima eram, em todos os pontos essenciais do organismo, iguais a eles…”.

“… E segundo tudo quanto me contaram, havia imensas regiões incomensuravelmente mais profundas, e nas quais se pensaria que só poderiam existir salamandras, eram habitadas por inúmeras raças, organizadas como nós”.

“Seja onde for que o Bem Supremo constrói, pode ter certeza que coloca lá habitantes. Ele não gosta de lugares vazios”.

ATAN - Gostaríamos de citar ainda Polo Noel Atan, em sua obra A Cidade dos Sete Planetas, onde escreveu sobre suas experiências nos mundos interiores da região Amazônica. Ao indagar de seu acompanhante, Alídio, sobre quem teria construído a Cidade dos Sete Planetas, que visitara, este lhe teria respondido:

“Ela já existia há muito tempo e foi construída pelos Grandes Sacerdotes Atlantes. A fuga dentro das cavernas lhes proporcionou a descoberta de caminhos e passagens abertas, já há muito construídas”.

“Nós sempre tivemos contato com esses mundos subterrâneos. Foram eles os únicos que abriram campo para a nossa permanência nesta crosta. Graças à boa vontade dos sacerdotes, meus irmãos interplanetários trouxeram muito material para acabamento e complementação da cidade”.

Bem, é nossa pretensão que todos aqueles que tenham acesso a estas informações não as tomem por algo puramente transcendente ou meramente filosófico e procure dentro de si mesmo, os elementos para uma descoberta surpreendente. Perceberá que não somente o nosso planeta, mas todos os demais possuem, certamente, seus mundos subterrâneos e que estes estiveram sempre disponíveis para o desenvolvimento de civilizações e às mais variadas formas de vida. Queremos encerrar esta parte parodiando o Mestre Bulwer Lytton em seus escritos, pois também cremos que onde quer que o Supremo Criador tenha erigido mundos, terá colocado ali habitantes. Seria um desperdício deixar tantos lugares vazios…

KRASPESDON - Nesta última parte queremos fazer algumas citações relacionadas ao livro do autor brasileiro Dino Kraspedon e dos autores de “ficção” Edgar Allan Poe e Júlio Verne.

A personalidade Dino Kraspedon ou Oswaldo Oliveira Pedrosa, não é bem vista por alguns pesquisadores da Ufologia e não é nossa intenção discutir este ponto. Citamos seu livro neste trabalho pela simples razão de ter o mesmo apresentado, já na década de 1.950, novas perspectivas dentro da pesquisa dos discos voadores, além de sua abordagem científica e filosófica carregada de princípios humanitários. Também sugeriu a existência de civilizações no interior da Terra, desde o início de sua obra, e a provável procedência deste seu contato, quando dedicou ao “comandante do disco” o seu livro:

“Ao Comandante do disco, quer ele seja terreno, extraterreno ou subterreno – que importa! – o agradecimento sincero do Autor pela demonstração de confiança e a dedicação com que nos tratou tantas vezes, fazendo caso omisso de nossa desconfiança, fazendo-se desentendido quando não lhe depositávamos inteira boa fé, nunca se furtando a responder nossas perguntas, quando nenhum interesse podia ter no menor dos homens a não ser dar um pouco de si para que nos tornássemos melhores, embora sabendo de antemão a inutilidade dos seus esforços”.

No transcorrer de seu relato encontramos certas coerências e na conclusão do livro, sua posição vai se tornando mais enfática em relação à situação da Terra. Pensamos que não podemos mais nos vincular a determinadas condições do raciocínio concreto para enquadramento da verdade, neste ponto de nossas convicções sobre os fenômenos que ocorrem em nosso planeta. O que passa a importar é unicamente a própria mensagem. Costumamos sempre torcer o nariz quando uma entidade qualquer, anjo, deva, mestre, santo, extraterreno ou intraterreno vêm nos falar sobre nossos mal entendidos na Terra e o perigo de um caos iminente. Mas, apesar dos tecnocratas e da tecnologia disponível, nosso planeta continua pedindo socorro. Será que nós que aqui estamos vivendo não o estamos percebendo? Por ventura, gostaríamos que estes seres viessem nos falar da vida em outros mundos, de sua alta tecnologia, de seus computadores e equipamentos sofisticados e ignorassem totalmente algo que nos está conduzindo, inexoravelmente, à auto-destruição? De que nos valeria então esta tal tecnologia?

Em verdade, não queremos ver o que está se passando diante de nossos próprios olhos. Preocupamo-nos, ás vezes, com a pessoa e o que ela representa para a opinião geral e deixamos de lado o conteúdo de sua proposta. Em nosso entender importa mais a relação que podemos fazer entre os pontos de vista das mais variadas fontes. Por isto que citamos Dino Kraspedon, pela sua coerência, não para defendê-lo. É de sua autoria o seguinte texto:

“Muitos acreditam serem os discos voadores da própria Terra; outros supõem vindos de outro mundo. Há ainda os que afirmam serem oriundos de cidades subterrâneas, de uma civilização que se ocultou sob o solo com a finalidade de se furtar ao contato conosco. Não discutimos a sua origem, porque nada de aproveitável pode sair de uma polêmica. Que interessa ao mundo conhecer a sua procedência?”.

E ainda: “Do espaço, da Terra e de sob a terra – não importa – sabemos que o que nos foi revelado é verdadeiro. E para isto temos fundamentadas razões. Se um dia chegássemos à conclusão que esse estranho personagem que entrou em contato conosco foi o demônio materializado, então teríamos razão para afirmar que ao menos uma vez na vida o diabo falou a verdade”.

POE - Como já havíamos afirmado, estamos incluindo também os escritores sobejamente conhecidos em muitos países, por suas “histórias de ficção”: Allan Poe e Júlio Verne. Edgar Allan Poe, um dos mais notáveis nomes da literatura universal, ao mesmo tempo detentor de uma biografia controvertida, escreveu contos, poesias e ensaios, sobre as mais estranhas coisas existentes neste mundo e no outro (ou outros). Abordou também o pólo sul e um estranho vórtice de águas naquela região, algo assustador que ele narrou em Manuscrito encontrado numa garrafa. Esta é uma história bizarra sobre um passageiro que partira de Java e se tornara náufrago, indo para um outro navio tripulado somente por pessoas idosas e misteriosas, que viajavam a toda velocidade em direção ao pólo. Apesar de se tratar apenas de uma “história” as coincidências são muito grandes e o autor, de alguma forma, deveria saber alguma coisa sobre aquela distante região do pólo. São suas palavras:

“É evidente que estamos a precipitar-nos para alguma estonteante descoberta, para algum segredo irrevelável para sempre, cujo alcance significa destruição. Talvez esta corrente nos conduza ao próprio pólo sul. Deve-se confessar que uma suposição aparentemente tão fantástica tem todos as possibilidades a seu favor”.

“O gelo se abre de súbito para a direita e para a esquerda e rodamos vertiginosamente em imensos círculos concêntricos, espiralando em volta das margens de um gigantesco anfiteatro cujas paredes perdem o cimo nas trevas e na distância”.

Em um outro conto deste mesmo autor, Narrativa de Artur Gordon Pynn, ele faz uma narrativa comovente de uma pessoa, também vítima de um naufrágio na vizinhança do pólo antártico. Era uma região formada por um grupo de ilhas muito grandes, habitada por nativos e que a chamavam de Tsalal. Fugindo do ataque de selvagens, alcançou o alto de uma colina que possuía uma grande fenda que se abria para o seu interior da terra. Explorou estas cavernas e afirmou que seus labirintos possuíam formas estranhas, galerias e corredores, cujos formatos foram desenhados pelo personagem.

“Era realmente, um dos lugares de mais singular aparência imagináveis e mal podíamos ser levados a crer que ele fosse inteiramente obra da natureza”. Continuando sua fuga, tomou às pressas uma frágil canoa, juntamente com duas outras pessoas e novamente estavam navegando para o imenso e desértico Oceano Antártico.

“Vários fenômenos insólitos indicavam, então, que estávamos penetrando numa região cheia de espantosas novidades”.

“A temperatura do mar parecia aumentar a cada instante e havia na sua cor uma alteração bastante perceptível”.

“A barreira de vapor para o sul tinha-se elevado prodigiosamente no horizonte e começava a assumir forma mais distinta. Posso compará-la apenas a uma catarata sem limites, rolando, silenciosamente, dentro do mar, de alguma imensa e bem distante muralha no céu. A gigantesca cortina pendia ao longo de toda a extensão do horizonte meridional, mas não emitia som algum”.

Ao final, ele e seus companheiros de fuga, um deles nativo daquela região, se depararam com uma “figura humana envolvida por uma mortalha” bem maior do que qualquer habitante da Terra e branca como a neve. E a história é subitamente interrompida.

“E agora nós nos precipitávamos para o seio da catarata, onde se escancarava um abismo para receber-nos. Mas, ergueu-se, então, em nosso caminho, uma figura humana amortalhada, bem maior de proporções que qualquer habitante da Terra. E a cor da pele deste vulto tinha a perfeita brancura da neve”.

Apesar de ser apenas um “conto”, citamos Edgar Allan Poe pela grande lucidez empregada em suas “histórias” fantásticas que desvelam estranhos segredos, além de certas “coincidências” relatadas, quando comparadas às hipóteses levantadas e constatadas por pesquisadores em relação aos pólos.

VERNE - O outro autor que queremos citar é Júlio Verne, que dispensa comentários, em face das inúmeras obras de sua autoria que anteciparam conquistas importantes da humanidade. Em seu livro Viagem ao Centro da Terra Verne narra uma aventura fantástica ocorrida na Islândia, no norte daquele país, numa montanha vulcânica muito alta, chamada Sneefell, com cerca de 1.650m. de altitude. Seus personagens são três aventureiros: o Prof. Lidenbrok e seus dois companheiros Axel e Hans, que decidiram descer pela cratera do Sneefell, percorrendo o centro da Terra por vários meses. Assim o autor descreve a descida dos aventureiros:

“Não era possível que tivesse servido de passagem às matérias eruptivas vomitadas pelo Sneefell, já que não havia nenhum vestígio delas. Era como se descêssemos pela rosca de um parafuso gigante feito pela mão do homem”.

“Quanto à altura, devia ultrapassar vários quilômetros. O olho era incapaz de perceber onde essa abóbada terminava em paredes de granito; mas havia uma nebulosidade suspensa na atmosfera, que estava a acerca de uns quatro mil metros de altura, portanto, mais alta que os vapores terrestres, certamente por causa de ar muito denso”.

“É claro que a palavra caverna sempre me vem ao descrever esse ambiente gigantesco. Mas as palavras humanas não são suficientes para aqueles que se aventuraram nos abismos do planeta”.

Nesta cavidade gigantesca havia um grande lago que mais se parecia com um mar e suas ondas colossais. Acerca de quinhentos metros deles divisaram uma floresta densa e cerrada, constituída por árvores com formatos estranhos que descobriram depois se tratarem de cogumelos gigantes.

