Google+ Badge

domingo, 27 de janeiro de 2008

DOCUMENTOS SECRETOS DA KGB (TUNGUSKA) E AS EXPEDIÇÕES SUBTERRÂNEAS ( Associação de Biolocação de Vladimir Khlopkov )













ATENÇÃO NOVO METEORITO CAIU NA RUSSIA VEJAM OS VÍDEOS








AVIÃO RUSSO FILMOU OVNI 

AVIÃO NORTE AMERICANO FILMOU OVNI
AVIÃO NORTE AMERICANO FILMA OVNI (OBJETO CILÍNDRICO)


A obscuridade profunda da Terra esconde muitos segredos que os seres humanos nunca saberão. Você acredita na existência dos seres que vivem profundamente sob a superfície? O diretor do centro de UFO em Tashkent, Uzbekistan, Sergey Azadov nunca acreditou que tais seres existiram realmente antes que alguém lhe deu uma foto onde um ser impetuoso que apareceu na da superfície. Isso aconteceu em Uzbekistan quando era parte da União Soviética. Uma perfuração em uma prospecção de petroleo causou um fogo no deserto. O Exército foi chamado - vieram imediatamente extinguir o fogo. Uma coluna do fogo estourou para fora do furo com um rugido e manteve as pessoas longe dela. De repente, um rugido de lamento foi ouvido por um instante. Quando o rugido se extinguiu, as forças armadas e os trabalhadores da perfuração permaneceram perto do furo e ouviram o lamento e o grito da pessoa que vinha sob da superfície. Então as pessoas viram um ser cambaleante impetuoso saltar de sob a superfície com seus braços dobrados. E o ser podia ser visto perfeitamente bem na foto que o ufologista Uzbek obteve mais tarde. Não foi a primeira vez que os geólogos ouviram pessoas se mexendo em algum lugar profundo em perfurações de petroleo. Na Sibéria, os gemidos humanos ouvidos de um furo profundo super perfurado em um platô entre os mares Aral e Caspian foram gravados e enviados à Academia Sovietica de Ciências para uns estudos mais adicionais. Mas os investigadores não examina fenômenos seriamente, e o registro foi perdido. Quase todas as religiões do planeta dizem que há algum reino subterrâneo. E desse, cada religião tem sua descrição peculiar do reino. Alguns elementos das descrições entretanto são típicos de todas as religiões. Primeiramente de tudo, a população do reino subterrâneo consiste nos “Mestres do Mundo” a nas pessoas humanas que foram para lá após sua morte. Em segundo, as pessoas habitam sob a superfície ao abrigo das sombras, das almas e de outras formas de energia hoje sabidas. Em terceiro lugar, os “Mestres do Mundo” às vezes detém a informação original das almas do passado e as nivelam aproximadamente com o futuro. Para obter esta informação uma pessoa tem que enviar sua alma ao reino subterrâneo, como fazem os Shamans siberianos, para ajudar às sombras tornar-se visíveis e audíveis por algum tempo.
Na Grécia antiga haviam uns rituais especiais que envolviam o uso obrigatório do sangue. Os peritos esotéricos indicam que os rituals sangrentos eram os primeiros contatos toda com a saturação energética e informativa original do sangue. As tentativas de obter a informação possuída pelos “Mestres do Mundo” subterrâneo foram feitas em todss as épocas e também no tempo moderno. O investigador russo Nikolay Rerich foi o primeiro a organizar uma expedição à área legendária de Shambalah habitada pelos “Mestres do Mundo” e escondida dos olhos das pessoas sob as montanhas Himalayas. Conduziu com sucesso a expedição e trouxe uma mensagem dos “Mestres do Mundo”, especialmente para o governo soviético.
Gleb Bokiy do Comissariado de Casos Internos de Pessoas (antes a Comissão Extraordinária Russa) planejou também uma expedição ao Shambalah misterioso. A preparação foi controlada pelo Commissario Felix Dzerzhinsky, quando o último financiamento do projeto foi extinto. Sabe-se que Waffen SS da Alemanha do terceiro Reich organizou também expedições a Shambala. A estrutura e os objetivos da organização assemelharam-se àquelas das Ordens Misticas que existiram na Alemanha entes da Segunda Guerra. A organização, seguindo as ordens recebidas, quis manter em segredo que as criaturas com poder superhumano existiriam profundamente abaixo da superfície. A meditação e a auto-disciplina foram empregados para ganhar o poder sobre os fenômenos naturais e para alcançar o nível dos Deuses. Quando Adolph Hitler, que alguns investigadores acreditam teria potencialidades extrasensoriais, chegou ao poder e sustentou a idéia de uma Terra oca e fê-la mesmo oficial. O investigador russo da mágica oculta da Alemanha nazista Sergey Zubkov indica que a apuração da raça no terceiro