Google+ Badge

domingo, 27 de janeiro de 2008

AS PIRÂMIDES DE MARTE E DA TERRA "O VALE DE CYDONIA" VEGETAÇÃO EM MARTE






































VEGETAÇÃO EM MARTE 

VEGETAÇÃO EM MARTE 
























OS CANAIS MARCIANOS  














PHOBOS E DEIMOS


Em 1854, William Whewell, um  membro da universidade de Trinity College, Cambridge, quem popularizou a palavra cientista,[2] teorizou que Marte tinha mares, terras e possíveis formas de vida. Especulações sobre vida em Marte eclodiram ao final do século 19, devido às observações telescópicas feitas por alguns observadores que aparentemente notavam a existência de canais—., em 1895 o astrônomo australiano Percival Lowell publicou seu livro "Marte", seguido por "Marte e seus canais" em1906,[3] propondo que os canais eram obra de alguma civilização avançada extinta havia muito tempo. 
As calotas polares de Marte foram observadas ainda na metade do século 17. Pelas observações deWilliam Herschel ao final do século 18, ficou provado que cresciam e encolhiam alternadamente, no verão e inverno de cada hemisfério. Na metade do século 19, os astrônomos já concebiam algumas similaridades de Marte com a Terra, por exemplo, a duração do dia era bem próxima à da Terra. Também já tinham consciência de que a inclinação axial também era similar à da Terra; o que significava que Marte tinha estações da mesma forma que a Terra - entretanto com quase o dobro de duração, devido ao seu ano bem mais extenso. Tais observações levaram ao aumento de especulações de que as discrepâncias de albedo poderiam indicar que onde o albedo era mais escuro, seria a área de existência de água, nos mais claros terra. Portanto era Natural supor que Marte teria condições de abrigar alguma forma de vida.
1.      FONTES DE PESQUISA:  Ana Luiza Barbosa de Oliveira. Os canais de Marte. Projeto Ockham. Página visitada em 21 de Dezembro de 2007.


PHOBOS E DEIMOS

As duas luas de Marte, Phobos (medo) e Deimos (terror) foram observadas pela primeira vez pelo astrônomo norte-americano Asaph Hali, em 1877. Os pequeninos corpos até hoje intrigam os astrônomos e cientistas por possuírem uma peculiaridade: giram em tomo de Marte em uma órbita quase circular em volta do planeta. E um fato tão raro que, dentre os satélites do Sistema Solar, apenas estes gravitam em torno de seu planeta desta forma. Ha décadas, cientistas de renome debatiam sobre como as duas luas teriam se formado. A hipótese mais Surpreendente partiu do astrofisico soviético 1. S. Shklovsk que anunciou que Phobos seria uma lua artificial lançada por uma extinta civilização marciana. Obviamente, tal fato jamais pôde ser comprovado, mas ganhou ao longo dos anos alguns adeptos, entre eles o doutor R. W SharpIes, um cientista norte-americano que realizou uma série de observações das duas luas. Segundo Sharples, Phobos não ocupava a órbita teoricamente esperada para uma lua do seu tamanho gravitando um planeta como Marte. Inclusive, detectou que em algumas dezenas de anos, Phobos teria avançado órbita adentro cerca de 2,5 graus, sendo este fato inédito e inexplicável atualmente pela mecânica celeste. Aparentemente, o movimento executado pela lua marciana é o mesmo que ocorre entre os satélites fabricados pelo homem, pois a atração gravitacional do planeta faz com que estes artefatos se aproximem demais da atmosfera, fazendo- os perderem velocidade e correrem o risco de literalmente despencar dos céus em altíssima velocidade, caso suas órbitas não sejam corrigidas de tempos em tempos. "Teoria fantasiosa" Embora fantasiosa, a hipótese levantada por Shklovsky e defendida por Sharples ainda hoje encontra admiradores por todo o mundo. Na mesma época da publicação destes estudos, outros astrônomos e intelectuais soviéticos apoiaram o ponto de vista de Shklovsky, com a ressalva de que tais luas teriam sido “lançadas” pelos habitantes de Marte mais ou menos entre 1680 e 1870, pois somente em 1877 elas tinham sido descobertas. Vale lembrar que mesmo naquela época já se dispunham de meios tecnológicos suficientes para uma observação detalhada das órbitas planetárias e as luas nunca haviam sido detectadas. Ainda que seja - grande a especulação formada em torno das origens destes dois corpúsculos planetários, é quase certa que ela não está ligada ao choque de um asteróide na superfície de Marte. Isso foi revelado depois de terminadas as análises que detectaram uma diferença muito grande na composição química das superfícies de ambos os corpos. A tese mais aceita hoje em dia é que eram corpos celestes errantes, formados numa região exterior ao cinturão de asteróides, numa área entre Marte e Júpiter, que por alguma perturbação ainda não estudada entraram em rota de colisão com Marte. Porém, em vez de se chocarem, as luas teriam sido presas em sua órbita. O ponto em comum entre os cientistas é que, por diferirem demais de todos os corpos já estudados do Sistema Solar, Phobos e Deimos podem ter sido formados em uma época bem distinta em relação às outras luas e planetas. Por exemplo, estes são os corpos mais escuros do Sistema Solar, pois não refletem mais do que cinco por cento de toda a luz recebida do Sol. Outra situação estranha foi a ocorrida em meados de 1988, quando a sonda soviética Phobos 2 bombardearia com raios laser a superfície das luas para a captação de dados sobre a existência de substâncias como água ou carbono, elementos geradores de vida orgânica. Estranhamente, após algumas interferências em suas atividades, a sonda desapareceu sem deixar vestígios.
Outro fato curioso vem da literatura. Em seu livro As Aventuras de Guiliver, o autor jonathan Swift narra as aventuras do herói Lemuel Gulliver, que o levaria à ilha de Lilliput, onde “astrônomos locais” haviam descoberto a existência de duas luas em órbita de Marte, cuja rotação em torno do planeta era de lO horas para a primeira e de 21 horas e 30 minutos para a segunda. Até que relativamente imprecisas em relação ao que já se sabe — 7h39 para Phobos e 30h14 para Deimos. Mas o que mais surpreende é o fato dessas aventuras terem sido escritas em 1720, ou seja, cerca de 157 anos antes da descoberta efetiva dos satélites pelos astrônomos terrestres.
1.      FONTES DE PESQUISA:  Ana Luiza Barbosa de Oliveira. Os canais de Marte. Projeto Ockham. Página visitada em 21 de Dezembro de 2007.
FONTE:INTERNET TRECHO DA REVISTA UFO N 126