“Era composta de árvores de médio porte, talhada como perfeitos guarda-sóis de contornos claros e geométricos; as correntes atmosféricas não pareciam agitar sua folhagem e, em meio aos ventos, permaneciam imóveis como um maciço de cedros petrificados”.

“Mas, a vegetação daquele país subterrâneo não era só de cogumelos. Mais adiante havia inúmeros agrupamentos de outras árvores de folhagem desbotada. Eram fáceis de identificar: arbustos comuns da terra, só que em dimensões fantásticas”.

O relato é fantástico e a aventura é emocionante, pois os aventureiros encontraram animais antediluvianos vivos num grande mar subterrâneo dentre eles crocodilos, tartarugas gigantes, golfinhos, lagartos, etc. Ao final da obra os três construíram uma jangada e navegaram por vários dias no interior da terra, em meio a uma espécie de oceano de ondas encapeladas. Depois de muitas dificuldades, saíram por uma abertura e foram projetados para fora através de outra cratera de vulcão. Esta, porém, se localizava muito distante de onde haviam penetrado no interior da terra, meses atrás, nas montanhas da Calábria, próximo ao mar Mediterrâneo.

sábado, 10 de maio de 2008

SUBMARINOS NAZISTAS NA COSTA BRASILEIRA




UMA PROVA DE QUE OS ALIADOS ESTAVAM DESCONFIADOS DAS MOVIMENTAÇÕES ALEMÃS PELAS ILHAS, É UM DOCUMENTO DO PRESIDENTE ROOSEVELT PARA O PRESIDENTE DO BRASIL GETÚLIO VARGAS, AFIRMANDO QUE OS ALEMÃES ESTARIAM QUERENDO MONTAR UMA BASE NO AÇORES, COMO O BRASIL JÁ HAVIA ENTRADO NA GUERRA, E MUITOS U-BOATS ALEMÃES TINHAM SIDO INTERCEPTADOS PELO BRASIL, PASSANDO PELA COSTA DO LITORAL BRASILEIRO. NO INÍCIO DA GUERRA OS U-BOATS ALEMÃES ESTAVAM AFUNDANDO NAVIOS BRASILEIROS, MAS DEPOIS DE 1943 PRA FRENTE, OS ALEMÃES QUERIAM MAIS IR EM DIREÇÃO DA ANTÁRTIDA , DO QUE CAÇAR NAVIOS, OU SEJA COMPROVANDO AS SUSPEITAS ALIADAS.


Submarino Nazista é encontrado no litoral de SC
Um submarino alemão usado na 2a Guerra Mundial foi encontrado no litoral de Santa Catarina, informou nesta sexta-feira a universidade que participou dos esforços para encontrar a embarcação, afundada há quase 68 anos por um avião da Marinha dos Estados Unidos.
O submarino de prefixo U513 foi achado nas proximidades da praia de São Francisco do Sul, no litoral norte catarinense na noite de quinta-feira num esforço conjunto do Instituto Kat Schurmann e da Fundação Universidade do Vale do Itajaí.
"Foram dois anos de buscas a bordo do veleiro Aysso para encontrar o material, encalhado a 75 metros de profundidade", disse a universidade em comunicado.
O U513, afundado em 19 de julho de 1943 na costa brasileira, é o primeiro de 11 submarinos alemães naufragados na costa do país a ser encontrado, segundo a instituição de ensino.
(Por Eduardo Simões)
FONTE http://noticias.terra.com.br/noticias/0,,OI5243969-EI188,00-Submarino+alemao+da+a+Guerra+e+encontrado+no+litoral+de+SC.html
O comunicado dos pesquisadores, publicado hoje, afirma que um avião de patrulha naval afundou o U-513 em 19 de julho de 1943. Durante a Segunda Guerra, vários submarinos alemães foram afundados ao largo da costa brasileira. O U-513 é o primeiro a ser encontrado no fundo do mar. As informações são da Associated Press.
Durante a Segunda Guerra, pelo menos 10 submarinos alemães afundaram na costa brasileira. Apenas este foi encontrado. Ele pertencia ao capitão Friedrich Fritz Guggenberger, condecorado por Adolf Hitler com a Cruz de Ferro por ter abatido um porta-aviões inglês — e capturado pelos aliados justamente em Santa Catarina.

A SEGUNDA GUERRA MUNDIAL E A TECNOLOGIA ALIENÍGENA





 



















































































BASE SECRETA NA ANTÁRTICA - 600 MIL KM² PARA SE ESCONDER.
TAMBÉM ISSO EXPLICARIA A ENORME MOVIMENTAÇÃO DE SUBMARINOS ALEMÃES DURANTE A GUERRA PARA A ANTÁRTICA. OS U-BOATS ESTARIAM ABASTECENDO A BASE NA ANTÁRTICA E TAMBÉM ESTAVAM LEVANDO PARA LÁ, OS DISCOS DESMONTADOS, PARA SEREM REMONTADOS E COLOCADOS EM PLENAS CONDIÇÕES DE VÔO. ALÉM DO MAIS OS TESTES DOS APARELHOS PODERIAM SER FEITOS, SEM TEMOR DE SEREM OBSERVADOS PELOS OS ALIADOS.
O SCHWABENLAND E OS OUTROS NAVIOS RETORNARAM PARA A ALEMANHA PARA AJUDAR NO ESFORÇO DE GUERRA, POIS EM 1944, OS NAZISTAS ESTAVAM PERDENDO CADA VEZ MAIS A GUERRA NO FRONT RUSSO, E A FAMOSA OPERAÇÃO OVERLORD, MAS CONHECIDA COMO DIA-D, CONSEGUIU MINAR AS DEFESAS NAZISTAS NA FRANÇA. ENTÃO OS NAZISTAS QUASE QUE JÁ SABIAM QUE A DERROTA ESTAVA MUITO PRÓXIMA, POIS SOLDADOS DE TODOS OS LADOS AVANÇAVAM RUMO AO CORAÇÃO DO TERCEIRO REICH.
ÚLTIMOS MESES DO TERCEIRO REICH - HITLER E OS NAZISTAS PREPARAM A FUGA
HITLER NOS ÚLTIMOS MESES DA GUERRA JÁ SABIA QUE A DERROTA ERA QUESTÃO DE TEMPO, COMO AS DIMENSÕES DAS FORÇAS INVASORAS ERA ENORME , NEM AS SUPER ARMAS SALVARIAM A ALEMANHA DA DERROTA.
ENTÃO HITLER DESESPERADO ORDENOU, QUE OS UFOS NA ANTÁRTIDA, VIESSEM PARA A ALEMANHA PARA TENTAR ASSUSTAR OS ALIADOS, OS UFOS DE NEU-SCHWABENLAND SE JUNTARAM AOS QUE ESTAVAM NA ALEMANHA, E COMEÇARAM A TENTAR ASSUSTAR E A ATRAPALHAR AS MISSÕES DOS BOMBARDEIROS ALIADOS. ESSES UFOS QUE NÃO TINHAM ARMAS E SÓ ATRAPALHAVAM FORAM BATIZADOS DE "FOO-FIGHTERS" PELOS PILOTOS ALIADOS.
HITLER ENTÃO DECIDE QUE A ÚNICA ESPERANÇA SERIA FUGIR PARA NÃO CAIR NAS MÃOS INIMIGAS.
MAS PARA ONDE ? PARA QUE LUGAR DO MUNDO O TERCEIRO REICH PODERIA SER TRANSFERIDO ?
HITLER REUNIU NO FÜHRERBUNKER TODOS COMANDANTES NOS QUAIS ELE TINHA TOTAL CONFIANÇA. E PEDIU QUE SEUS COMANDANTES FORMULASSEM IDÉIAS PARA UMA FUGA EM MASSA DAS FIGURAS MAIS IMPORTANTES DO TERCEIRO REICH, E QUE FOSSE POSSÍVEL LEVAR TODOS EXPERIMENTOS CIENTÍFICOS ALEMÃES PARA PODER NO FUTURO RECONSQUITAR A ALEMANHA.
O GABINETE COMEÇOU A EXPOR SUAS IDÉIAS: PELO AR NÃO SERIA POSSÍVEL. POIS A LUFTWAFFE ESTAVA RESUMIDA APENAS EM AVIÕES DESTRUÍDOS OU SEM COMBUSTÍVEL. POR TERRA SERIA IMPOSSÍVEL, A ALEMANHA ESTAVA CERCADA POR TRÊS LADOS.
MAS O ALMIRANTE KARL DÖENITZ TEM A ÚNICA IDÉIA POSSÍVEL DE SER REALIZADA, UMA FUGA PELO MAR BÁLTICO.

ALMIRANTE KARL DÖENITZ
DISCURSO DE POSSE DO ALMIRANTE KARL DÖENITZ EM 1943, QUE FAZ ALUSÃO A EXISTÊNCIA DE NEU-SCHWABENLAND:
“A Marinha alemã orgulha-se em declarar que construiu para seu Führer uma fortaleza inexpugnável no outro lado do mundo, um Shangrilá (Paraíso) ; a Kriegsmarine tem a cumprir enorme tarefa no futuro, pois ela conhece todos os pontos escondidos nos oceanos de todo o globo, facilitando ao Führer uma localidade segura para amanhã tecer seus planos finais!”
A ESQUADRA DE SUBMARINOS ALEMÃ AINDA ESTAVA UM POUCO INTACTA, E HAVIA AINDA VÁRIOS SUBMARINOS QUE ESTAVAM NOS ESTALEIROS SENDO FABRICADOS E ALGUNS NEM COMISSIONADOS, OU SEJA UMA FUGA PELO MAR SERIA POSSÍVEL, OS SUBMARINOS PODERIAM VIAJAR SEM SEREM DETECTADOS FACILMENTE PELOS ALIADOS.