Reich e a organização de sociedades secretas estiveram prontas para ajudar aos misteriosos “Mestres do Mundo” a sair para a superfície para a participação ativa no reorganização do mundo. Os SS tiveram mesmo uma estrutura especial para coletar a informação mística das sociedades secretas que naquele tempo existiam na Alemanha e empregar a informação para pesquisas visando criar uma arma mística para a solução de problemas da guerra. Esta Organização enviou expedições a Tibet e aos Himalayas. A primeira expedição que procurara por Shambala começou em 1931. A expedição não descobriu a maneira de entrar no mundo subterrâneo mas trouxe lotes de manuscritos tibetanos, para a Alemanha, que provaram que os misteriosos “Mestres do Mundo” existiriam realmente sob a superfície. Mais tarde, a Organização emitiu ainda mais expedições à área. Quem seriam as criaturas misteriosas estão vivendo sob a superfície e de onde poderiam elas vir? O presidente e coordenador da Associação de Biolocação do Vladimir Khlopkov está absolutamente certo que alguns seres sensíveis vivem abaixo a superfície. Há dez anos , ocorreu algum tipo de tempestade no interior do Planeta. Os operadores mais experientes da Associação usaram equipamentos do biolocação e encontraram os traços de intelectos abaixo a superfície. Os investigadores disseram que encontraram os traços de inteligência a uma profundidade de 200 km abaixo da superfície. Khlopkov explicou era uma inteligência forte mas estrangeira aos seres humanos e ao Planeta. Está comprovado que os corpos albuminosos não podem sobreviver sob a pressão enorme das rochas e as terríveis altas temperaturas abaixo da superfície. É altamente provável que a “inteligência” descoberta está concentrada em alguns conjuntos informativos e de energia. Mais tarde, Vladimir Khlopkov descobriu diversos lugares nos subterrâneos do planeta aonde a “inteligência” saiu provavelmente à superfície. Uma das áreas encontra-se perto da cidade de Zelenograd, muito perto de Moscow. Os operadores de Biolocation constataram, através das formações estranhas feitas no local durante os testes no solo e no chamado indício de “traços da aterragem do UFO”. Quando estudados mais detalhadamente os traços revelaram a coincidência do local com uma ruptura profunda que os geofísicos também descobriram lá. Os operadores de cada noite observaram um rastreamento biológico estranho no campo para fora da ruptura e do movimento em uma velocidade de 90 cm por o segundo em direção a cidade de Zelenograd. Pouco por pouco o campo energético cobriu toda a cidade. Em alguma hora, o campo começou a retirar-se para trás na mesma velocidade à ruptura profunda. O ciclo inteiro teve a duração de aproximadamente 3.5 horas. Khlopkov disse que o campo lia a informação na memória das pessoas. Na república Russian de Khakassia, há a caverna de Kashkulakskaya, o nome significa “a Caverna do Diabo Preto”, nas montanhas de Kuznetsky Alatau. Por muitos anos, os investigadores do Instituto de Novosibirsk de Medicina Clínica e Experimental da Academia Russa de Ciências Médicas vieram regularmente ao lugar estudar os fenômenos estranhos que ocorreram quando se permanecia na caverna durante um longo período do tempo. Os visitantes da caverna estavam apavorados com um horror que lhes fêz arremetidas quando saíram de lá. Aquelas pessoas tiveram alucinações óticas, que foram vistas por todas as pessoas: viram um homem idoso sair por um tampão e com seus olhos que brilhavam. Os investigadores instalaram magnetômetros de alta precisão e outros dispositivos exteriores e internos da caverna; compararam as indicações dos dispositivos com as emoções experimentadas por povos na caverna. Ocorreu que ocorreram estouros de um campo magnético mais elevado, registrado com os dispositivos, coincidiram com os momentos em que as pessoas sentiram nervosas. Naquela ocasião, os dispositivos instalados fora da caverna não registaram nenhuma mudança naquele tempo, quando havia uma tempestade magnética dentro da caverna. Alguns investigadores que participam na experiência observaram que algo surgiu através de algum tipo de uma balizamento na escala de radio difusão, que completou com um programa estranho emitindo sinais verticalmente para cima acima, para a direita no cosmos. Pode ser de modo que as criaturas misteriosas que abaixo da superfície venham do espaço e usem os sinais para uma comunicação com outros seres que permaneceram lá em seu mundo.