O Conflito Siriano-Oriônico

Milhões e milhões de pessoas que lutaram e morreram durante a última guerra mundial, morreram sem nunca ter compreendido por que lutaram ou por que morreram! As mais profundas verdades da Segunda Guerra Mundial, os Illuminati as esconderam nos arquivos secretos porque eram por demais incríveis para a compreensão das massas. A maioria dos historiadores que desvendaram o que aconteceu durante a Segunda Guerra Global nunca revelaram a alguém o que tinha realmente acontecido. Ainda que uns poucos historiadores tenham tido um vislumbre dessa incrível verdade…, ela era tão surpreendente que eles nunca escreveram sobre isso, porque nem mesmo eles a compreenderam. Outros que se depararam com certas revelações incríveis tiveram medo de as revelar, alguns temendo que os leitores nunca compreenderiam essa Verdade, outros temendo as ameaças e o espectro dos Illuminati- que suprimiram os indícios de tal Verdade de seus registros acessíveis, ou senão de suas escolas e instituições educacionais.

Tudo era bizarro demais… Soava como um filme de ficção científica. Ainda que estes segredos ocultos fossem importantes demais para serem ignorados, eles começaram a vazar através dos registros e diários alemães e hitleristas confiscados. Os agentes de inteligência naval americana observaram esses documentos secretos, ou senão ouviram as testemunhas que acabaram falando, antes de se arriscarem de levar para os túmulos os seus segredos. No início da década de 1970, agentes do Departamento Internacional da Mente de XIAN, uma agência civil central para expor a inteligência começaram a decifrar as peças deste super quebra cabeças, um dos maiores mistérios em eons de tempo, e um dos maiores segredos dos últimos dois milênios. Por que os cidadãos médios mundiais dos anos da década de 1990 jamais ouviram esta versão alternativa da Segunda Guerra Mundial? A resposta a esta pergunta, de modo parcial, vem do próprio Hitler quando declarou:

"O verdadeiro destino do Homem é algo que o homem comum não pode conceber. Se vislumbrasse isso, não teria estômago para o suportar. Nossa revelação faz parte de um estágio final de uma evolução que terminará com a abolição da própria História. Meus camaradas do partido sequer imaginam os sonhos que assaltam minha mente, sequer suspeitam algo do grande edifício, cujas fundações, ao menos, já estarão construídas antes que eu morra. O mundo tem chegado a um ponto tal de saturação e virada química que realizará uma reviravolta que vocês, camaradas não iniciados, não podem entender."