SUBMARINO TIPO XXI - O MELHOR SUBMARINO DO MUNDO EM 1945.
DECIDIDO QUE A FUGA SERIA PELO MAR, BASTAVA SABER PARA ONDE OS ALEMÃES FUGIRIAM. LOGICAMENTE NA HORA A BASE SECRETA ALEMÃ EM NEU-SCHWABENLAND NA ANTÁRTIDA , FOI A ESCOLHA MAIS APROPRIADA, UM LUGAR DESABITADO E ISOLADO DO MUNDO, NADA MELHOR QUE A FRIA ANTÁRTIDA.
HITLER FECHOU QUESTÃO, ESTAVA DEFINIDO QUE ESSA SERIA A MANEIRA DE FUGIR , HITLER DEU PLENOS PODERES AO ALMIRANTE KARL DÖENITZ, ELE DEVERIA PREPARAR O MÁXIMO DE SUBMARINOS PARA A FUGA.
OS NAZISTAS TAMBÉM DEFINIRAM QUE TODOS OS EXPERIMENTOS ALEMÃES DEVERIAM SER RECOLHIDOS , DEMONTADOS E TRANSPORTADOS PARA DENTRO DOS SUBMARINOS.
MAS PARA NÃO LEVANTAR SUSPEITAS , TINHAM QUE SER DEIXADOS ALGUNS CIENTISTAS E EXPERIMENTOS PARA QUE OS ALIADOS FICASSEM OCUPADOS COM SEUS NOVOS "BRINQUEDOS". OU SEJA CONVENCER OS ALIADOS QUE AQUILO QUE ACHARAM ERA TUDO QUE OS ALEMÃES INVENTARAM DURANTE A GUERRA.
TAMBÉM FICOU DEFINIDO QUE OS GRANDES FIGURÕES NAZISTAS DEVERIAM SE TORNAR "BOI-DE-PIRANHA" PARA OS ALIADOS, OU SEJA, SE SACRIFICAR PARA SALVAR A ALEMANHA E O REICH.
E QUE SOMENTE AS FIGURAS SECUNDÁRIAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES PODERIAM FUGIR NA GRANDE ESQUADRA DE SUBMARINOS, POIS OS LÍDERES MAIS FAMOSOS SERIAM PERSEGUIDOS E OS ALIADOS QUESTIONARIAM SEMPRE ONDE ELES ESTARIAM.
E QUE ELES SE SACRIFICARIAM PARA SALVAR HITLER, POIS A MORTE DE HITLER NO FÜHRERBUNKER SERIA FORJADA, E QUE PRA REFORÇAR A TESE DE SUA MORTE, TODOS OS FIGURÕES QUE NÃO FOSSEM NECESSÁRIOS PARA A FUGA DEVERIAM SE SUICIDAR. E OS OUTROS NÃO AVISADOS DO PLANO DE FUGA , ACABARIAM CAPTURADOS PELOS ALIADOS.
E QUE O ALMIRANTE KARL DÖENITZ ASSUMIRIA O GOVERNO E NEGOCIARIA A RENDIÇÃO COM OS ALIADOS, POIS ELE SERIA A ÚLTIMA FIGURA IMPORTANTE QUE VIRIA HITLER VIVO E OS U-BOATS FUGINDO. OU SEJA SABENDO O QUE FAZER PARA ABAFAR ESSA GRANDIOSA FUGA.
O ALMIRANTE DÖENITZ TEM QUE ESCONDER OS SUBMARINOS DOS ALIADOS
COMO DESCRITO NO TEXTO ANTERIOR, O PLANO DE FUGA FOI FEITO MESES ANTES DA RENDIÇÃO. JÁ A EXECUÇÃO DO PLANO FOI FEITA EM PARTES DURANTE OS MESES FINAIS DA GUERRA.
O PLANO FOI EXECUTADO DESTA FORMA:
PRIMEIRAMENTE O ALMIRANTE KARL DÖENITZ TINHA QUE DAR UM JEITO DE FAZER OS ALIADOS ACREDITAREM QUE OS SUBMARINOS QUE SERIAM USADOS NA FUGA, TINHAM SIDO PERDIDOS OU TINHAM SIDO DESTRUÍDOS PELOS ALIADOS, OU SEJA PARA NÃO DEIXAR RASTROS.
OS ALEMÃES PARA RESOLVER ESTE PROBLEMA, DECIDIRAM ENGANAR OS ALIADOS.
O MÉTODO ERA SIMPLES. COMO OS ALIADOS HAVIAM CONSEGUIDO DURANTE A GUERRA O CÓDIGO SECRETO PARA DECIFRAR AS MENSAGENS DA MÁQUINA DE ENVIO DE MENSAGENS ALEMÃ "ENIGMA".
OS NAZISTAS DECIDIRAM USAR A ESPIONAGEM DOS ALIADOS CONTRA ELES MESMO.

A MÁQUINA ENIGMA
USANDO A "ENIGMA" , OS ALEMÃES COMEÇARAM A PASSAR MENSAGENS FALSAS DE PROPÓSITO PARA OS ALIADOS DECIFRAREM, NESSAS MENSAGENS OS ALEMÃES RECEBIAM MENSAGENS DE S.O.S DOS SUBMARINOS, QUE TERIAM TIDO PROBLEMAS OU QUE TINHAM SOFRIDO ATAQUES ALIADOS, E DEPOIS OS ALEMÃES DEIXAVAM OS ALIADOS LER QUE ESSE SUBMARINO HAVIA SIDO PERDIDO.

OS ALEMÃES ENVIAM A MENSAGEM FALSA

AS EQUIPES ALIADAS INTERCEPTAM AS MENSAGENS

A OPERADORA ALIADA INTERCEPTA E DECIFRA A MENSAGEM FALSA ALEMÃ
E A PERDA DESSES SUBMARINOS ERA CONFIRMADA PELOS ALMIRANTES ALEMÃES, OS ESPIÕES ALIADOS OLHAVAM OS DOCUMENTOS , E CONFIRMAVAM AS PERDAS DOS SUBMARINOS ALEMÃES.
COMO OS ALIADOS JÁ TINHAM NA ÉPOCA CERTEZA QUE O CÓDIGO DA ENIGMA HAVIA SIDO QUEBRADO TOTALMENTE , AS MENSAGENS FORAM ACEITAS COMO VERDADEIRAS.
ÚLTIMAS SEMANAS - HITLER É INFORMADO QUE TUDO ESTÁ PRONTO
HITLER FOI INFORMADO QUE OS SUBMARINOS ESTAVAM PRONTOS, NO TOTAL O ALMIRANTE KARL DÖENITZ DISPONIBILIZOU PARA A FUGA 128 SUBMARINOS DA CLASSE XXI, ESSES SUBMARINOS ERAM OS MELHORES DA KRIEGSMARINE E DO MUNDO, E ERAM DOTADOS DE SISTEMAS MUITO MODERNOS. ESTES SUBMARINOS ESTAVAM ATRACADOS NAS BASES ALEMÃES NO MAR BÁLTICO.

BASES ALEMÃS NO BÁLTICO
OS SUBMARINOS ESTAVAM CARREGADOS DE EQUIPAMENTOS CIENTÍFICOS, CIENTISTAS, OFICIAIS E MARINHEIROS, E MAIS ALGUNS EXPERIMENTOS NOVOS COMO UM LASER NEGRO QUE FICOU PRONTO NAS SEMANAS FINAIS, ESSE LASER EXPERIMENTAL FOI EMBARCADO E INSTALADO PARA SER USADO COMO ARMA DE DEFESA, DURANTE A FUGA DA GRANDIOSA ESQUADRA.

128 SUBMARINOS TIPO XXI COMO ESSE , FORAM USADOS NA FUGA
TRECHOS DE DISCURSOS OFICIAIS DE HITLER EM 1945, NÓS QUAIS ELE APARENTEMENTE FAZ LIGAÇÃO AO ÚLTIMO BATALHÃO NAZISTA QUE SE INSTALARIA NA ANTÁRTIDA E UMA POSSÍVEL DESCRIÇÃO DA BASE DA ANTÁRTIDA COMO SENDO O ÚLTIMO LOCAL DE LUTA NA GUERRA:
“Nesta guerra não há vencedores e nem vencidos, apenas os mortos e os sobreviventes mas o último batalhão será completamente germânico.”
“Se o inimigo varrer a Alemanha, as hostilidades serão encerradas em solo estrangeiro; a rendição jamais acontecerá!”
COMO PODEMOS NOTAR HITLER NESSES TRECHOS ACIMA DEIXOU VAZAR UM POUCO SEU PLANO DE
FUGA . . .
OS SOVIÉTICOS ESTAVAM CADA DIA MAIS PRÓXIMOS, MAS HITLER APARENTEMENTE CONTINUAVA CALMO E TRANQUILO . . .
PARA QUEM NÃO SABIA DO PLANO DE FUGA, AQUELA SITUAÇÃO ERA IMPRESSIONANTE. HITLER ESTAVA NO FÜHRERBUNKER ESCONDIDO CALMO E CONFIANTE , SOMENTE OS MAIS PRÓXIMOS TINHAM AUTORIZAÇÃO PARA ENTRAR, E QUEM CONVIVIA COM ELE DIRETAMENTE E NÃO SABIA DO PLANO DE FUGA, SE PERGUNTAVA POR QUE ELE NÃO FUGIA O MAIS RÁPIDO POSSÍVEL. POR EXEMPLO SEU SECRETÁRIO HEINZ LINGE , ESSE SECRETÁRIO QUE JÁ DAVA COMO CERTA A DERROTA E A CAPTURA DO FÜHRER INGENUAMENTE PERGUNTOU PARA HITLER:
“Mein Führer, a quem seguiremos depois que tudo isto acabar?”
E HITLER RESPONDEU:
“Ao Homem de Amanhã”.
HITLER APARENTEMENTE NESTA RESPOSTA , QUIS DIZER QUE ELE IRIA OU REENCARNAR FUTURAMENTE COMO UM GRANDE LÍDER ARIANO OU O MAIS POSSÍVEL, A SUA VOLTA AO PODER FUTURAMENTE, APÓS FICAR UM PERÍODO REFUGIADO EM ALGUM LUGAR, POIS A PALAVRA HOMEM NESTA FRASE ESTÁ SE REFERINDO A ELE MESMO, POIS EM MUITOS DE SEUS DISCURSOS ELE HAVIA SE REFERIDO COMO O HOMEM MANDADO PARA FAZER A ALEMANHA REINAR POR 1000 ANOS.
LOGICAMENTE HITLER NÃO IRIA DIZER A SEU SIMPLES SECRETÁRIO QUE IRIA FUGIR . . .
HITLER JÁ ESTAVA INFORMADO QUE A ESQUADRA ESTAVA PRONTA PARA PARTIR, ENTÃO BASTAVA AGORA FORJAREM SUA MORTE, PARA QUE OS ALIADOS ACREDITASSEM QUE HAVIAM DERROTADO A ALEMANHA TOTALMENTE E ELIMINADO SEU LÍDER.
HITLER MANDA FORJAR SUA MORTE E FOGE

UM DOS MAIORES MISTÉRIOS DO SÉCULO XX : HITLER MORREU MESMO EM 1945 ?
NA HISTÓRIA OFICIAL, OU SEJA A QUE APRENDEMOS NOS LIVROS. HITLER VENDO QUE NÃO TINHA ESCAPATÓRIA, SE SUICIDOU COM UM TIRO NA BOCA NO SEU BUNKER, NO DIA 30 DE ABRIL DE 1945 ÀS 15:30. E SEU CORPO DEPOIS FOI INCENDIADO.
BOM ISSO É O QUE DIZEM. ALIÁS VOCÊ JÁ NÃO SE PERGUNTOU: SE OS SOVIÉTICOS ENTRARAM NO BUNKER E ENCONTRARAM HITLER E EVA BRAUN CARBONIZADOS, ESTES ERAM SEM DÚVIDA OS MAIORES TROFÉIS DE GUERRA DE TODOS OS TEMPOS. NÃO É ???
MESMO CARBONIZADOS OS ALIADOS NÃO DEVERIAM IDENTIFICAR E MOSTRAR AO POVO OS CORPOS ? REPITO A PERGUNTA: PORQUE OS SOVIÉTICOS ( PRINCIPALMENTE OS SOVIÉTICOS QUE PERDERAM 20 MILHÕES PESSOAS NA GUERRA ) E DEPOIS AMERICANOS E INGLESES NÃO TIVERAM O MENOR INTERRESSE EM IDENTIFICAR E MOSTRAR PARA O MUNDO, DIZENDO ASSIM: "AQUI ESTÁ ELE, O MONSTRO ESTÁ MORTO"
MAS PORQUE ESSE SHOW NÃO FOI PROTAGONIZADO PELOS ALIADOS ???

