Google+ Badge

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

A FUNÇÃO DAS PIRÂMIDES E O FAROL DE ALEXANDRIA








A mais antiga data para a construção da grande Pirâmide de Quéops, foi apresentada pelo escritor árabe Abu Zayd el Balkhy. Baseado em antigas inscrições, diz que a pirâmide foi construída no tempo em que a Lira encontrava-se na constelação de Câncer, ou seja, há 73.000 a.C. Existe uma teoria que diz que as pedras teriam sido cortadas por algum instrumento tipo raio laser...essa teoria explicaria as marcas de serra nos blocos encontrados, pois o laser poderia facilmente produzir marcas semelhantes. a intensão dos construtores de perpetuar um conhecimento tecnológico milenar assombroso, que só conseguimos entender se admitirmos a passagem de seres extraterrestres ou de civilizações mais antigas e avançadas sobre a Terra". A função geradora de radiação energética da Pirâmide tem uma hipótese bastante plausível: foi detectada a penetração dessa radiação a 20 quilômetros de profundidade sob sua base, e é possível que a radiação superior do ápice se prolongue até os confins da via-láctea, visível aos instrumentos óticos especiais, desconhecidos por nós. Seria mesmo um mero acaso que a altura da Pirâmide de Quéops, multiplicada por um bilhão, corresponda aproximadamente à distância Terra-Sol? Isto é, a 149.450.000 Km? É um acaso, que um meridiano que passe pelo centro da pirâmide divide continentes e oceanos em duas metades exatamente iguais? É um acaso, que a circunferência da pirâmide, dividida pelo dobro de sua altura, tenha como resultado o famoso número de Ludof, Pi=3,1416? É acaso, que forneça cálculos sobre o peso da Terra, e é também acaso que o solo rochoso sobre o qual se levanta a construção esteja cuidadosa e exatamente nivelado? As fases da pirâmide estão posicionadas para os quatro pontos cardiais com uma incrível precisão, apresentando somente 0,015% de margem de erro.

Atuamente, para se conseguir está precisão são necessários um teodolito de laser, um mapa dentro dos dez metros de precisão, engenheiros, astrônomos e mestres de obras. Os construtores das pirâmides, segundo Bauval e Hancock, construíram a Grande Pirâmide intencionalmente de forma que seus canais interiores ficassem alinhados com algumas estrelas. São as pirâmides de Queóps, Quéfren e Miquerinos. Porém esses nomes são em grego. Em egípcio antigo, são Khufu, Khafre e Menkaure. Há relatos que o topo da pirâmide de Khufu era revestido de ouro puro. Infelizmente, o calcário e o ouro foram roubados com a invasão dos árabes, em aproximadamente 550 d.C (depois de Cristo). * As três pirâmides estão conectadas com a constelação de Órion (Três Marias) numa precisão incrivel.
* Cada lado da pirâmide aponta EXATAMENTE para Norte, Sul, Leste e Oeste. Nem o observátorio astronômico deParis tem uma precisão de pontos cardeais como as pirâmides. 





A Grande Pirâmide oculta em seu seio um conjunto de informações que só muito recentemente foram descobertas. A unidade utilizada na sua construção – polegada da pirâmide – era a mesma unidade de medida utilizada pelos hebreus. Hoje, sabe–se que se forem somados os comprimentos dos quatro lados do quadrado sobre o qual repousa a Grande Pirâmide, acha–se um perímetro total de 36.524 (trinta e seis mil quinhentas e vinte e quatro) polegadas, que equivale a 100 (cem) vezes a extensão do ano solar, ou seja, 365,24 dias. Segundo Harvey S. Lewis – e fica evidente – a Grande Pirâmide não é apenas simbólica em suas medidas. Ela, em realidade, revela um conhecimento específico e universal que era trabalhado nos antigos Centros Iniciáticos, no qual o NÚMERO era a chave secreta e que só paulatinamente era desvelada. Número é ordem, e no Universo tudo é ordem. Por isso, das reflexões de Pitágoras e de Platão, por exemplo, pode–se inferir uma dupla igualdade:



UNIVERSO = KÓSMOS = ORDEM



Voltando à Grande Pirâmide, a medição da altura (incluindo o ápice primitivamente existente) dá como valor 5.813 (cinco mil oitocentas e treze) polegadas do vértice à base, que equivale ao raio do círculo do ciclo solar. O interior da Pirâmide, tanto quanto seu exterior, revela profeticamente, através de suas dimensões, cruzamento de linhas, interseção de corredores etc. acontecimentos notáveis da história da Humanidade. Alguns desses instantes históricos, determinados pelas pesquisas de diversos cientistas, dentre os quais sobressai o próprio Harvey Spencer Lewis, têm sido objeto de exaustivas investigações e comparações com outras fontes semelhantes encontradas em diversos pontos do Planeta. A tabulação de diversas medidas da Grande Pirâmide e de outros monumentos tem sistematicamente ensinado aos pesquisadores interessados neste tema, que os números (aritmética e geometria) sempre foram utilizados no passado pelas antigas escolas de mistério para os mais variados fins, inclusive para alertar e preparar a Humanidade para eventos que sempre puderam ser previstos e MODIFICADOS. O cumprimento das previsões feitas no passado pelos mais variados instrumentos, só demonstra que a vaidade e a ignorância têm presidido sistematicamente as ações do ser humano. O conhecimento que hoje está acumulado sobre tais assuntos imporá, brevemente, como que em uma espiral ascendente, uma revisitação do pensamento antigo, seja o já conhecido e divulgado, seja aquele que já está sendo desvelado, e o que está próximo a ser oferecido para exame das diversas academias. Este milênio já tem à sua disposição o maior Portal Rosacruz do Planeta, cujo endereço é:


http://www.svmmvmbonvm.org 

3 comentários:

  1. A ponta de uma pirâmide tem o efeito semelhante ao de um instrumento pérfuro-cortante, por exemplo, para-raios, espinho, machado, navio, ogiva, etc, mas, também como diodo de cristal, em eletrônica tendo todos estes elementos características dinâmicas: eletrodinâmicas, aerodinâmicas, hidrodinãmicas, "madeirodinâmicas", etc.; de qualquer forma, ou se desloca no meio ambiente (ex:navio em movimento) ou o ambiente se desloca perante a si( navio parado num rio, ou diodo conduzindo corrente elétrica);
    em http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=8458180 temos que um triângulo pode ser obtido ao unirmos área horizontal com área vertical e, também concluimos que as massas das bases de uma pirâmide pode ser a associação das massas de níveis superiores;
    desta forma existe uma equivalência de impedâncias nessas densidades, daí o motivo pelo qual um para-raios (os quais trabalham initerruptamente) obrigar a uma corrente em sua direção, como um diodo, ou tal como um espinho perfurando bolas de sabão, mas, sem existir uma "força de atração".

    ResponderExcluir
  2. qual é a principal função da pirâmide?

    ResponderExcluir
  3. catalizar e/ou emitir.

    ResponderExcluir

COMENTE AQUI