As palavras supramencionadas foram ditas aos membros do Partido Nacional Socialista, e que Hitler acreditava não estarem prontos para as suas pesadas verdades. Amigos, a última guerra mundial não foi simplesmente uma guerra lutada entre os Aliados, de uma parte e o Eixo, de outra. Foi também uma guerra onde civilizações Alienígenas patrocinaram os alemães e civilizações Alien patrocinaram os ingleses, americanos e soviéticos, civilizações essas que mais uma vez lutaram pelo controle do planeta Terra. Embora os humanos usassem como peões seus insuspeitos exércitos, num conflito que era em verdade interestelar, era um fato bem documentado e publicado que Hitler freqüentemente entrava em transe e, assim se encontrando, falava a seus comandantes militares. Seu oficial de imprensa, Dr. Dietrich contou que Hitler ficava possuído por algo superior e poderoso. uma conversa com o Governador Rausching, um homem que tentou alertar ao líder nazista da grande dificuldade de criar o Homem Novo, Hitler respondeu: "O Novo Homem está Agora vivendo dentro de nós, entre nós! Ele está Aqui! E isso não é o bastante para você? Eu lhe contarei um segredo. Habitualmente vejo o Novo Homem. Ele é intrépido e cruel. Às vezes tenho medo dele!" Entrementes, há milênios vem se desenrolando o conflito Siriano-Oriônico através das galáxias. Durante a Guerra, Marte e Mercúrio foram vítimas da devastação nuclear. Maldek ou Marduck, que se situava no atual cinturão de asteróides, simplesmente explodiu. Planetas de Orion e outros sistemas mais tinham se tornado devastações nucleares. Nos últimos 13.000 anos, a Terra havia conhecido duas guerras nucleares. Os Sirianos e Orionitas, inimigos da humanidade, estavam trazendo agora a tecnologia para uma terceira.


FONTE: OMEGA FILE

Rodrigo Veronezi Garcia é Blogueiro e estuda sobre Mitologia, Religião, História, Arqueologia, Ciências Ocultas, Sociedades Secretas, Segredos Militares, Geo Politica, Parapsicologia, Ufologia.
Rodrigo Veronezi Garcia A ciência, do infinito passado ao infinito futuro, esta sempre no estado do presente. Rodrigo Veronezi Garcia é Blogueiro e estuda sobre Mitologia, Religião, História, Ciências Ocultas, Parapsicologia, Ufologia, Geo Política, Arqueologia.https://www.facebook.com/RodrigoVeroneziGarcia https://www.youtube.com/user/rodrigo29704 http://rodrigoenok.wordpress.com/ https://pt.gravatar.com/rvg1973 br.linkedin.com/pub/rodrigo-veronezi-garcia/59/55b/251 https://twitter.com/rodrigoenok https://plus.google.com/u/0/b/102085412413409116922 https://plus.google.com/+RodrigoenokBlogspotrodrigoveronezigarcia https://plus.google.com/u/0/+RodrigoVeroneziGarciarodrigoenok

16 comentários:

  1. Acho que deves curtir o meu site sobre Marte. Ainda esta em construção mas ja da para leres umas coisas. ;)
    http://www.o-enigma-de-marte.info

    ResponderExcluir
  2. Tirou as palavras da minha boca!

    ResponderExcluir
  3. ola ,eu sempre tive a imprenssão de que marte fez parte da terra em tempos remotos , que por algum acidente astrológico houve uma separação e marte levou algumas marcas da civilização terrestre ,como por exemplo as pirâmides que evidentemente estam em marte. a principio o homem era bem maior ,e por tanto explica as enormes piramides ainda preservadas na terra,o homem pequeno de hoje foi uma adaptação ao novo planeta terra,que consequentimente teve regressão de inteligência. valdirgoliveira@voi.com.br

    ResponderExcluir
  4. impressionante como são igual.

    ResponderExcluir
  5. existiu vida em Marte a Bilhões de anos atrás, por não terem um ponto magnético, sofre radiação cósmica e sua atmosfera está vulnerável a ventos solares. Se existir vida, com certeza não está presente na superfície desse planeta, e sim nos seus subterrâneos, onde não há radiação cósmica :-)

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  7. Isso me faz pensar na conjecturada história de 3 civilizações que la hoje habitam o subsolo, mas que um dia na superfície viveram mas, entraram em guerra e fizeram por destruírem a atmosfera de uma maneira tal qual a que estamos caminhando para. Só não me perguntem em que nível ou densidade estão, talvez deve-se a isso a falta de provas da existência destes, exceto pelo relato de Boriska... Mas que a sonda rescém chegada lá é para bisbilhotar mais que apenas pedregulhos, isso sem dúvidas! Não me impressionará se um dia disserem que essa porcaria estragou do nada!

    ResponderExcluir
  8. peço desculpas a NASA, mas sou obrigado a mostrar estas fotos para todos, é minha obrigação.

    ResponderExcluir
  9. os sirianos e os orionitas sao nossos inimigos ?
    e os anunnakis estao do nosso lado ?
    quem pode me responde nao intendi muito bem o final do texto

    ResponderExcluir
  10. Admirei bastante sua materia, entretanto, já li em outros sites que Hitler era patrocinado por pleideanos enquanto os americanos eram patrocinados pelos orionitas. Tire-me esta dúvida, por favor.

    ResponderExcluir
  11. iluminates pagando propina pra NASA? será? pq escondem a verdade? o fato é: tem muita coisa encoberta que nossos governos nao informam!

    ResponderExcluir

COMENTE AQUI