PORQUE BENITO MUSSOLINI E CLARA PETACCI FORAM MOSTRADOS PENDURADOS ( FOTO ACIMA) E HITLER E EVA BRAUN NÃO ???
SIMPLESMENTE PORQUE OS ALIADOS NÃO ACHARAM O CORPO DE HITLER NEM O DE EVA BRAUN DEPOIS QUE A IDENTIFICAÇÃO FICOU PRONTA , EXAMES ESTES QUE INVESTIGARAM OS CORPOS INCENDIADOS NO BUNKER.
ENTÃO OS ALIADOS VITORIOSOS SE PERGUNTAM : AONDE HITLER FOI PARAR ???
PARA ENTENDERMOS COMO HITLER FUGIU E ENGANOU OS ALIADOS, DEVEMOS ENTENDER O QUE SÓ AGORA DOCUMENTOS E RELATOS PROVAM QUE HITLER FUGIU E ENGANOU OS ALIADOS NUM PRIMEIRO MOMENTO.
MAS COMO ESTE PLANO DE FUGA FOI FEITO ???
COMO DESCRITO NO TEXTO ANTERIOR, OS SUBMARINOS QUE O ALMIRANTE KARL DÖENITZ PREPAROU PARA FUGA, ESTAVAM PRONTOS PARA PARTIR, ESPERANDO SOMENTE QUE HITLER FOSSE SE INTEGRAR A TRIPULAÇÃO PARA A FUGA.
LOGICAMENTE HITLER NÃO PODIA SAIR DE BERLIM SEMANAS ANTES, POIS ALGUNS DOS SEUS GENERAIS OU FUNCIONÁRIOS, SEMPRE QUESTIONARIAM AONDE HITLER FOI, O QUE CARACTERIZARIA UMA FUGA E COMENTÁRIOS SOBRE ELA QUE IRIAM DEPOIS PARAR FACILMENTE NOS OUVIDOS DOS ALIADOS . . .
ENTÃO HITLER DECIDIU SAIR DE BERLIM SOMENTE POUCAS HORAS ANTES DA CHEGADA DOS SOVIÉTICOS, OU SEJA USAR O PAVOR DA CHEGADA DOS SOVIÉTICOS COMO MEIO DE NÃO SER NOTADA SUA FUGA.
ALGUNS FATOS ESTRANHOS SÃO RELATADOS NA HISTÓRIA OFICIAL DOS ÚLTIMOS MOMENTOS DE HITLER VIVO, O QUE REFORÇA A TEORIA DE QUE ELE FUGIU MESMO. POR EXEMPLO NA NOITE DE 29 DE ABRIL DE 1945 , HITLER COMEÇA A SE DESPEDIR DE SEUS FUNCIONÁRIOS PESSOALMENTE, CUMPRIMENTANDO UM A UM E DANDO DE PRESENTE PARA ELES UMA CÁPSULA DE VENENO ( ISTO REFORÇA QUE HITLER QUERIA TODOS MORTOS, QUANTO MENOS VIVOS, MAS POSSIBILIDADE DE SUA FUGA TER ÊXITO). COMO DITO HITLER QUERIA REFORÇAR A IDÉIA DE QUE SE SUICIDOU, ELE ORDENOU POR EXEMPLO QUE SUA CADELA CHAMADA BLONDI FOSSE SACRIFICADA, ISTO SERVIRIA PARA SE ENTENDER QUE HITLER QUERIA LEVAR COM ELE TODOS QUE ELE QUERIA BEM , ATÉ SEU ANIMAL DE ESTIMAÇÃO. OU SEJA TUDO QUE REFORÇASSE SUA MORTE POR SUÍCIDIO ERA VÁLIDO.
HITLER E EVA BRAUN ENTÃO ALGUMAS HORAS ANTES DA CHEGADA DAS TROPAS SOVIÉTICAS AO BUNKER, FOGEM DE BERLIM COM DESTINO AO NORTE DA ALEMANHA PARA UMA DAS BASES DE U-BOATS NO BÁLTICO, MAIS PROVALMENTE PARA KIEL, AONDE DÖENITZ RECEBERIA HITLER E A PASSAGEM DE GOVERNO PARA KARL DÖENITZ SERIA FEITA.

ADOLF HITLER E EVA BRAUN
AGORA DEVEMOS ENTENDER COMO OS NAZISTAS QUE FICARAM NO FÜHRERBUNKER EXECUTARAM O PLANO PARA FORJAR A MORTE DE HITLER . PRIMEIRAMENTE SE PRECISARIA JUNTAR OS DOIS CORPOS VESTIDOS COM ROUPAS DE HITLER E EVA E DEPOIS SERIAM INCENDIADOS, PARA QUE A IDENTIFICAÇÃO FOSSE AINDA MAIS DÍFICIL.
ESTÁ MISSÃO FOI PROVAVELMENTE COMANDADA POR GOEBBELS E EXECUTADA PELO MOTORISTA DE HITLER E MAIS 4 SOLDADOS.

JOSEPH GOEBBELS
OS DOIS CORPOS SELECIONADOS FORAM VESTIDOS COM ROUPAS DE HITLER E EVA SENDO JOGADOS NO JARDIM DA CHANCELARIA.
O MOTORISTA DE HITLER ERICK KEMPKA E OS 4 SOLDADOS LEVARAM 180 LITROS DE GASOLINA. ELES BANHARAM OS CADÁVERES COM BASTANTE GASOLINA, PORQUE QUERIAM QUE NÃO SOBRASSEM NADA DOS CADÁVERES, O QUE REFORÇA A FRAUDE.
DEPOIS SAÍRAM JÁ QUE OS SOVIÉTICOS JÁ HAVIAM TOMADO O REICHSTAG E ESTAVAM A 100 METROS DO BUNKER.

BANDEIRA SOVIÉTICA É ASTIADA NAS RUÍNAS DO REICHSTAG
O MARECHAL SOVIÉTICO ZHUKOV CHEGA AO BUNKER E OLHA OS CORPOS, LOGICAMENTE PELA CARBONIZAÇÃO DOS CADÁVERES É IMPOSSÍVEL IDENTIFICAR HITLER, MAS DEPOIS ZHUKOV DÁ UMA DECLARAÇÃO PARA A IMPRENSA , JÁ SABENDO QUE ALGO DE ERRADO TINHA NAQUELA MORTE:

MARECHAL ZHUKOV ( FOTO ACIMA)
SURPREENDENTEMENTE DISSE PARA IMPRENSA NO DIA 09 DE JUNHO 1945:
"As circunstâncias são muito misteriosas.Não identificamos o corpo de Hitler. Nada posso dizer de definitivo sobre seu destino... Encontramos muitos corpos, entre eles poderia estar o de Hitler, mas não podemos afirmar que esteja morto..."

NO DIA 10 DE JUNHO EM FRANKFURT, ZHUKOV SE ENCONTRA COM O COMANDANTE SUPREMO DAS FORÇAS ALIADAS EISENHOWER, E O AMERICANO PERGUNTA AO MARECHAL SOVIÉTICO:

General Eisenhower
"O que sabem os russos sobre o cadáver de Hitler?"
Zhukov respondeu também categoricamente: "Os soldados russos não encontraram nenhum vestígio do cadáver de Hitler".
LOGICAMENTE OS ALIADOS FORAM EM BUSCAS DE PROVAS PARA SABER ONDE HITLER ESTAVA, UMA DEVASSA NOS ARQUIVOS DA SS E DOS ORGÃOS GOVERNAMENTAIS NAZISTAS FOI PEDIDA, DEPOIS DE INVESTIGAÇÕES E TORTURAS CONSEGUIRAM AS PROVAS DE QUE HITLER NÃO MORREU. E LOGICAMENTE NÃO IRIAM DEIXAR HITLER E O TERCEIRO REICH SOBREVIVEREM, POIS REPRESENTAVAM UMA ENORME AMEAÇA.
OS NAZISTAS FOGEM PARA A ANTÁRTIDA EM MAIO DE 1945
O Almirante Karl Döenitz recebeu o governo das mãos de Hitler em Kiel, e recebeu a ordem de se render aos Aliados de forma total e incondicional, pois está conduta levaria mais facilmente os Aliados acreditarem que a Alemanha e seu líder haviam perdido e sem mais motivos e meios para continuar a lutar.
Hitler e Eva Braun, cientistas, marinheiros e oficiais nazistas, embarcaram nos 128 submarinos das classes XXI e XXIII, e começaram a incrível fuga com a gigantesca esquadra. Além dos equipamentos e aparelhos científicos, alguns submarinos foram destacados para levar uma preciosa carga, o ouro roubado dos judeus e dos países invadidos pelos nazistas durante a guerra, sendo esta uma fortuna enorme em lingotes de ouro.

Submarino da Classe XXI

Submarino da Classe XXIII
A esquadra partiu, e o Almirante Karl Döenitz fica na cidade de Kiel, esperando os aliados chegarem, já tendo em mente não esboçar nenhuma reação que não seja de alguém que esta no comando de um país derrotado