Rio subterrâneo de 6 mil km embaixo do Rio Amazonas



Pesquisadores do Observatório Nacional (ON) encontraram evidências de um rio subterrâneo de 6 mil quilômetros de extensão que corre embaixo do Rio Amazonas a uma profundidade de 4 mil metros. Os dois cursos d"água têm o mesmo sentido de fluxo - de oeste para leste -, mas se comportam de forma diferente.
A descoberta foi possível graças aos dados de temperatura de 241 poços profundos perfurados pela Petrobrás nas décadas de 1970 e 1980, na região amazônica. A estatal procurava petróleo.
Fluidos que se movimentam por meios porosos - como a água que corre por dentro dossedimentos sob a Bacia Amazônica - costumam produzir sutis variações de temperatura.
Com a informação térmica fornecida pela Petrobrás, os cientistas Valiya Hamza, da Coordenação de Geofísica do Observatório Nacional, e a professora Elizabeth Tavares Pimentel, da Universidade Federal do Amazonas, identificaram a movimentação de águas subterrâneas em profundidades de até 4 mil metros.
O dados do doutorado de Elizabeth, sob orientação de Hamza, foram apresentados na semana passada no 12.º Congresso Internacional da Sociedade Brasileira de Geofísica, no Rio.
Em homenagem ao orientador, um pesquisador indiano que vive no Brasil desde 1974, os cientistas batizaram o fluxo subterrâneo de Rio Hamza.
Características. A vazão média do Rio Amazonas é estimada em 133 mil metros cúbicos de água por segundo (m3/s). O fluxo subterrâneo contém apenas 2% desse volume com uma vazão de 3 mil m3/s - maior que a do Rio São Francisco, que corta Minas e o Nordeste e beneficia 13 milhões de pessoas, de 2,7 mil m3/s. Para se ter uma ideia da força do Hamza, quando a calha do Rio Tietê, em São Paulo, está cheia, a vazão alcança pouco mais de 1 mil m3/s.
As diferenças entre o Amazonas e o Hamza também são significativas quando se compara a largura e a velocidade do curso d"água dos dois rios. Enquanto as margens do Amazonas distam de 1 a 100 quilômetros, a largura do rio subterrâneo varia de 200 a 400 quilômetros. Por outro lado, a s águas do Amazonas correm de 0,1 a 2 metros por segundo, dependendo do local. Embaixo da terra, a velocidade é muito menor: de 10 a 100 metros por ano (mais informações nesta página).
Há uma explicação simples para a lentidão subterrânea. Na superfície, a água movimenta-se sobre a calha do rio, como um líquido que escorre sobre a superfície. Nas profundezas, não há um túnel por onde a água possa correr. Ela vence pouco a pouco a resistência de sedimentos que atuam como uma gigantesca esponja: o líquido caminha pelos poros da rocha rumo ao mar.
Temperatura. Hamza e Elizabeth apontam a existência do que os pesquisadores chamam de "dois grandes sistemas de descargas de fluidos na Amazônia": o Rio Amazonas, com seus 6.100 km de extensão, e o fluxo oculto das águas subterrâneas.
Segundo os dados apresentados por Elizabeth, o fluxo subterrâneo é praticamente vertical - de cima para baixo - nos primeiros 2 mil metros. Depois, nas camadas mais profundas, muda de direção, tornando-se quase horizontal. Depois de atravessar as bacias do Solimões, Amazonas e Marajó, o rio alcança o fundo do mar, perto da foz do Amazonas.
Hamza argumenta que as descargas do fluxo subterrâneo de água doce poderiam explicar os bolsões de baixa salinidade comuns no litoral da região.
O geólogo Olivar Lima, da Universidade Federal da Bahia, assistiu à apresentação dotrabalho e, na ocasião, mostrou aos autores mais dados, obtidos em outros poços perfurados pela Petrobrás na foz do Amazonas, que confirmam as conclusões do estudo. Porém, acha um exagero classificar a descoberta como um rio.
"Os resultados são muito bons", afirma Lima. "Só não acho correto propor a existência de um rio subterrâneo." Ele argumenta que os dados permitem afirmar a existência de um imenso fluxo de água através das formações permeáveis da Bacia Amazônica. Mas a velocidade seria muito baixa para justificar a categoria de rio.
Contudo, se por um lado a velocidade não se compara à de um rio convencional, o volume de água assume ordens de grandeza que tornariam compreensível tal comparação, reconhece o pesquisador.
A descoberta, por enquanto, não mudará a vida das populações que habitam a Bacia Amazônica. Como o rio está a uma profundidade muito grande e há muita água doce na superfície, não seria economicamente razoável perfurar a terra para acessar o curso d"água. O estudo pode ajudar, no entanto, a prospecção de petróleo.
PARA LEMBRARHá dois anos, cientistas italianos descobriram um rio subterrâneo que corre embaixo de Roma, mais extenso que o Tibre - o terceiro maior da Itália, com 392 quilômetros. Assim como o brasileiro, o rio subterrâneo italiano foi encontrado graças a dados de perfuração de poços.
No Brasil, outra reserva de água subterrânea é o Aquífero Guarani, com 45 milhões de litros. A maior parte fica no Brasil, mas ele também se estende no Paraguai, Uruguai e Argentina. 

FONTE DE PESQUISA
Jornal Pravda 
Alexandre Gonçalves - O Estado de S.Paulo

5 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Olá Rodrigo!
    Muito bem montado seu blog!
    Parabéns!
    bjs e sucesso!
    Angel

    ResponderExcluir
  3. vc é uma pessoa incrível, parece que sejas um enviado das estrelas, com a missão de mostrar a verdade

    ResponderExcluir
  4. Muito bom isso...Parabens Rodrigo. Teu esforço é grandioso !!

    ResponderExcluir
  5. Grande materia essa,mais uma vez Parabens Rodrigo... (Afonso Ferreira)

    ResponderExcluir

COMENTE AQUI