Os Discos Voadores da Alemanha
A avançada tecnologia de HITLER incluía mísseis balísticos intercontinentais, naves de decolagem vertical, engenhos a jato, mísseis cruise, canhões de som, e muitos outros itens avançados. Os Aliados capturaram planos do que mais tarde veio a ser o jato jumbo Boeing 747. Entre estes itens secretos capturados, estavam planos para disco voadores que primeiramente foram chamados de "KRAUTMETEORS." Baseado na evidência, eles foram construídos por volta de 1933 e foram para produção em massa em 1940. Os cientistas envolvidos nestes projetos BELLONZO, SCHRIEVER, MIETHE e VICTOR SCHAUBERGER.
Foi SCHAUBERGER que desenvolveu o ''disco tipo de chapéu'' que mais tarde seria visto sobre os EUA. A versão final foram os discos de BELLONZO-SCHRIEVER-MIETHE que tinham entre 135 pés e 225 pés de diâmetro. Eles viajavam a mais de 2.000 km/h e eram planejados para irem além de 4.000 km/h. Em 1945 eles podiam alcançar uma velocidade de 1.300 mph e uma altitude de 40.000 pés em menos de três minutos. Os alemães desenvolveram a nave com asas Delta, e estavam trabalhando na tecnologia stealth, etc. Muitos pilotos viram nave estranha sobre a Alemanha. Contudo, tão logo a nave foi construída, HITLER mandou que fosse desmontada e embarcada para algum lugar - provavelmente Antártica. Nenhuma das naves foi capturada pelos aliados embora muitos cientistas fossem capturados e então a maioria desapareceu, mas pode de alguma forma ser traçado para BELL TEXTRON e para lugares como AREA 51, a qual, surpresa!, é notória por seus avistamentos 'UFO'.
Aqui alguns exemplos de itens de notícias durante a SEGUNDA GUERRA MUNDIAL a respeito dos UFOs da Alemanha, do "NEW YORK TIMES:"
"NEW YORK TIMES," 14 de dezembro de 1944: "Bola misteriosa flutuante é a nova arma da Alemanha. SUPREME HEADQUARTERS, Força Expedicionária Aliada , 13 de dezembro - Uma nova arma alemã fez seu aparecimento no front aéreo ocidental, foi revelado hoje. Os aviadores da Força Aérea relatam que eles estão encontrando esferas prateadas no ar sobre o território da Alemanha. As esferas são encontradas isoladamente ou em grupos. Algumas são semi translúcidas''. E , "SUPREME HEADQUARTERS 13 de dezembro [REUTERS] - A Alemanha está produzindo uma arma secreta mantendo a estação natalina. O novo aparelho, aparentemente uma arma de defesa aérea, parece uma enorme bola de vidro daqueles que adornam as árvores de Natal. Não há informação disponível sobre o que as sustenta nos céus como estrelas, o que há sobre elas ou qual suponha-se ser o seu propósito. " (Nota: A respeito do acima exposto, o físico búlgaro VLADIMIR TERZISKI escreveu o seguinte a respeito destas misteriosas ''esferas'' nazistas e projetos de discos aéreos: "...segundo RENATO VESCO... Alemanha estava partilhando um grande tratado de avanços em armamentos com seus aliados durante a guerra. A instalação experimental da FIAT no lago La Garda, uma instalação que recebeu seu nome do marcial aéreo HERMANN GOERING, os italianos estão testando numerosas armas avançadas, foguetes e aviões criados na Alemanha. De forma similar, a Alemanha mantém um estreito contato com a instituição militar japonesa e está fornecendo a eles muitas armas avançadas. Eu descobri por exemplo uma foto de uma cópia de uma versão tripulada do V-1 - o REICHENBERG - produzido no JAPÃO pela MITSUBISHI.
O melhor caça do mundo, o DOMIER-335, de propulsão dupla puxe-empurre foi duplicado nas oficinas de KAWASHIMA. Ou uma foto dos oficias japoneses de alto escalão da marinha imperial inspecionando a mais recente estação de radar da Alemanha. Um japonês meu amigo em Los Angeles me contou uma história de um amigo de seu pai, que trabalhou como técnico em um departamento de pesquisa aérea no Japão durante a guerra. Em julho de 1945, dois e meio meses depois que a guerra terminou na Alemanha, um enorme submarino de transporte da Alemanha trouxe para o Japão as últimas invenções da Alemanha - dois aparelhos voadores esféricos e sem asas - O grupo de Pesquisa e Desenvolvimento japonês colocou as máquinas juntas, seguindo as instruções alemães, e ... houve algo de bizarro e de outro mundo ali na frente deles. - um aparelho em forma de bola e sem asas ou propulsores, que ninguém sabia como voava. O combustível foi adicionado e ao apertar o botão de ''iniciar'' desta máquina não tripulada ... ela desapareceu com um turbilhão e chamas no céu. A equipe nunca tinha visto isto. Os engenheiros ficaram tão amedrontados pelo poder inesperado da máquina que eles imediatamente dinamitaram o segundo protótipo e optaram por esquecer todo este incidente -." - BRANTON)
A Guerra das Ilhas Falkland
A Guerra das Ilhas FALKLAND tem mais coisas em comum com os nazistas que com a Argentina... Os alemães, de suas bases na Antártica, começaram a se infiltrar na Argentina, Chile, etc., e compraram grandes áreas de terra e criaram corporações. Eles também investiram em corporações na Alemanha e em todas as partes do mundo, com planos de preparar o retorno. Eles usaram o tesouro da Alemanha, capturaram tesouros de outras nações e falsificaram o dinheiro americano mas fazendo dinheiro real, porque imprimiam com placas dadas aos russos e capturadas pelos alemães. (Nota: Parece como se a elite da Alemanha tenha começado a tentar via STEALTH, obter o que eles não conseguiram pela força nas primeira e sunga guerras mundiais - infiltrar as Américas do Norte e do Sul e se engajar em uma guerra econômica a partir de seu extenso império subterrâneo sob Antártica e também sob as Américas do Norte e do Sul, com a ajuda de seus aliados na CIA/NSA. Aqui não estamos falando de bilhões de dólares; estamos falando de TRILHÕES que tem sido desviados da economia americana por meio de vários métodos engenhosos, e usados para alimentar a rede subterrânea de origem bavariana que se espalha pela América do Norte e que é compostas de nacionais socialistas europeus, americanos e ''antarticanos". A riqueza que tem sido desviada da economia americana poderia Ter sido utilizada para novos níveis de prosperidade e esta prosperidade poderia fluir para outras nações do mundo. Aparentemente, os nazistas entenderam isto, e todos perceberam que os ''banqueiros'' que os mantiveram na Segunda Guerra Mundial é que tinham o poder REAL. Eles compreenderam que o poder econômico é quem dita o poder político, mesmo num país supostamente democrático onde este poder financeiro pode comprar o poder político daqueles que estão muito mais interessados nos confortos físicos imediatos e no status econômico do que no destino a longo prazo de seu país. Os nazistas não poderiam Ter feito o que fizeram sem a ajuda destes traidores ''internos''. O mesmo pode ser dito também a respeito dos greys. E isto sem mencionar a própria colaboração CIA/Nazista/Grey existente dentro de várias bases subterrâneas: NEU SCHWABIA, ANTÁRTICA; PINE GAP, AUSTRÁLIA; ALSACE-LORRAINE MTS., ALEMANHA; MONTAUK, LONG ISLAND; AEROPORTO INTERNACIONAL DE DENVER; DULCE, NEW MEXICO; AREA 51, NEVADA, etc. - BRANTON) Algumas placas foram roubadas pelo Secretário Assistente do Tesouro Americano, HARRY DEXTER WHITE [nome real, WEISS] que era assistente de HENRY MORGENTHAU e enviada aos soviéticos para uso na Alemanha Ocupada. Ele também arranjou o roubo em massa de toneladas de papel moeda especial. Quando J. EDGAR HOOVER foi até o Presidente TRUMAN com todas as evidências de que o Secretário Assistente do Tesouro Americano, HARRY DEXTER WHITE era um espião comunista e ladrão, TRUMAN de fato removeu WEISS [White] de seu cargo - e PROMOVEOU-O como líder do Fundo Monetário Internacional. Não é brincadeira, é fato mesmo. (Isto mostra que de qual lado de fato TRUMAN estava. - BRANTON) A história teve um final comum - quando a controvérsia começou a explodir na imprensa, a respeito deste incidente, WEISS cometeu "suicídio".
O Milagre Econômico Alemão
Para mais informação sobre como foi obtido o ''milagre econômico'' de pois da guerra pela Alemanha, você pode ler livros como "MARTIN BORMANN, NAZI IN EXILE" de PAUL MANNING: [ "...BORMANN se tornou a força condutora do ''milagre econômico que levou ao renascimento das indústria e finanças da Alemanha nos primeiros 35 anos do pós guerra depois daquele derrota política e militar. Nos meses finais da Segunda Guerra Mundial, já com o TERCEIRO REICH balançando e finalmente se curvando em derrota, BORMANN escolheu 750 CORPORAÇÕES entre as nações que tinham permanecido neutras. Estas corporações receberam a riqueza da Alemanha que pode então retomar sua força política e econômica ."]. Este livro expande o encontro de 10 de agosto de 1944 em STRASBOURG mencionado no livro de MICHAEL BAR-ZOHAR, "THE AVENGERS." Em 1986, enquanto pesquisava estas matérias, recebemos 161 páginas de pesquisas sob o Ato da Liberdade de Informação a respeito do que aconteceu com o tesouro da Alemanha no fim da SEGUNDA GUERRA MUNDIAL. Muitos destes documentos foram secretos até preencherem os requisitos de desclassificação. Um destes documentos era o de NÚMERO No. 19.489, DE 27 DE NOVEMBRO DE 1944, Assunto: Transmissão de Inteligência Relatório No.. EW-Pa 198 [?, ilegível] Realizado por Seção Econômica G-2 Para o Secretário de Estado por : Lt. Col. John W. Easton, Divisão Econômica da Guerra.
A sobre carta afirma: "Eu tenho a honra de incluir o Relatório de Inteligência No. EW-Pa 198 da Seção Econômica G-2, SHAEF ["Quartel General Supremo das Forças Expedicionárias Aliadas "], datado de 7 de novembro de 1944, descrevendo os planos dos industriais alemães para a ressurreição pós-guerra da Alemanha. Entre os tópicos bordados neste relatório estão: patentes, reservas financeiras, exportação de capital, e colocação estratégica de pessoal técnico". É obvio que MANNING usou as citações deste documento em seu livro sobre BORMANN. Na descrição do encontro de 10 de agosto de 1944, em STASBOURG, muitas sentenças nos documentos afirmam: "Os industriais Alemanha devem, como já foi dito, aumentar as suas exportações aumentando assim a força da Alemanha. Eles também deve se preparar para financiar o Partido Nazista que será forçado a ir para os subterrâneos como MAQUIS [GEBIRGVERTEIDIGONUGSSTELLENGEHEN]. Por agora, o governo alocaria grandes somas aos industriais para que cada um possa estabelecer uma segura Fundação pós guerra em países estrangeiros. A exist6encia de reservas financeiras em países estrangeiros deve ser colocada à disposição do Partido para que possa ser criado um forte Império Alemão depois da derrota. E também é imediatamente requerido que as grandes fábricas alemãs criem pequenos escritórios técnicos ou departamentos de pesquisa que seriam completamente independentes e sem qualquer ligação conhecida com a fábrica. Estes departamentos receberão planos e desenhos de ''novas armas'' bem como documentos os quais não serão permitidos caírem em mãos do inimigo
As últimas frases neste documento são: '' Depois da derrota da Alemanha o Partido Nazista reconhece que alguns de seus mais conhecidos líderes serão condenados como criminosos de guerra. Entretanto, na cooperação com os industriais, poderá ser arranjado colocar os menos conspícuos mas mais importantes líderes em posições em várias fábricas alemãs como técnicos especialistas ou membros de seus escritórios de pesquisa e planejamento.."
Muitos dos Documentos eram a respeito do "Ouro Usurpado" [1945-1948]. (Nota: Um maciço carregamento de ouro que desapareceu de um trem que foi dinamitado em um túnel, foi mais tarde utilizado para financiar os projetos negros das sociedades como THULE, por exemplo, os projetos MONTAUK ou PHOENIX, bem como os da Marinha, como os experimentos PHILADELPHIA ou RAINBOW. A CIA enviou para as mãos dos Nazista de THULE a maioria das pesquisas e tecnologia do experimento PHILADELPHIA - BRANTON)
ACCESSION NÚMERO 56-75-101, Conteiner da Agência No. 169, Arquivo No. BIS/2/00." Estes documentos são referentes ao ''ouro usurpado'' pela Alemanha sendo transferido para o 'BANK FOR INTERNATIONAL SETTLEMENTS', na Suíça. Um parágrafo importante, - (#9) - diz: "Está claro tanto pela correspondência como pelo testemunho que o gerenciamento do B.I.S. durante a guerra estava nas mãos do Conselho de Administração no qual os representantes do Eixo tem uma influência de "autoridade" e que em 1942 a Alemanha favoreceu a reeleição do Presidente MCKITTRICK cujas opiniões pessoais são sobejamente conhecidas." (Tem sido afirmado por alguns pesquisadores que os 7 banqueiros mais poderosos do mundo - que coletivamente controlam mais de 80% de todas as transações financeiras globais e mais de 60% de todo o comércio global - no passado se encontraram regularmente no escritório do 'B.I.S.' sob o apelido de 'TOWER OF BASEL' em BASEL, SUÍÇA. - BRANTON) Incluído no arquivo está um recorte do "NEW YORK TIMES," cuja data não foi incluída mas parece ser de 1945, que diz: "McKITTRICK Indicado para Cargo no CHASE. Ele ocupará o cargo de Vice Presidente do banco aqui no próximo outono. THOMAS H. MCKITTRICK, banqueiro americano que foi o presidente do BANK FOR INTERNATIONAL SETTLEMENTS [B.I.S.] desde o início de 1940, se tornará vice presidente do CHASE NATIONAL BANK OF NEW YORK [de ROCKFELLER] na próxima estação. WINTHROP W. ALDRICH, presidente do CHASE, anunciou ontem". O artigo termina citando McKITTRICK: "Entendi que era meu dever desempenhar um papel neutro no tempo de guerra. Isto é extremamente difícil mesmo de tentar fazer, mas eu farei o melhor que puder."
Um outro documento, anteriormente super secreto, agora desclassificado foi: "Assunto: Conversação na Suíça com MR. McKITTRICK, Presidente do BANK FOR INTERNATIONAL SETTLEMENTS" de ORVIS A. SCHMIDT para o Secretário do Tesouro MORGENTHAU, datada de 23 de março de 1945. Ele descreve os negócios de MCKITTRICK com o real líder do sistema bancário nazista, um Vice Presidente chamado de PUHL. "PUHL foi descrito por MCKITTRICK como um banqueiro de carreira que estava no REICHSBANK a uns 20 anos, que não partilhava do ponto de vista nazista... o SWISS NATIONAL BANK disse que para se assegurar de que eles não estavam obtendo ouro usurpado eles tinham solicitado a um membro do REICHSBANK, que eles acreditavam ser confiável, para certificar que cada parcela de ouro que eles compravam não tinha sido usurpada. A pessoa que fazia esta certificação era PUHL." PUHL era o Vice Presidente Senior do REICHSBANK: EMIL JOHANN RUDOLF PUHL. Ele estava no cargo exatamente para controlar as coisas para os nazistas. Seu contador de embarques, ALBERT THOMS disse que ele precisava de mais de trinta homens para ajudá-lo a separar e reempacotar valores, que consistiam em ''milhões de marcos de ouro, libras esterlinas, e 4.638 quilates em diamantes e outras pedras preciosas, bem como centenas de peças de trabalhos de arte. " [p. 226, "AFTERMATH," LADISLAS FARAGO, AVON, 1974].
Este material era embarcado para fora do país na Operação FIRELAND (Terra do Fogo) o AKTION FEUERLAND NA Alemanha, a qual FARAGO explicou em uma nota de rodapé em seu livro sobre BORMANN: "A transação era chamada de 'LAND OF FIRE' por causa do arquipélago da TIERRA DEL FUEGO na extremidade sul da Argentina e Chile, A AREA PARA A QUAL MUITOS DOS EMBARQUES ERAM ORIGINALMENTE DESTINADOS." [pag. 228]. Na página seguinte FARAGO diz: "Somente uma parte relativamente pequena do Tesouro das SS foi destinado a BORMANN e enviado além mar no curso da AKTION FEUERLAND. A maior parte ainda está desaparecida. "
A Alemanha tinha desenvolvido a auto suficiência antes do fim da guerra, e estava manufaturando seu próprio petróleo, inventou o leite em pó, desenvolveu o congelamento seco, aprendeu como guardar farinhas indefinidamente, estava desenvolvendo sua comida em canteiros ou solo químico, etc. Estes projetos também eram necessários para a sobrevivência da secreta força UFO, a qual HITLER chamou de "Último batalhão," na Antártica.
O dinheiro americano e inglês falsificado foi sob a Operação BERNHARD. As falsas notas britânicas as vezes tem sido discutidas nos livros e artigos sob este projeto BERNHARD, mas a falsificação da moeda americana não é tão bem conhecida. Recentemente os EUA anunciaram que estavam fazendo um novo dinheiro para reagir a falsificação, que disseram Ter vindo de SADDAM HUSSEIN e do Líbano. Seria mais correto dizer que está vindo da América do Sul, mas que este dinheiro supostamente seria todo ele das drogas. A vida fica complicada.
Quando o jornal 'CONTACT' fez inicialmente uma série de "FIRE FROM THE SKY," ele continuou com uma republicação de informação sobre a verdade sobre a guerra das Ilhas FALKLAND [MALVINAS]. Nestas séries, revelou que os russos, trabalhando com as forças de ROCKFELLER, venceram as forças bolchevistas britânicas na Ilha SOUTH GEORGIA.
Se você não leu aquelas séries, esta informação não fará sentido para você. É importante saber daquela informação se você quer entender o que está acontecendo. As forças nazistas estiveram envolvidas na Guerra das Ilhas Falkland, do lado dos russos. Isto é difícil de acreditar se você não tiver idéia do que é.
Os russos eram nacionalistas em oposição aos bolchevistas que tomaram o país deles. Os chamados bolchevistas foram treinados na parte inferior de EAST SIDE de NEW YORK CITY e financiados por banqueiros de NEW YORK e de Londres. (Mais de 200 foram treinados para operarem no primeiro POLITBURO e aprenderam a filosofia do comunismo em Nova Iorque, ensinada por ROCKFELLERs. - BRANTON) Eles invadiram a Rússia, mataram o Tzar e muitos nacionalistas e tomaram o governo. Pode agora entender como alguém como BORIS PASH, de uma família russa de raiz nacionalista, pode trabalhar com os nazistas da GESTAPO e os agentes das SS?...
Em 1982, em 20 de abril, dia do aniversário de HITLER, a força comando Russa/ROCKFELLER/Nazi foi e colocou uma bomba de neutron em uma base naval subterrânea na Ilha South Georgia. (Como sugerido anteriormente, os ROCKFELLERs tinham originariamente mantido os bolchevistas e os nazistas. Mas tarde, começaram a financiar os nacionalistas e os nazistas depois que os bolchevistas foram chutados da Rússia e fizeram seu caminho para o Pentágono, de onde planejam um holocausto nuclear global do qual eles podem escapar em seus bunkers subterrâneos. E aqui é onde os ROCKFELLERs e os bolchevistas entraram em desacordo, porque os ROCKFELLERs resistem a estes planos apocalípticos porque eles não são ''financeiramente lucrativos''. E uma guerra nuclear implicaria num real colapso econômico global e os ROCKFELLERs não querem que isto aconteça de verdade. Agora que os nacionalistas russos conquistaram o poder e o controle na Rússia, a aliança ROCKFELLER-Nazi abraçou seus ''irmãos'' nacionalistas que detêm o poder. O Império Corporativo ROCKFELLER é um camaleão, que muda de cor de acordo com a circunstância.. - BRANTON)... ALEXANDER HAIG foi o General que representou os ROCKFELLERs. Em seu livro 'CAVEAT,' o capítulo sobre as FALKLAND diz: "Em 28 de março de 1982, um Domingo, o embaixador britânico NICHOLAS ['NIKO'] HENDERSON, me trouxe uma carta de LORD CARRINGTON. Um grupo de Argentinos (Argentina - onde os nazistas tem a maior presença além da Antártica. - BRANTON), escreveu o secretário do exterior, tinha pousado nove dias antes na ilha de South Georgia, uma possessão Britânica [da Marinha] no Atlântico Sul, uns poucos graus acima do círculo antártico e umas 600 milhas a leste das Ilhas FALKLAND, uma colônia da coroa britânica."
E aí a mídia propalou muito o conflito entre JEANE KIRKPATRICK e ALEXANDER HAIG. KIRKPATRICK é uma Sionista e era Embaixadora dos EUA na ONU. Ela tem uma coluna regular no jornal "THE JEWISH PRESS", ''o maior jornal semanal independente anglo-judeu''. HAIG tinha tido um longo relacionamento com HENRY KISSINGER, de quem HAIG se tornou conselheiro militar senior em 1969. Lembre que KISSINGER tem sua origem pessoal na Operação [pró-Nazista] PAPERCLIP.
Em janeiro de 1982, REAGAN substituiu seu conselheiro de segurança nacional, RICHARD ALLEN, por WILLIAM P. CLARK, uma outra pessoa do PAPERCLIP, e que era o substituto de HAIG. NIXON disse, "Quando você mais tarde ver as luzes acesas até tarde no escritório de HENRY [KISSINGER], saiba que muito freqüentemente é AL HAIG." ["War In The FALKLANDs, the Full Story" by the "Sunday Times" of London Insight Team, Harper & Row, New York, 1982, p. 123.]
Se você duvida do fato de que os nazistas nunca desistem e que eles planejaram continuar a guerra depois de sua derrota na Alemanha, e planejam retornar para alcançar seu objetivo, leia os seguintes livros: -- Connell, Brian, "A Watcher On The Rhine," William Morrow & Co., New York, 1957. "Old wine in new bottles," how the Nazis have come back into power. -- Horne, Alistair, "Return To Power," Fredrick A. Praeger, Inc., New York, 1956. "The struggle for unification, rather than any revival of Nazism, may one day force Germany out of the Western camp." -- Tetens, T.H., "The New Germany Nd The Old Nazis," Random House, New York, 1961. "A frank and often shocking account which details how 'HITLER's own' have managed to return to power in almost every walk of German life..." -- Winkler, Paul, "The Thousand-Year Conspiracy," Charles Scribner's Sons, 1943. "Secret german behind the mask." -- White, Theodore H., "Fire In The Ashes," William Sloane Associates, New York, 1953. The fire of Nazism in the ashes of Europe. -- Sayers, Michael and Kahn, Albert E., "The Plot Against The Peace," Book Find Club, New York, 1945. "...Uncovers Nazi German's secret plans for a THIRD WORLD WAR." (After all, they more-or-less got the first two world wars going, didn't they? - BRANTON) -- Schultz, Sigrid, "ALEMANHAY WILL TRY IT AGAIN," Reynal & Hitchcock, New York, 1944. Does the title give you a clue? -- Dornberg, John, "Schizophrenic Alemanha," MacMillan Company, New York, 1961. "Is the new West Alemanhay of the postwar years as democratic as we have been led to believe, or does Nazism still smolder?" -- Lord Russell, Brigadier, of Liverpool, C.B.E., M.C., "Return of the Swastika?" David McKay Co., New York, 1969. Russell was part of the Nuremberg prosecution team. -- Sutton, Anthony C., "Wall Street And The Rise Of HITLER," '76 Press, Seal Beach, Calif., 1976. There are more, these just happen to be the ones in my personal library. I read them, mostly about 20 or 30 years ago. I do not mean to give the impression that Alemanha is the source of the world's problems; Alemanha has simply been a part of a much bigger picture...
Programa "Open Mind Forum" de Sam Russell
Mais informação sobre os esforços nazistas na Antártica e suas tentativas para impor uma ditadura global vem do físico búlgaro VLADIMIR TERZISKI. A seguir está uma entrevista feita por SAM RUSSELL com TERZISKI que aconteceu entre 8-10 P.M., de 5 de junho de 1993 no PROGRAMA "OPEN MIND FORUM" DE SAM RUSSELL, da rádio KTKK [K-TALK] em SALT LAKE CITY, UTAH. Citaremos apenas partes da extensa entrevista as quais estão diretamente ligadas aos assuntos abordados aqui. (Nota: algumas das pronúncias de nomes aqui mencionados foram transcritos foneticamente da fita. Talvez as pronúncias originais destes nomes sejam diferente, devido ao sotaque búlgaro de MR. TERZISKI): SAM RUSSELL - ...... a Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial evidentemente possuía o que foi chamado de 'Foo Fighter', e suponho que este nome foram os pilotos aliados que deram a esta ''coisa'' de aparência curiosa que podia rolar e balançar e correr ao redor pelos esquadrões como se estivessem voando sobre a Alemanha para bombardea-la e assim por diante. VLADIMIR TERZISKI - Exatamente, FOO FIGHTER, ou 'FIERY' BALL. 'Foo' é fogo em francês e também vento em japonês... A propósito, RENATO VESCO, que era a contraparte italiana de WERNHER VON BRAUN, o cientista pesquisador da Força Aérea Italiana e do Programa de Pesquisa e Desenvolvimento Espacial durante a guerra, em seu livro altamente suprimido em seu país - mas disponível por meio de nossa Academia - -- 'INTERCEPT BUT DON'T SHOOT', fala sobre toda a família de discos turbo jatos que foram construídos pelos alemães, FOO FIGHTER, KUGELBLITZ e o FEUERBALL, dois modelos diferentes de basicamente o mesmo aparelho. E ele também menciona vários ATAQUES destas máquinas a formações de bombardeiros inimigos com resultados devastadores para os bombardeiros. Alguns Foo Fighters faziam 2900 km por hora e até mais... um bombardeiro podia fazer talvez 300, 400, 500 no máximo... assim estamos falando de 6, 7, 8 vezes a velocidade do bombardeiro. A coisa mais interessante que não tem se destacado do trabalho de RENATO VESCO [porque ele fala apenas sobe a família de discos turbo jatos... discos basicamente muito simples feitos com engenhos a pistão com propulsores, girando uma estrutura de ar lenticular, a estrutura do ar da nave em formato de lente então criando uma gravidade giroscópica - e muitos deles eram híbridos entre helicópteros de motor giratório (hélice?) basicamente engenhos rotativos de massa pesada de subida aerodinâmica e subida giroscópica. Eu não ficaria surpreso se o próprio engenho rotativo tivesse criado a energia do disco de rotação giroscópica que tinha um grande helicóptero no alto, uma espécie de híbrido entre um helicóptero e um disco... Eu mesmo descobri... desenhos extremamente raros do gênio da aviação alemã, LIPISH, o ''camarada'' que construiu o primeiro ''glider'' supersônico, nos anos 39, e não é CHUCK YEAGER que foi o primeiro a ''quebrar'' a barreira do som, mas provavelmente os alemães dez antes que ele... os gliders supersônicos que LIPISH construiu. De qualquer forma, LIPISH estava desenhando no fim da guerra uma nave de propulsão supersônica ram-jet com anti gravidade. Os tanques de combustível girando dentro dos jatos... indo através da parte do motor do objeto para o ducto do motor, girando o combustível ao redor e então criando uma adicional ''levantada'' adicional e grandemente aumentando a capacidade de subida e as respostas inerciais da nave. E a isto tudo se soma estar internos em uma ''concha de noz'', eu tenho... vários vídeos brilhantes com dúzias de fotografias e desenhos criados, esquemas e assim or diante. Os alemães tinham provavelmente 50 modelos de discos voadores cuja energia era a de todos os motores existentes em seu arsenal... motores de pistão com propulsores, turbo jatos internos e externos, jatos pulso (?), jatos ram e motores de foguetes. A nave movida a foguete... podiam entrar em órbita e os modelos maiores podiam ir à Lua e voltar literalmente com o carregamento de um caminhão de querosene e oxigênio. No alto dos discos de vôos espaciais os alemães tinha um extenso programa espacial com foguetes, eu descobri, apenas a poucos dias atrás, que uma versão alada feita pelo homem do foguete V-2... estava fazendo vôos sub-orbitais com uma altitude maior do que a altitude das cápsulas espaciais MERCURY e VOSTOCK. Eles tinham programas espaciais com o ram-jato estratosférico ZANGER-BRENT... antípoda, basicamente circulando 3/4 da trajetória global... este foi o avô da Aurora de que tanto se fala agora na Área 51. Observe que tanto os programas espaciais americanos como os russos dependeram de cientistas alemães que ambos adquiriram a seguir da Segunda Guerra Mundial. É possível que estes pesquisadores fossem intencionalmente deixados a parecer ''la crem de la crem'' da ciência espacial alemã, quando de fato os cientistas mais inteligentes podem Ter ''pego o caminho'' da base da Antártica a seguir a Segunda Guerra Mundial - BRANTON). A indústria aeronáutica dos Aliados depois da guerra teve um tempo ''duro'' duplicando e reproduzindo os desenhos que a Alemanha desenvolveu... S.R. - Uau! Isto é surpreendente... V.T. - Muitas destas coisas ainda não foram duplicadas, mas as mais surpreendentes fotografias vieram - e eu tenho as cópias delas e estão disponíveis - da sociedade secreta alemã 'TULIGEZELSHAFT' e 'TEMPLEHOFGEZELSHAFT', o ramo alemão dos CAVALEIROS TEMPLÁRIOS que são também os banqueiros internacionais e assim eles não tem nenhum problema de financiar estes projetos. Poucos... (inteligível - cientistas alemães de escalão inferior? - BRANTON) ao menos sabiam que estes projetos estavam sendo desenvolvidos. Muitos deles particularmente tem se queixado de que eles eram muito tolos porque todos os ''caras sabidos'' desapareceram depois da guerra para a colônia subterr6anea no Pólo Sul, na Antártica, e só basicamente os menos inteligentes ficaram na Alemanha... Nós fizemos um videoteipe brilhante, a propósito, de todas estas coisas sobre as quais estamos falando e eles estão disponíveis em 12 fitas de vídeo e em muitas fitas de áudio. S.R. - Como as pessoas podem obter isto? V.T. -Aqui em Los Angeles ligue para o código de área [310]-473-9717... S.R. - ...Eu gostaria de lhe fazer uma pergunta sobre o seu conhecimento das tecnologias russas. Dizem que os russos estão muito mais a frente que nós. V.T. - Não em tudo... S.R. - Tecnologicamente. V.T. - Meu sentimento é que não somente a Revolução Russa e a Comuna de Paris e o Comunismo de MARX e ENGELS foram financiados, planejados e orquestrados pelos [BAVÁRIAN] ILLUMINATI, mas que o foram também a Revolução Bolchevista, o crescimento nazista na Itália, ou o nacional socialismo ou movimento nazista na Alemanha. E evoluindo nesta linha WALL STREET tem empregado muitos esforços por detrás das cenas para os russos, para que eles se tornem um verdadeiro inimigo externo forte e não apenas um ''urso de papel''. Eu tenho inúmeros relatos de como os alemães construíram suas fábricas de munição antes da guerra começar, 14 ou 15 fábricas. Elas foram todas construídas por alemães... A ROLLS ROYCE construiu a fábrica de jatos turbo para os motores do avião de caça MIG exatamente a da guerra da Coréia começar. Eu tenho uma fotografia do melhor [naquele tempo ? - - BRANTON) bombardeiro estratégico americano, o B-29, o que deixou cair a bomba em HIROSHIMA e NAGASAKI. Sob sua asa está pendurado o melhor motor duplo interceptador de foguete da Alemanha, o foguete interceptador supersônico, DFS-346,e tudo isto sob o símbolo da estrela vermelha da Força Aérea Russa. Como pode alguém afirmar então que não havia um desvio secreto da tecnologia mais avançada por detrás das cenas?... da Guerra Fria para fazer da Rússia o inimigo real. Eu tenho ouvido rumores de que deram aos russos urânio enriquecido para construir a sua primeira bomba nuclear e quando eles não fizeram mesmo assim, então deram a eles uma bomba nuclear inteirinha que foi contrabandeada na bagagem de um embaixador russo em um vôo direto de WASHINGTON para MOSCOU segundo as palavras de VICTOR SUVARO, o gênio das crônicas de inteligência russas. E basicamente estes são livros documentários que ele tem escrito. O melhor deles é 'AQUARIUM', para aqueles de seus ouvintes que gostariam de se familiarizar com os trabalhos de uma sociedade secreta. Mais tarde aos russos foi vendido o submarino nuclear para fazer a sua frota estratégica uma mais real e amedrontadora ameaça. Porque o BAVARIAN ILLUMINATI precisa da Rússia como um inimigo forte? Muito simples, porque caso contrário eles não podem manter em segredo estes gigantescos projetos subterrâneos se desenvolvendo. Agora a melhor razão que eles usam é : '' OH, bem, não podemos falar com você sobre isto, não podemos discutir isto nem mesmo no Congresso porque os russos saberiam". E isto é usado muito espertamente por ambos os lados da ''cortina'' para que as sociedades secretas, tanto na Rússia como nos EUA, quietamente se empenhem - e assim também justifiquem o financiamento pesado - nestes projetos. Mas voltando a Alemanha, a afirmação mais interessante é a de que eles estão fazendo um outro filme documentário,,, disponível para nós, que eles pousaram em Marte em meados de janeiro de 1946, dois de 8 meses de vôo com uma tripulação basicamente de suicidas voluntários alemães e japoneses em um gigantesco ''dreadnaut'' de 230 pés de diâmetro... novamente movido a ''energia livre'' basicamente convertendo a energia de gravidade de Hanz-Kohler em energia eletromagnética de vôo. Um outro fato interessante que descobri é toda uma extensão de experimentos de controle mental na Alemanha QUE FORAM REPETIDOS verbatim pelos super poderes depois da guerra. Controle mental com ultra-som, quando eles eram induzidos e doutrinados em suas tropas de choque das S.S., controle mental com todos os tipos de drogas alucinógenas sintéticas, todos os tipos ''apropriados'' de cogumelos, controle mental usando a tecnologia de WILHELM REICH. Nos estágios iniciais estes tipo [envolvidos] de controle mental sodômico que foi praticado por certas ordens AHRIMANICAS e Luciferianas de monges tibetanos que eram visitados por estas numerosas expedições etnográficas nos anos 20 e 30, e todo este conhecimento secreto foi mais tarde levado para a Alemanha.
Produzimos um fascinante tape aqui com AL BIELEK e T. JOHNSON de Las Vegas sobre as conexões mágico-ocultas do TERCEIRO REICH, e chamamos a fita ' SHAMANISMO OCULTO NACIONAL ' em analogia ao 'Nacional Socialismo', uma fita fascinante que basicamente reúne mais ou menos 12 livros extremamente raros sobre conexões ocultas do TERCEIRO REICH, a relação com satanismo, feitiçaria, e todos os tipos de aberrações impronunciáveis, inclusive aberrações sexuais... os alemães estiveram em contato com mais ou menos meia dúzia de raças malevolentes nestas grandes instituições subterrâneas, algumas destas bases subterrâneas chegando a Ter 2 km de comprimento e 1 km de largura. Eu encontrei desenhos de sistemas de túneis com estas bases em lugares incríveis... inclusive nos relatos de subterrâneos do AMERICAN BOMBING SURVEY - grandes estabelecimentos industriais sob as montanhas da Alemanha... a base é que pelo tempo em que a guerra terminou os alemães estavam fortemente fazendo todas estas partes mais importantes das tecnologias secretas dos ILLUMINATI em nosso planeta... (Seriam as Pesquisas e Desenvolvimento dos militares nazistas um braço do BAVÁRIAN ILLUMINATI? - BRANTON) As tecnologias de controle mental, uma dúzia completa de controle mental... eu quero dizer que temos uma fita aqui sobre o controle mental que estava acontecendo nas bases da Alemanha. Mas a coisa mais importante das pesquisas deles era a engenharia genética.... como um produtor de cinema muito conhecido na Califórnia, que produziu um dos melhores documentários UFO que ganhou inclusive um grande prêmio, mencionou para mim em uma conversa privada que quando estava realizando pesquisas para o filme ele viu um documentário em um arquivo militar-governo, um filme documentário mudo sobre aterradores e terriveis experimentos genéticos em seres humanos vivos, onde se cortavam cabeças e partes e as remontavam em outros corpos - todos estes experimentos FRANKENSTEINIANOS faziam parte do programa genético alemão... e finalmente o filme culminava com seres híbridos de humanos com animais, vivos, andando e respirando, que eram produzidos nos campos de concentração alemães há meio século atrás. O microscópio REIFE [spl?], o microscópio real REIFE que se falou ser um microscópio de onda escalar de TESLA que tem um poder de resolução extremamente alto e pode ver muitos níveis de complexidade além do nível hierárquico da célula, foi provavelmente a chave mágica para o reino do genoma genético, e este microscópio foi descoberto em Berlim nos anos 20 e provavelmente foi ele que deu a chave do genoma genético para os alemães. Um grande projeto de 10 bilhões de dólares para genoma humano está justamente agora começando e drenando dólares do orçamento por meio do Dep. de Energia aqui, e nada mais é do que uma cortina de fumaça para o mistério real do genoma humano meio século anteriormente feito pelos ILLUMINATI que estão fazendo modelos computadorizados de clones e seres humanos e todas as matérias correlatas nos laboratórios subterrâneos.. (Nota: Os cultistas Bavarianos os aliens Grey tem sido observados trabalhando juntos na produção dos chamados híbridos dentro das facilidades operacionais conjuntas em laboratórios subterrâneos. A maioria dos hu-brids [híbridos de humanos] que nascem com um DNA modificado de reptilianos ou o DNA de outros animais são serventes involuntários dos coletivistas draconianos por nascimento. Algumas destas ''pessoas'' tem escapado da dominação do coletivo e se tem unido as forças da Federação, que são mais amigáveis, ou tem sido resgatados por estas mesmas forças das bases capturadas ou de naves, segundo o contatado ALEX COLLIER, e outros. - BRANTON) S.R. - Hmm. V.T. - Eu tenho pego filmes muito sérios, não somente filmes como 'BOYS FROM BRAZIL' sobre os experimentos secretos na educação de crianças abduzidas... o governo secreto tem sido o maior consumidor de crianças abduzidas neste país, e eu chamei apenas este número da Caixa de Leite 1-800, onde há um rumor de 400.000 CRIANÇAS desaparecidas a cada ano, perto de meio milhão a cada ano. Eu penso, ''perto de 20 a 30 mil crianças, se possível''... E a mulher me disse, ''nós não temos estatísticas''. Bem, então vocês tem algum artigo de jornal, qualquer coisa? E ela repetiu; ''nós não temos absolutamente nada disto''. E daí eu fiquei com mais suspeitas. Finalmente, ela fez uma ''educada suposição'', estando trabalhando a mais de 5 anos neste sistema... Ela disse, mais ou menos 200.000 crianças por ano, mais ou menos''. Dentro de cinco minutos... a pesquisa que eu fiz, eu obtive a metade das estatísticas mais desenfreadas que eu tinha ouvido, daquela de quase meio milhão anual. A maioria delas desaparece nos subterrâneos NEW WORLD ORDER... S.R. - VLADIMIR TERZISKI. Ele é um pesquisador UFO. Ele, com AL BIELEK fundaram a 'Academia Americana de Cientistas Dissidentes'. [SAM RUSSELL dá uma parada neste ponto. A pergunta é a respeito da base profissional de VLADIMIR] V.T. - Bem, eu estudei Física e engenharia na Universidade de TOKAI em Tóquio, tenho o grau de bacharel em Física e um mestrado em Engenharia Eletrônica. Trabalhei quatro anos no Instituto de Pesquisa de Energia Solar para a Academia de Ciência da Bulgária antes de imigrar para os EUA. Estudei Sociologia 3,5 a 4 anos na Universidade do Arizona e na UCLA, e estou lentamente concluindo este grau adicional por estes dias... S.R. - ...Bem, O.K., vamos então retomar o assunto que interrompemos. Isto tem muito a ver com clonagem genética e assim por diante. V.T. - Tenho dois temas mais, basicamente temas muito importantes para concluir e então podemos ir para as discussões gerais. Todo este esforço desta pesquisa genética no planeta não é uma idéia de uns poucos cientistas FRANKEINSTEINIANOS enlouquecidos aqui e lá nas bases subterrâneas, nem é uma louca idéias do governo secreto ou mesmo dos altos níveis das raças alienígenas que estão nos usando como cobaias convenientes... isto é de uma agenda de um nível muito maior que o meu sentimento indica... basicamente a presença de ''anjos caídos'' em nosso planeta comandando esta ''conspiração''... provavelmente 90% das raças alienígenas que visitam nosso planeta, a maioria delas, tem estado aqui sub contratadas por um determinado ramo de ''gerenciamento celestial'' cujo maior ponto de sua agenda é... no alto de seu avançado sistema de transporte estelar e de comunicação - a criação da vida [ ou mais apropriadamente a RECRIAÇÃO ou reorganização do material biológico existente, já que seres criados ''em pé'' ou caídos, podem somente REESTRUTURAR aquilo que já fora anteriormente criado. - BRANTON), e com certeza o controle mental. Estes tem sido os quatro pontos mais importantes na agenda deles. Assim, a criação de todos estes monstros FRANKEINSTEINIANOS não é uma aberração de uma mente doente ou provavelmente uma produção latente de um filme satanista. Não é uma vontade de alguns Financiadores destes projetos... é realmente uma saga incrível em um nível universal ou galáctico... estas hierarquias que estão tentando superar e impor umas as outras e tentando provar para provavelmente níveis mais altos de corpos celestiais supervisores que eles podem fazer um gerenciamento melhor e uma melhor ''criação'' disto e inclusive dos seres viventes. Assim, ponho toda a criação de vida artificial, dos puros robôs mecânicos criados pelos químicos ILLUMINATI [alquimistas] nos séculos medievais até a conglomeração FRANKEINSTEINIANA de seres humanos de... partes de corpos humanos no século XIX, e as primeiras criações de clones primitivos no início do século XX por meio dos experimentos limitados de hibridização entre humanos e animais que estavam acontecendo nos campos de concentração alemães, durante a guerra.
E... o maior esforço com que se deparava a hierarquia da Alemanha era a criação da ''Raça Senhora", a ''Raça dos Super Homens". E o que eles fizeram em escala menor nos campos de concentração, mais tarde, no final dos anos 40 e no início dos anos 50, ele o fizeram em escala dez vezes maior em sua colônia no Pólo Sul. Há rumores que nestes dias há uma cidade chamada NEW BERLIN, uma grande cidade subterrâneas que fica sob o Pólo Sul, sul da África do Sul na terra de Queen Maud ... sob jurisdição da ALEMANHA, sob nomenclatura alemã. Aproximadamente 2.000.000 de fortes colonos que se engajam primariamente em viagem espacial e em engenharia genética humana. E basicamente, uma análise muito cuidadosa da tecnologia alemã - e eu repito que não sou um fanático religioso, e entrei nestas teorias de conspiração somente por causa da necessidade de entender este assunto de anti-gravidade que tanto me despertava interesse. Sou primeiramente um físico e um engenheiro, assim, sou fascinado muito mais por uma explicação de física do Universo Local ou pelo sistema de gerenciamento de energia do que, podemos dizer, sobre as estruturas ''gerenciadoras'' de anjos e ''anjos caídos'' em relação ao nosso planeta - mas rasteando as tecnologias, tenho que ver este grande quebra cabeça, este grande quebra-cabeças universal e galáctico como um todo... S.R. - ...Nosso tempo está encerrando. VLADIMIR, temos algumas perguntas a respeito, feitas fora do ar, que você pode Ter disponível para enviar as pessoas por escrito ou por meio eletrônico. V.T. - Tenho uma lista de vídeo de provavelmente 50 publicações, vídeos, áudios, livretos, artigos e assim por diante. Qualquer pessoa interessada pode nos telefonar para [310] 473-9717. Brevemente estarão também em livrarias em SALT LAKE CITY, porque eu enviei muito material que foi exibido em uma mostra preparatória. S.R. - Paramos por aqui, VLADIMIR eu apreciei muito sua vinda, sei que o tempo foi muito curto e eu o apreciei muito. Foi uma hora fascinante para mim, e espero que para nossos ouvintes também e desejo Ter você aqui outra vez. V.T. - Sam, foi para mim o maior prazer. Repito novamente, esta foi somente uma ''pequena revelação'' do trabalho deste lado escuro... não se deve ser pessimista, ao contrário, mas apenas trazendo à luz sobre estes pavorosos objetivos dos Illuminati, e sobre tudo o que é necessário ser feito para eles começarem a derreter como neve velha sob os quentes raios de verão... Com a fundação previamente estabelecida, sinto que este seria um lugar apropriado para incluir a informação seguinte que tem dado voltas nos newsgroups eletrônicos: De: dona@bilver.uucp (DON ALLEN) Newsgroups: alt.alien.visitors,alt.conspiracy,alt.activism,sci.skeptic,misc. headlines, alt.politics.bush Assunto : UFO "OCTOBER SURPRISE" e a Tomada dos EUA?! Message-ID: <1992jul31.011541.6582@bilver.uucp>